9 de outubro de 2015

Capítulo 16 - Zoey

— Eu preciso falar com Zoey! — Aurox gritou, então Stark deu um soco direto na sua boca e ele ficou ocupado demais cuspindo sangue e caindo de joelhos para gritar qualquer outra coisa.
— Stark! Caramba! Pare com isso! — tentei agarrar o braço do meu guerreiro.
— Eu já disse, volte para dentro! — Stark berrou comigo enquanto se soltava de mim como se eu fosse uma formiga.
Ele e Darius tinham derrubado Aurox para fora da calçada e o atirado no jardim da escola, perto dos carvalhos, onde as sombras eram mais escuras.
Eles vão acabar com ele!
— Ele não está lutando com você, Stark. Ele não está machucando ninguém — eu corri atrás de Darius e Stark, odiando o som abafado de dor que Aurox estava fazendo enquanto eles o arrastavam pelo gramado.
Eu tentei argumentar com ele, mas Stark definitivamente não estava me ouvindo. Darius nem olhou para mim. Então eu senti a mão de Stevie Rae no meu pulso.
— Z., deixe os garotos lidarem com isso.
— Não, mas ele vai...
— Ele não vai a lugar nenhum — Stark o chutou e Aurox saiu rolando em meio às sombras de um carvalho grande. — Mesmo se ele se transformar naquela criatura — Stark soava tão perigoso quanto aparentava.
Ele havia pegado o arco que estava pendurado nas suas costas e tinha engatado nele uma flecha, apontando diretamente para Aurox.
— Eu não quero me transformar. Estou tentando não me transformar — Aurox estava ajoelhado, contorcendo-se. Ele estava com a cabeça abaixada e sangue escorria da sua boca, pingando na sua roupa. — Se você não vai me deixar falar com Zoey, chame Thanatos.
— Faça isso — Darius falou para Rephaim. — Traga Kalona também.
Rephaim saiu correndo enquanto Darius caminhou na direção de Aurox.
Aurox levantou a cabeça. Os seus olhos estavam brilhando e percebi que o seu rosto estava corado. Ele começou a se levantar, mas Darius o empurrou para trás, derrubando-o no chão novamente. Então o guerreiro pegou no seu casaco uma faca fina e com aparência perigosa e pisou em cima dele.
O rosto de Aurox estava pressionado contra o chão e eu ouvi um gemido terrível escapar dele.
— Se você se transformar, eu mato você — Stark falou devagar e claramente.
— Estou me esforçando para não me transformar! — as palavras soaram estranhas, como se elas tivessem saído à força da garganta de Aurox.
Então ele virou a cabeça, e pude ver que o seu rosto estava totalmente contorcido e que os seus olhos estavam incandescentes. A pele dele estava se repuxando e ondulando como se dúzias de insetos estivessem se movendo por baixo da superfície, dentro do corpo dele.
Aquilo era nojento e fez meu estômago se revirar. Essa coisa não pode ser o meu Heath. A pedra da vidência estava errada. Coloquei a mão em cima da pedra e a pressionei contra o meu peito.
Nada. Ela não estava nem morna. Eu estava errada. Tudo não passou de mais uma confusão minha. Eu mal podia pensar em meio à onda de tristeza que sentia.
— Esforce-se mais! — Aphrodite falou, e eu estava olhando surpresa para ela e me perguntando aonde diabos ela estava indo quando ela passou marchando por mim em direção a Aurox.
— Aphrodite, afaste-se! Ele pode... — Darius começou, mas Aphrodite o interrompeu.
— Ele não vai fazer merda nenhuma. O Garoto do Arco vai disparar uma flecha no rabo dele. E você vai rasgá-lo ao meio, da zona genital até o pescoço. Eu não poderia estar mais segura, mesmo se eu estivesse dando aulas para criancinhas. Bem, eu estaria totalmente enojada com os fedelhos em volta de mim, mas você entendeu o que eu quis dizer.
— Aphrodite, o que você está fazendo? — encontrei minha voz de novo.
Ela apontou uma unha benfeita para Aurox.
— Desde que você não ataque ninguém, não há nada aqui para você combater. Então controle essa merda que está rolando dentro de você. Agora! — ela deu uma olhada por sobre o ombro para mim. — Cheguem mais perto. A gente não precisa que essa maldita escola inteira fique olhando para nós com cara de idiota, como se estivesse vendo os destroços de um acidente de trem.
O olhar dela envolveu os meus amigos que haviam cerrado fileiras e estavam chegando apressados atrás de mim: Damien, Shaunee e Shaylin. A presença deles junto à de Stevie Rae começou a me acalmar e me ajudou a pensar, enquanto ela continuava:
— Ok, Shaylin diz que ele tem a cor da luz da lua, o que me faz pensar em Nyx. E isso me fez chegar à conclusão de que qualquer um que me faz pensar em Nyx, mesmo alguém tão nojento como essa coisa garoto-touro, deve ter a permissão de falar. Só isso. Ponto final.
— Sim, sinto muito. — Shaylin se aproximou mais de mim e disse em voz baixa: — Eu sei que não é isso o que todo mundo quer ouvir, mas com certeza eu vejo a luz da lua prateada quando olho para ele.
— Era isso o que eu queria ouvir — a voz de Aurox estava mais normal.
A pele dele tinha parado de fazer aquela coisa nojenta, tipo insetos ondulando dentro do corpo dele. A sua boca ainda estava sangrando, e a lateral do seu rosto tinha uma marca vermelha de escorregão, da hora em que ele havia atingido a calçada quando Stark o socou, mas ele parecia um garoto normal de novo, e não algo saído de Resident Evil.
— Não se atreva a se mexer — Stark rosnou entre dentes. — Aphrodite, pelo menos uma vez escute Darius e afaste-se. Você não lembra no que ele se transforma?
— Ele matou Dragon. Ele pode matar você — Darius disse.
— Eu não queria matá-lo! Eu tentei não fazer isso — o olhar de Aurox encontrou o meu. — Zoey, conte a eles. Conte que eu tentei parar o que estava acontecendo. Mas eu não sei o que aconteceu depois. Você acredita em mim. Eu sei que você acredita. Vovó Redbird disse que você me protegeria.
Stark deu um passo na direção de Aurox.
— Não fale na avó de Zoey!
— É por isso que eu estou aqui! Zoey, a sua avó está em perigo.
Eu senti como se Aurox tivesse me dado um soco na boca do estômago. Stark estava pisando na nuca de Aurox, pressionando o seu pescoço contra o chão e gritando algo sobre Vovó. Darius também estava gritando. Damien tinha começado a berrar. O rosto de Aurox começou a se contorcer de novo, e de repente Kalona estava lá. Ele pegou Stark com uma mão e Darius com a outra e os atirou para longe. Com as asas totalmente abertas, ele parou diante de Aurox, de punhos cerrados e com a aparência de um Hulk imortal. Não havia dúvidas de que ele ia reduzir Aurox a nada.
— Não o mate! — eu berrei desesperada. — Ele sabe alguma coisa sobre Vovó!
— Guerreiro, abaixe a guarda! — Thanatos não levantou a voz, mas o poder da sua ordem ondulou pela pele de Kalona.
Ele se contraiu como um cavalo tentando repelir uma mosca, mas abaixou seus punhos. A Alta Sacerdotisa da Morte voltou para mim o seu olhar escuro e intenso.
— Chame o espírito. Fortaleça o bem dentro de Aurox. Ajude-o a não se transformar.
Inspirei tremulamente e fechei os olhos para não olhar para a coisa que era Aurox... a coisa que eu tinha pensado que era Heath... a coisa que podia ter ferido Vovó.
— Espírito, venha para mim — sussurrei. — Se existe o bem dentro de Aurox, fortaleça-o. Ajude-o a permanecer um garoto.
Senti o elemento com o qual eu considerava ter a afinidade mais próxima se agitar ao meu redor e ouvi Aurox ofegar quando o espírito se moveu até ele. E então, apenas por um instante, senti a minha pedra da vidência esquentar.
Abri os olhos e a pedra da vidência ficou fria. Aurox estava sentado no chão, apoiado em um grande carvalho, sangrando e cheio de hematomas, mas totalmente um garoto de novo. Darius e Stark haviam se levantado e estavam de caras fechadas, voltando para o nosso grupo. Kalona parecia nervoso, mas tinha se afastado um pouco.
— Stevie Rae, invoque a terra. Aprofunde as sombras embaixo dessa árvore. Damien, chame o ar. Faça a brisa soprar forte o bastante para abafar as nossas palavras. Os nossos novatos não precisam testemunhar mais violência e caos. O que acontece aqui deve permanecer como assunto privado — Thanatos ordenou.
Stevie Rae e Damien obedeceram a Alta Sacerdotisa, e logo depois parecia que o nosso grupo estava em uma pequena bolha com aroma de carvalho, enquanto o vento chicoteava à nossa volta, levando nossas palavras para bem longe.
Thanatos assentiu em aprovação aos dois. Então ela se voltou para Aurox.
— Agora, o que você sabe sobre Sylvia Redbird? — Thanatos disparou a pergunta para ele.
— Neferet a levou.
— Ah, Deusa! — eu cambaleei e Stark me segurou antes que eu caísse. — Ela está morta?
— E-eu não sei. Espero que não — Aurox respondeu com seriedade.
— Você não sabe? Você espera que ela não esteja morta? — Stevie Rae soou superirritada. — De novo, você fez uma coisa, mas tentou não fazer?
— Não! Eu não tive nada a ver com isso.
— Então como você sabe o que aconteceu? — consegui falar, apesar de a minha voz estar trêmula e eu me sentir como se fosse vomitar.
— Eu voltei para a casa de Vovó Redbird e ela tinha desaparecido. Havia sangue na sua varanda. Era o sangue de Neferet. Eu sei. Eu conheço o cheiro do sangue dela.
— Tinha sangue da Vovó lá também? — eu perguntei.
— Não — ele balançou a cabeça. — Mas vestígios do seu poder permaneciam na fumaça e na terra, como se ela tivesse se preparado para a batalha.
— Você disse que voltou para a casa de Sylvia. Por quê? — Thanatos quis saber.
Aurox passou a mão na boca para limpar um pouco do sangue. A mão dele estava trêmula. Na verdade, parecia que ele ia explodir em lágrimas.
— Ela me encontrou ontem de manhã, depois daquela noite terrível. Ela me perdoou. Ela disse que acreditava em mim, e então me ofereceu refúgio. Ela conversou comigo, como se eu fosse normal. Como se eu não fosse um monstro. Ela me chamou de tsu-ka-nv-sdi-na — Aurox encontrou o meu olhar.
— Touro — eu disse, lembrando-me de palavras decoradas nas minhas lições de infância. — Essa palavra quer dizer “touro” em Cherokee.
— Sim, foi o que Vovó me explicou. Ela me ofereceu refúgio, desde que eu não machucasse mais ninguém, mas eu fui embora — ele balançou a cabeça. — Eu não deveria ter ido! Eu devia ter ficado lá e a protegido, mas eu não sabia que ela estava em perigo.
— Eu não estou acusando você. Não desta vez — Thanatos afirmou. — Você disse que foi embora ontem e que hoje voltou para lá?
Aurox assentiu.
— Fui embora porque precisava descobrir quem eu era... o que eu era. Então vim até aqui e me escondi embaixo da árvore despedaçada — ele olhou humildemente para Thanatos. — Ouvi o que você disse na pira funerária de Dragon sobre o que eu era. Não consegui suportar aquilo. Só pensei que eu tinha que voltar para a casa de Vovó Redbird, e que ela iria me ajudar a descobrir um jeito de desfazer o que foi feito para me criar.
— Foi a morte da filha dela que fez você, Receptáculo — Kalona falou com sua voz fria. — Você espera que a gente acredite que a mulher cuja filha foi morta para criá-lo lhe ofereceu refúgio?
— É inacreditável. Eu sei — os olhos com uma cor estranha de Aurox encontraram os meus novamente. — Eu não entendo como Vovó pode ser tão gentil, tão misericordiosa, mas ela é. Ela até me deu cookies de chocolate e lavanda com leite — ele apontou para os seus sapatos, que eu reconheci como os mocassins costurados à mão que Vovó gostava de fazer como presente de Natal.
— Nenhum humano é tão misericordioso. Até uma deusa acharia difícil perdoar alguém como você — a voz fria e sem vida de Kalona declarou.
— A Deusa me perdoou — Rephaim disse brandamente. — E eu fiz coisas piores do que Aurox.
— Vovó chamou Aurox de touro. Ela faz mesmo cookies de chocolate e lavanda — afirmei. — E esses sapatos são os mocassins que ela costura à mão.
— O que significa que você esteve na casa dela e que ela falou com você — Stark deduziu. — Mas isso não significa que você não fez algo terrível com ela e depois roubou as suas coisas.
— Se isso é verdade, então por que ele viria até aqui? — eu me ouvi dizer.
— Ótima observação — Thanatos concordou. Então ela se voltou para Shaylin. — Filha, veja as cores dele.
— Já vi. Foi por isso que Aphrodite fez com que Darius e Stark parassem de espancá-lo — Shaylin contou.
— A aura dele é feita da luz da lua — Aphrodite continuou a explicação. — Foi por isso que eu intervim e apertei o botão pause na testosterona deles.
— Explique melhor, Profetisa — Thanatos ordenou.
— Se ele tem a cor da luz da lua, então tenho que acreditar que, de algum modo, ele está ligado a Nyx, já que a lua é o seu símbolo principal — Aphrodite disse.
— Bem pensado — Thanatos falou e então analisou Aurox. — Mesmo antes de Zoey fortalecer o seu espírito, você estava controlando a metamorfose que tentava transformá-lo.
— Eu não estava controlando muito bem — ele admitiu.
— Mas percebi que você estava tentando — o olhar dela se voltou para mim. — Será que a sua avó o perdoaria, mesmo depois de ver no que ele pode se transformar?
Respondi sem hesitar.
— Sim. Vovó é a pessoa mais bondosa que já conheci. Ela é a nossa Sábia, nossa Ghigua — cheguei mais perto de Aurox. — Onde ela está? Para onde Neferet a levou?
— Eu não sei. Só sei que Neferet lutou com ela. Vovó Redbird tirou sangue dela, e agora as duas desapareceram. Sinto muito, Zo.
— Nunca, nunca mais me chame assim de novo — afirmei.
Percebi que Stark franziu os olhos e estava olhando para ele como se Aurox fosse uma mosca e ele quisesse arrancar as suas asas.
— Você não é Heath Luck — Stark acrescentou.
Ele manteve a voz baixa, mas estava óbvio que ele estava pronto para explodir. Aurox balançou a cabeça, totalmente confuso.
— Eu sou Aurox. Não conheço esse Heath Luck.
— É claro que não — Stark rebateu. — Então, como Zoey disse, nunca mais a chame de Zo de novo. Você não merece nem limpar os sapatos do cara que costumava chamá-la assim.
— Heath Luck tem algo a ver com Vovó Redbird? — Aurox perguntou.
— Não! — eu cortei logo a resposta irritadinha que Stark estava se preparando para dar. — E a gente realmente precisa se concentrar em encontrar Vovó.
— Eu sei para onde Neferet pode ter levado Sylvia Redbird — Kalona falou. Todos nós olhamos cheios de expectativa para ele. — Ela tem uma cobertura no Mayo Hotel. A varanda inteira é dela. As paredes são de mármore maciço e não deixam escapar nenhum som. Lá ela tem toda a privacidade que a riqueza dela pode comprar. Ela pode ter levado Sylvia Redbird para lá.
— Como ela poderia ter feito isso? — perguntei, apesar de querer muito acreditar que, para encontrar Vovó, bastaria seguir Neferet até a sua cobertura. — Vovó não teria simplesmente entrado andando junto com ela e, apesar de parecer que o prefeito e a Câmara dos Vereadores estão lambendo os pés dela, os funcionários do Mayo não iam ignorar de jeito nenhum o fato de ela entrar arrastando uma senhora idosa pelo lobby.
— Você já viu Neferet se movendo silenciosamente, de modo invisível. Aposto que você mesma pode aparecer e desaparecer facilmente, Zoey Redbird — Thanatos sugeriu.
— Bem, sim, eu posso. Mais ou menos. Mas acho que eu não consigo fazer com que outra pessoa fique invisível.
— Neferet consegue — Aurox declarou solenemente. — Isso e muito mais. A sua Deusa deu poder a ela. O touro branco deu ainda mais poder. E o poder que Neferet não recebeu, ela rouba através da dor, da morte e dos seus truques. Ela está totalmente cheia de poder.
— Seria um erro subestimar Neferet — Thanatos concordou.
— Então a gente tem que ir até a sua cobertura e fazer com que ela solte Vovó — eu afirmei.
— Espere aí — Stark disse. — Como podemos saber se ele não está inventando tudo isso para fazer a gente ir atrás de Neferet?
— Eu não sou uma criatura de Neferet! — Aurox gritou.
— Há duas noites, você era. Dragon Lankford está morto por causa disso — Stark disparou de volta para ele.
— Stark pode ter razão — Stevie Rae observou. — Tente ligar para a sua avó.
Satisfeita por ter algo que eu podia fazer, peguei meu telefone e digitei o número de Vovó. Enquanto chamava, Thanatos falou:
— Se ela não atender, tente soar normal. Deixe uma mensagem sobre o evento aberto ao público. Se Neferet a levou, pode ser que ela tenha acesso ao telefone de Sylvia também.
Concordei e senti um aperto no estômago quando ela não atendeu e a voz familiar de Vovó disse que ela não podia falar no momento, mas que ligaria de volta em breve. Respirei fundo e depois do bip tentei soar o mais normal possível.
— Oi, Vovó, desculpe ligar tão tarde. Ainda bem que você deixou o seu telefone no modo silencioso, assim eu não acordei você.
Minha voz começou a ficar trêmula, mas, antes que eu desabasse e explodisse em lágrimas, o braço forte de Stark pousou sobre os meus ombros. Eu me recostei nele e falei rapidamente, esperando que eu parecesse animada, e não histérica.
— Não sei se você assistiu ao telejornal, mas Thanatos anunciou que nós vamos fazer um grande evento aberto ao público e uma feira de empregos, convidando basicamente Tulsa inteira. Também vai ser um evento beneficente para os Gatos de Rua e um jeito de fazer com que Neferet pareça tão louca quanto ela é, e que a gente pareça, bem, normal — acrescentei, pensando “toma essa, sua bruxa detestável!”. — Enfim, vai ser neste próximo sábado, e Thanatos me pediu para perguntar se você pode nos ajudar a coordenar o evento com a irmã Mary Angela. Eu falei que achava que você toparia sem problemas, então me ligue assim que puder que eu conto mais detalhes, ok? Eu amo você, Vovó. Amo muito, muito mesmo! Tchau.
Stark pegou o telefone da minha mão e apertou o botão de desligar. Então ele me abraçou quando eu finalmente explodi em lágrimas. Enquanto eu estava tremendo e fungando, senti outra mão tocar as minhas costas e reconheci a presença calma da terra. Então outra mão me tocou, e o ar roçou suavemente a minha pele. Mais uma mão se juntou às outras, e o fogo me aqueceu. O espírito, que já estava presente, acomodou-se dentro de mim, sossegando as minhas lágrimas e permitindo que eu me afastasse um pouco de Stark e sorrisse trêmula para os meus amigos.
— Obrigada, pessoal. Estou melhor agora.
— Bem, você vai ficar melhor depois de assoar o nariz — Stark brincou comigo enquanto me entregava uma bola de lenços de papel que ele tirou do bolso.
— Você está horrível, Z. Certeza — Aphrodite disse.
Ela estava balançando a cabeça, mas ela também estava ali, ombro a ombro com os meus amigos, mostrando solidariedade e apoio.
— Eu não estou mentindo — Aurox se levantou e atraiu a minha atenção.
Ele estava encarando Thanatos. Darius e Kalona haviam se posicionado de modo protetor entre ele e a Alta Sacerdotisa. Aurox virou a cabeça e os seus olhos encontraram os meus. Fiquei chocada por ver lágrimas dentro deles. Ele parecia quase tão devastado quanto eu me sentia. Então ele se voltou para a Alta Sacerdotisa e implorou:
— Acorrente-me. Prenda-me. Eu vou aceitar qualquer punição que você me der, mas, por favor, pelo bem de Sylvia Redbird, acredite em mim. Eu não estou aliado a Neferet. Eu a desprezo. Eu odeio o fato de ela ter me criado por meio da morte e da dor. Para me controlar, ela tem que fazer as Trevas tomarem posse do meu corpo e despertarem a criatura dentro de mim. Alta Sacerdotisa, você sabe que é verdade.
— Pelas evidências que nós descobrimos, parece que é verdade — Thanatos falou.
— Então me escute. Eu dou a minha palavra que Neferet levou a avó de Zoey.
— Você só tem essa chance — eu me afastei um pouco do meu círculo de amigos e me dirigi a Aurox. — Se você estiver mentindo para nós, se Vovó estiver ferida e você tiver qualquer coisa a ver com isso, vou usar todos os cinco elementos e todos os meus poderes concedidos pela Deusa para destruir você, não importa o que você seja. Não importa quem você seja. Eu dou a minha palavra.
— Aceito — ele disse, abaixando a cabeça para mim.
— Está resolvido — Thanatos afirmou. — Todos os seres com espíritos têm escolha. Espero que você esteja fazendo a escolha certa, Aurox.
— Eu estou — ele respondeu.
— Sim, nós temos a sua palavra — Thanatos o lembrou, e então ela se voltou para nós. — Precisamos entrar na cobertura de Neferet.
— Eu posso ir — Aurox se ofereceu.
— Não! — Stark, Darius, Kalona e eu gritamos juntos.
— Eu posso entrar na maldita cobertura dela — Aphrodite falou. — Aquela vaca pensa que eu sou tão vaca quanto ela e, apesar de isso poder ser meia verdade em certo sentido, Neferet mede a lealdade de todo mundo pela sua própria lealdade, que é inexistente. Ela sempre quis me usar e ela não pode ouvir os meus pensamentos. Eu posso entrar.
— Neferet pode deixá-la entrar, mas nunca vai permitir que você veja se ela mantém Vovó Redbird presa — Aurox argumentou.
— O que ele diz é verdade. Ela iria esconder de Aphrodite a presença de sua prisioneira — Thanatos concordou.
— Mas não de mim — Aurox continuou. — Ela nunca ia pensar que isso seria necessário. Neferet vai estar furiosa comigo por eu ter falhado em impedir o ritual de revelação, mas ela vai permitir que eu entre, pelo menos por tempo o suficiente para descobrir se Vovó Redbird está lá.
— Ou por tempo o suficiente para manipulá-lo — Darius replicou.
— E para despertar essa coisa que dorme dentro de você — Stark acrescentou.
— Aurox, você não pode controlar a besta. Não se Neferet fizer um sacrifício para despertá-la — Thanatos afirmou.
— Pode ser que tenha sido por isso que ela capturou a avó de Zoey — Darius disse, dando um olhar de desculpas na minha direção. — Talvez ela precise de um sacrifício maior do que o gato de um guerreiro para recuperar o controle sobre Aurox.
— Não! Eu, não... — Aurox falou de modo entrecortado, os seus ombros desabaram e ele colocou o rosto entre as mãos.
Eu só conseguia balançar minha cabeça de um lado para o outro sem parar. Stark pegou minha mão e a apertou com força.
— Nós não vamos deixar isso acontecer. A gente vai trazer Vovó de volta.
— Mas como? — minhas palavras saíram em meio aos meus soluços.
— Eu vou — Kalona me encarou enquanto falava. — Eu não vou apenas entrar na casa de Neferet. Se ela está mantendo Sylvia Redbird prisioneira, eu vou encontrá-la e resgatá-la. As Trevas não podem se esconder de mim; nós nos conhecemos há muito tempo. Neferet se acha invulnerável porque se tornou imortal, mas ela tem só a experiência de uma criança comparada aos meus inúmeros séculos de poder e conhecimento. Eu não posso matá-la, mas posso tirar uma senhora idosa da casa dela.
— Bem, talvez. Se ela deixar você entrar pela porta da frente — Stark observou. — Pelo que reparei na última vez em que a vi, parece que ela não gosta muito de você.
— Neferet me detesta, mas isso não muda o fato de que ela me deseja.
— É mesmo? Não é o que parece para todo mundo. A fila andou para Neferet — Stark continuou. — O touro branco é o Consorte dela.
Kalona sorriu sarcasticamente para Stark.
— Você é jovem e sabe muito pouco sobre as mulheres.
Senti Stark se eriçar, então rapidamente limpei meus olhos e meu nariz e me recompus.
— Você vai ter que fazer com que ela pense que você está nos traindo, que o seu Juramento a Thanatos foi uma fraude — eu disse.
— Neferet não sabe que eu fiz Juramento a Thanatos.
— Hum, acho que pode ser que ela saiba — Shaunee insinuou.
Olhei surpresa para ela.
— Não estou falando isso para ser maldosa, e realmente não quero entrar em detalhes, então peço que vocês apenas acreditem em mim. Mas posso dizer, quase com certeza, que tudo que Erin sabe sobre nós, Dallas também sabe — Shaunee contou.
— Aff, que droga! — Stevie Rae exclamou.
— Dallas conversa com Neferet — Rephaim se manifestou.
— Ahn? — eu tinha praticamente esquecido que Rephaim estava ali.
Então eu me senti superculpada quando ele deu de ombros e explicou:
— Eu não costumo falar muito, então as pessoas me ignoram e eu acabo escutando coisas.
— Eu não ignoro você — Stevie Rae ficou na ponta dos pés e deu um beijo na bochecha dele.
Ele sorriu para ela.
— Não, você não. Mas Dallas me ignora. Ele estava perto de mim quando o telefone dele tocou no intervalo das aulas hoje. Duas vezes. As duas ligações eram de Neferet.
— E eu tenho quase noventa e nove por cento de certeza de que Erin contaria a Dallas tudo que ele quiser saber sobre nós — Shaunee reafirmou.
— Erin permaneceu aqui na House of Night quando vocês voltaram para a estação ontem — Thanatos lembrou.
Encontrei o olhar de Shaylin.
— Conte a ela — eu pedi.
A novata não hesitou.
— As cores de Erin estão diferentes do que eram antes. Percebi isso uns dias atrás.
— Ela está mudando — Aphrodite explicou. — Shaylin e eu acreditamos nisso. Foi por isso que aconselhamos Zoey a deixar Erin ficar quando ela disse a Zoey que queria permanecer aqui.
— Então eu concordo com Shaunee. É muito provável que Neferet saiba tudo que Erin sabe — Thanatos disse.
— Pois eu acho o seguinte — Aphrodite começou. — Acho que todos nós precisamos ficar de boca fechada sobre o que está rolando com Vovó Redbird, Aurox e os nossos assuntos em geral. Quem não é parte deste grupo aqui não vai saber merda nenhuma. Erin é apenas uma garota, mas, se ela souber de alguma coisa, pode definitivamente nos ferrar.
— Profetisa, parece que há uma lição para ser ouvida no que você está dizendo — Thanatos falou, e o resto de nós concordou.
Olhei para Kalona. Incluí-lo no nosso grupo era realmente muito esquisito, mas eu não sabia dizer se isso significava que a gente devia ou não confiar nele.
Ecoando estranhamente os meus pensamentos, Thanatos perguntou a Kalona:
— Você ainda acredita que ela vai confiar em você?
— Neferet? Confiar em mim? Nunca. Mas ela realmente me deseja, mesmo que seja apenas o meu poder imortal que ela cobiça. E, como Aphrodite disse, ela mede a profundidade da lealdade de todo mundo pela sua própria — Kalona respondeu.
— Neferet só é leal a ela mesma — Rephaim observou.
— Exato — Kalona concordou.
— Bem, vamos esperar que você não seja assim tão raso — Stark acrescentou, soando como se ele acreditasse no contrário.
Eu apenas fiquei parada ali, olhando para Kalona, lembrando que ele já tinha sido um assassino mentiroso e manipulador, e pensando: É isso aí que vai salvar a minha avó?
Eu estava piscando com força para tentar segurar lágrimas assustadas quando Rephaim sussurrou o meu nome. Eu me virei para ele. Ele sorriu e falou três palavras, só fazendo o movimento da boca, sem emitir som: “As pessoas mudam”.

3 comentários:

  1. ai vc imagina ele falando as pessoas mudao com a cabeça balançando as sombrancelhas arqueadas e aquele sorrisão...kkkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  2. Sou #TeamHeath. Esse Stark é um babaca imbecil, sinceramente. Mil vezes o Heath, que mesmo sendo humano é melhor que esse vampiro de quinta '---'

    ResponderExcluir
  3. Concordo, e Heath já sofreu muito e está sofrendo muito mais agora. Ele merece Z, muito mais do que Stark, que é um guerreiro ciumento e cheio de querer aumentar seu próprio ego.

    ResponderExcluir

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Os comentários estão demorando alguns dias para serem aprovados... a situação será normalizada assim que possível. Boa leitura!