1 de outubro de 2015

Capítulo 17

Eu ainda estava me sentindo abalada, confusa, e mais do que um pouco enjoada do estômago, quando finalmente cheguei ao dormitório. Amontoados de garotos estavam empoleirados na sala assistindo TV e bebendo chocolate quente. Eu peguei uma toalha de um armário perto da porta e me juntei a Stevie Rae, as Gêmeas, e Damien que estavam sentados assistindo nosso programa de TV favorito Project Runway, e comecei a secar a reclamona Nala. Stevie Rae não percebeu que eu estava quieta. Ela estava muito ocupada falando sobre como a guerra de bola de neve que eu evitei mais cedo tinha virado uma enorme batalha depois do jantar que durou até alguém jogar uma bola que atingiu uma janela do escritório de Dragon. Dragon era o que todos chamavam de professor de esgrima, e ele não é um vampiro que qualquer calouro quer irritar.
— Dragon terminou a guerra de bola de neve. — Stevie Rae riu. — Mas foi muito divertido.
— Yeah, Z, você perdeu uma briga incrível — Erin disse.
— Derrubamos Damien e seu namorado — Shaunee disse.
— Ele não é meu namorado! — Damien disse, mas seu pequeno sorriso pareceu acrescentar um silencioso “ainda” no fim da frase.
— Tanto...
— ...faz — falaram as Gêmeas.
— Eu acho que ele é fofo — Stevie Rae disse.
— Eu também — Damien disse, ficando corado.
— O que você acha dele, Zoey? — Stevie Rae perguntou.
Eu pisquei para Stevie Rae. Era como se eu tivesse dentro de um tanque no meio de um furacão, e todo mundo estivesse do lado de fora sem noção adorando o maravilhoso tempo.
— Está tudo bem, Zoey? — Damien disse.
— Damien, você pode me conseguir um pouco de eucalipto? — eu disse bruscamente.
— Eucalipto?
Eu acenei. — Yeah, alguns cabos, e um pouco de sálvia também. Eu preciso dos dois para o ritual de amanhã.
— Yeah, sem problemas — Damien disse, me observando mais atentamente.
— Você já sabe o que fazer com o ritual, Z? — Stevie Rae perguntou.
— Eu acho que sim. — Eu pausei e respirei fundo. Então encontrei o olhar questionador de Damien. — Damien, já houve algum caso de um calouro que pareceu morrer, mas mais tarde foi encontrado vivo?
Para o crédito dele, Damien não surtou e me perguntou se eu fiquei maluca. Eu pude sentir que as Gêmeas e Stevie Rae estavam me encarando como se eu tivesse dito que ia para a versão vampira de Girls Gone Wild (um programa de televisão em que garotas enlouquecem, mostram os peitos e dão pra todo mundo) mas eu as ignorei e continuei focada em Damien. Todos sabíamos que ele passava horas estudando, e ele lembrava tudo que lia. Se algum de nós soubesse a resposta para essa bizarra pergunta, seria ele.
— Quando o corpo de um calouro começa a rejeitar a Mudança não tem como parar. Isso está claro em todos os livros. É também o que Neferet nos disse, Zoey. — Eu nunca o vi soar tão sério. — Qual o problema?
— Por favor, por favor, por favor me diga que você não está se sentindo doente! — Stevie Rae praticamente chorou.
— Não! Nada disso — eu disse rapidamente. — Estou bem. Prometo.
— O que está acontecendo? — Shaunee disse.
— Você está nos assustando — Erin disse.
— Não é minha intenção — eu disse a eles. — Ok, isso vai sair tudo errado, mas eu acho que vi Elliott.
— Huh!
— O que! — as Gêmeas falaram juntas.
— Eu não entendo — Damien disse. — Elliott morreu mês passado.
Stevie Rae alargou os olhos. — Como Elizabeth! — ela disse. Antes de eu poder dizer algo, ela falou, uma longa sentença sem respirar, — Mês passado Zoey achou que tinha visto o fantasma de Elizabeth no muro leste mas não falamos nada porque não queríamos assustar vocês.
Eu abri a boca para explicar sobre Elliott – e Neferet. E fechei de novo. Eu deveria ter percebido antes de dizer uma única paralavra para eles que eu absolutamente não podia contar sobre Neferet. Vampiros eram todos intuitivos em algum grau. A Alta Sacerdotisa Neferet era incrivelmente intuitiva. Tanto que ela geralmente parecia ser capaz de ler a mente das pessoas. De jeito nenhum meus amigos podiam andar pela escola que eu a vi deixar Elliott o vivo morto nojento sugar o sangue dela sem Neferet saber tudo que estava na mente deles.
O que eu testemunhei hoje a noite eu manteria completamente para mim.
— Zoey? — Stevie Rae pôs sua mão no meu braço. — Você pode nos contar. — Eu sorri para ela e desejei com todo o coração que eu pudesse.
— Eu achei ter visto o fantasma de Elizabeth mês passado. E hoje a noite eu vi Elliott — eu finalmente disse.
Damien franziu. — Se você viu fantasmas porque me perguntou sobre calouros se recuperarem da rejeição da Mudança?
Eu olhei nos olhos do meu amigo e menti. — Porque parecia mais fácil do que acreditar que eu estava vendo fantasmas – ou pelo menos até eu falar. Então eu soei louca.
— Ver um fantasma teria me apavorado — Shaunee disse.
Erin acenou concordando de forma entusiasmada.
— Foi como com Elizabeth? — Stevie Rae peguntou.
Pelo menos não tinha que mentir sobre isso. — Não. Ele parecia mais real, mas eu vi os dois no mesmo lugar, perto do muro leste, e os olhos dos dois eram de uma cor vermelho estranho.
Shaunee tremeu.
— Eu com certeza vou ficar longe do assustador muro leste — Erin disse.
Damien, sempre o estudioso, acariciou o queixo como um professor. — Zoey, talvez você tenha outra afinidade. Talvez você possa ver calouros mortos.
Eu teria pensado que isso era possível, mesmo que fosse nojento, se não tivesse visto o suposto fantasma, sólido e totalmente real, beber o sangue da minha mentora. Ainda sim, era uma boa teoria, e um excelente jeito de manter Damien ocupado.
—Você pode estar certo — eu disse.
— Ugh — Stevie Rae disse. — Eu espero que não.
— Eu também. Mas você poderia fazer uma pesquisa para mim, Damien?
— É claro. Eu também vou checar qualquer referencia sobre assombração de calouros.
— Obrigada, eu agradeço.
— Sabe, eu acho que li algo sobre uma antiga história grega sobre espíritos de vampiros que andavam por entre antigas tumbas de...
Eu não prestei atenção na lição de Damien, mas estava feliz por ver que Stevie Rae e as Gêmeas estavam mais envolvidas ouvindo as histórias de fantasmas dele e então me fazendo perguntas mais especificas. Eu odiava mentir para eles, especialmente já que eu teria gostado de contar tudo a eles. O que eu vi realmente me assustou. Como diabos eu ia enfrentar Neferet de novo?
Nala esfregou seu rosto contra o meu e então sentou no meu colo. Eu olhei a TV e a acariciei enquanto Damien continuava sua história sobre antigos vampiros fantasmas. E então eu percebi o que eu estava vendo e então passei por Stevie Rae para pegar o controle que estava em cima da mesa ao lado dela, fazendo Nala mee-uf-ow reclamar incomodada e sair do meu colo. Eu nem tive tempo para acalmar ela, mas rapidamente aumentei o volume.
Era Chera Kimiko de novo em uma reprise do noticiário da tarde.
— O corpo do segundo adolescente da Union High School, Brad Higeons, foi encontrado pelo segurança de um museu essa tarde em um riacho que passa pelo terreno do Museu Philbrook. A causa da morte não foi oficialmente revelada ainda, mas fontes contaram ao Fox News que o garoto morreu de perda de sangue e múltiplas lacerações.
— Não... — eu senti minha cabeça rodar. Tinha um terrível sino nos meus ouvidos.
— Esse é o rio que cruzamos quando fomos para o Philbrook para o Ritual de Samhain mês passado — Stevie Rae disse.
— É na rua aqui de baixo — Shaunee disse.
— As Filhas das Trevas costumavam ir até lá escondidas para fazer os rituais — Erin disse.
Então Damien disse o que todos estávamos pensando. — Alguém está tentando fazer parecer que vampiros estão matando garotos humanos.
— Talvez eles estejam. — Eu não queria dizer isso em voz alta, e pressionei meus lábios fechados, imediatamente sentindo culpa por ter escapado.
— Porque você diria isso, Zoey? — Stevie Rae parecia chocada.
— Eu-eu não sei. Eu realmente não queria — eu gaguejei, sem ter certeza do que eu quis dizer quando disse isso.
— Você está com medo, só isso — Erin disse.
— É claro que você está. Você conhecia os dois — Shaunee disse. — E além de tudo isso, você viu um fantasma hoje.
Damien estava me estudando de novo. — Você teve um pressentimento sobre Brad antes de saber da morte dele, Zoey? — Ele perguntou quietamente.
— Sim. Não. — Eu suspirei. — Eu achei que ele estava morto assim que ouvi que ele foi sequestrado — eu admiti.
— Algo especifico veio com o sentimento? Você sabe mais alguma coisa? — Damien disse.
Como se a pergunta de Damien tivesse espetado minha memória, os pedaços de palavras que ouvi Neferet dizer passaram na minha mente:... muito perigoso... Você não pode ter mais... Você não pode entender... E você não pode me questionar... Eu senti um terrível calafrio que não tinha nada a ver com a tempestade lá de fora. — Nada especifico veio com o pressentimento. Eu tenho que ir para o meu quarto — eu disse, de repente incapaz de olhar para eles. Eu odiava mentir, e duvidava que eu pudesse continuar mentindo se ficasse com eles por mais tempo. — Eu tenho que terminar as palavras para o ritual de amanhã — eu disse com uma desculpa furada. — E eu não dormi muito ontem a noite. Estou cansada.
— Ok, sem problemas. A gente entende — Damien disse.
Eles estavam tão obviamente preocupados comigo que eu mal pude olhar eles nos olhos. — Obrigado, gente — eu murmurei e sai da sala. Eu estava na metade das escadas quando Stevie Rae me alcançou.
— Você se importa que eu volte para o quarto agora também? Eu estou com uma dor de cabeça. Eu só quero dormir. Eu não vou te incomodar enquanto você estuda nem nada.
— Não, eu não me importo — eu disse rapidamente. Eu olhei para ela. Ela parecia mesmo um pouco pálida. Stevie Rae era tão sensível que mesmo que ela não conhecesse Chris ou Brad, a morte deles claramente estavam chateando ela. Eu pus meus braços ao redor dela e apertei quando passamos pela nossa porta. — Hey, tudo vai ficar bem.
— Yeah, eu sei. Só estou cansada. — Ela olhou para mim, mas ela não parecia tão alegre como o usual.
Não falamos muito enquanto colocamos nosso pijama. Nala entrou pela porta de gatos, pulou na minha cama, e estava dormindo quase tão rápido quanto Stevie Rae, o que foi um alívio porque eu não tinha que fingir escrever as palavras para o ritual que eu já tinha terminado. Tinha outra coisa que eu precisava fazer, e eu não queria explicar nenhuma parte disso para ninguém, nem minha melhor amiga.

5 comentários:

  1. Stevie Rae tá ficando tão cansada, tô preocupada! :(

    ResponderExcluir
  2. Caralho Stevie Rae! não quero nem escrever o que estou pensando.

    ResponderExcluir
  3. Então, posso não estar muito correta, mas acho que o que a Neferet tá querendo com esses assassinatos é que os humanos fiquem contra os vampiros, daí ela terá motivos pra ir contra eles. Ela odeia os humanos, mas eles não fazem nada para os vampiros, eles tem uma coexistência pacífica, cada um fica no seu canto, então, se eles começarem a achar que os vampiros estão assassinando gente, essa paz acaba, e uma raça vira contra a outra. Posso estar errada, mas é o que acho.

    ResponderExcluir

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Os comentários estão demorando alguns dias para serem aprovados... a situação será normalizada assim que possível. Boa leitura!