6 de outubro de 2015

Capítulo 15 - Stark

No momento em que Stark acordou, por um instante ele não se lembrava. Tudo o que ele sabia era que Zoey estava ali, na cama, ao lado dele. Ele sorriu e virou sonolento, alcançando-a com um braço para puxá-la para perto dele.
O gelado e inanimado toque e a falta de reação dela fizeram-no totalmente desperto, e a realidade caiu e queimou o último de seus sonhos.
— Finalmente. Você sabe, vocês vampiros vermelhos podem ser fortes e tudo à noite, mas durante o dia vocês dormem assustadoramente como os mortos. Olá, tenho uma palavra para você: estereotipado.
Stark sentou-se carrancudo para Aphrodite, que estava sentada em uma das cadeiras de veludo creme, com suas longas pernas cruzadas elegantemente, e bebendo uma xícara fumegante de chá.
— Aphrodite, porque você está aqui?
Em vez de lhe responder, seu olhar foi para Zoey. — Ela não se moveu nada desde que isso aconteceu, moveu?
Stark saiu da cama e delicadamente dobrou o cobertor em volta de Zoey. Ele tocou seu rosto com a ponta dos dedos e beijou a única Marca deixada em seu corpo, a comum tatuagem de lua crescente de calouro no meio da testa. Tudo bem se você voltar como um calouro normal. Basta voltar, ele pensou e os seus lábios roçaram sua Marca. Então ele se endireitou e enfrentou Aphrodite.
— Não. Ela não se moveu. Ela não pode. Ela não está aqui. E nós temos sete dias para descobrir como recuperá-la.
— Seis — Aphrodite corrigiu.
Stark engoliu em seco.
— Sim, você está certa. São seis agora.
— Ok, vamos lá então. É evidente que não temos tempo a perder. — Aphrodite se levantou e começou a sair da sala.
— Onde estamos indo? — Stark começou a segui-la, mas continuava olhando para trás por cima do ombro para Zoey.
— Ei, você tem que sair desta situação. Você mesmo disse: Zoey não está aqui. Então pare de ficar babando para ela parecendo um pequeno cachorro perdido.
— Eu a amo! Você sabe exatamente que diabos isso significa?
Aphrodite parou e virou-se para enfrentá-lo. — O amor não tem nada a ver com isso. Você é seu Guerreiro. Isso significa mais do que “Eu coração Zoey” — ela disse com sarcasmo, gesticulando as aspas no ar. — Eu tenho meu próprio Guerreiro, então eu sei o que isso significa, e aqui está a verdade: se a minha alma fosse quebrada, e eu estivesse presa no Outromundo, não gostaria que Darius ficasse todo boo-hoo com isso e ficasse inconsolável. Eu queria que ele destruísse o inferno para trabalhar e descobrir como fazer o seu trabalho, que é se manter vivo e me proteger para que eu possa descobrir uma maneira de chegar em casa! Agora você vem ou não? — Ela sacudiu seu cabelo, virou as costas para ele, e começou a contrair-se no corredor.
Stark fechou a boca e foi atrás dela. Eles caminharam em silêncio por um tempo enquanto Aphrodite levou-o descendo algumas escadas, em volta de corredores cada vez mais longos, e descendo mais escadas.
— Onde estamos indo? — Stark perguntou novamente.
— Bem, parece uma masmorra. Cheira a mofo e uma espécie estranha de O.C., a decoração institucional é adequada tanto para uma prisão quanto para uma ala psiquiátrica do hospital, e isso faz Damien pensar que ele morreu e foi para o céu dos dorks. Então dê um palpite.
— Estamos indo de volta para a escola humana?
— Perto — disse ela, levantando os lábios em uma dica de um sorriso. — Nós estamos indo para uma biblioteca realmente velha cheia de nerds estudando juntos freneticamente.
Stark soltou uma longa respiração em um alto suspiro para segurar-se de rir. Às vezes ele quase gostava de Aphrodite – que ele nunca tenha que admitir isso.

Aphrodite tinha razão – o porão do palácio fazia lembrá-lo de uma brega sala de estudos escolar, menos as janelas desdobráveis e baratas, mini-persianas maltrapilhas, o que era estranho como o inferno, porque o resto da Ilha de São Clemente era absurdamente rica. No porão, porém, havia apenas um punhado de mesas de madeira desgastadas, bancos duros, paredes de pedra branca, e toneladas e toneladas de prateleiras cheias com um zilhão de diferentes tamanhos, formas e estilos de livros.
Os amigos de Zoey foram agrupados em torno de uma mesa grande que estava transbordando de livros, latas de refrigerante, sacos amarrotados de batatas fritas, e um balde cheio de chicotes gigantescos de alcaçuz vermelho. Stark pensou que eles pareciam cansados, mas totalmente ligados com tanto açúcar e cafeína. Enquanto ele e Aphrodite caminhavam, Jack segurava um livro de couro grande e apontava para uma ilustração.
— Veja, esta é uma cópia de uma pintura de uma Alta Sacerdotisa grega chamada Calliope. Ele diz que ela também foi Poeta Laureate após Sappho. Ela não parece exatamente com a Cher?
— Uau, isso é insano. Ela parece como uma jovem Cher — disse Erin.
— Sim, antes dela começar a usar as perucas brancas. Que diabos está acontecendo com isso? — Shaunee disse.
Damien deu às Gêmeas uma olhada. — Não há nada de errado com a Cher. Absolutamente. Nada.
— Uh-oh — Shaunee disse.
— Pisou em um nervo gay — Erin concordou.
— Eu tive uma boneca Barbie Cher. Eu amava essa boneca — disse Jack.
— Barbies, horda de nerd? Sério? Vocês supostamente deveriam estar salvando Z, lembram? — Aphrodite disse, sacudindo a cabeça em desgosto e enrolando o lábio no chicote de alcaçuz.
— Nós temos tudo em dia. Estamos apenas dando uma pequena pausa. Thanatos e Darius saíram para mais comida — disse Damien. — Fizemos alguns progressos, mas vou esperar até que eles voltem para relatar tudo. — Ele acenou para Stark e seu “oi” foi repetido por outras crianças.
— Sim, não seja tão crítica, Aphrodite. Nós estamos trabalhando duro, você verá.
— Você está falando de bonecas — Aphrodite disse.
— Barbies — Jack corrigiu. — E só por um segundo. Além disso, Barbies são legais e uma parte importante da cultura americana. — Ele acenou com a cabeça com ênfase e apertou o retrato de “Cher” em seu peito. — Especialmente Barbies Celebridade.
— Barbies Celebridade só seriam importantes se tivessem apetrechos interessantes que você pudesse comprar para elas — disse Aphrodite.
— Ape-o-quê? — Shaunee disse.
— Você parece que engoliu um cara francês e está tentando cuspi-lo — disse Erin, e as Gêmeas deram uma risadinha.
— Esquerda e direita do cérebro – ouçam. Apetrechos-interessantes-igual-coisas-legais, tal como acessórios incomuns — disse Aphrodite, pegando delicadamente uma batata.
— Certo, se você não sabe nada sobre Barbies, sua mãe seriamente te odiava — disse Erin.
— Não é que nós não entendemos isso — Shaunee acrescentou.
— Porque todos que tiveram uma Barbie sabem que você pode comprar coisas para eles — Erin finalizou.
— Sim, coisas legais — Jack concordou.
— Não são legais pela minha definição — Aphrodite disse com um sorriso superior.
— O que seria legal pela sua definição? — Jack perguntou, fazendo Shaunee e Erin gemerem.
— Bem, já que você perguntou, eu diria que seria legal se a Barbie produzisse uma boneca Barbra Streisand, porém você teria que comprar as unhas e o nariz separadamente. E as unhas postiças viriam em lotes de opções de cores diferentes.
Houve um silêncio chocado, e depois Jack, parecendo impressionado, sussurrou: — Isso seria legal.
Aphrodite olhou orgulhosa. — E de modo que uma boneca da Britney Spears careca teria adicionais como um guarda-chuva, um traje obeso, perucas estranhas, e, claro, calcinhas opcionais.
— Eca — disse o Jack, e depois deu uma risadinha. — Sim, e uma boneca Paris Hilton teria um cérebro opcional.
Aphrodite levantou sua sobrancelha pra ele. — Não fique totalmente louco. Há algumas coisas que mesmo Paris Hilton não pode comprar.
Stark estava ali, aturdido, e quando eles todos estouraram em risos, ele pensou que seu cérebro fosse explodir.
— Que diabos está errado com vocês? — gritou para eles. — Como vocês podem rir e fazer piadas como esta? Vocês estão se preocupando com brinquedos quando Zoey está a poucos dias de morrer!
No silêncio chocado, a voz de Thanatos soou anormalmente alto. — Não Guerreiro. Não estão se concentrando em brinquedos. Eles estão se concentrando na vida e em estarem entre os vivos. — A vampira saiu da porta, onde ela e Darius haviam estado observando silenciosamente as crianças. Darius a seguiu, colocando uma bandeja cheia de sanduíches e frutas no meio da mesa. Ele então se juntou a lado de Aphrodite no banco de madeira. — E aproveite isso de alguém que sabe mais do que um pouco sobre a morte – focalizar a vida é o que você deve fazer se quiser manter a respiração neste mundo.
Damien apurou sua voz, chamando o olhar penetrante de Stark para ele. Imperturbável, o calouro encontrou seus olhos e disse: — Sim, isso é apenas uma das coisas que aprendemos com todo este estudo que temos feito.
— Enquanto você estava dormindo — Shaunee murmurou.
— E nós não estávamos — acrescentou Erin.
— Então, o que descobrimos em nossa pesquisa — Damien interrompeu antes que Stark pudesse dizer alguma coisa para as Gêmeas — é que sempre que uma Alta Sacerdotisa sofria um choque tão grande que sua alma despedaçava, seu Guerreiro não parecia ser capaz de permanecer vivo.
Barbies e brigas Gêmeas esquecidas, o rosto de Stark era um ponto de interrogação enquanto ele olhava para Damien e tentava entender o que estava ouvindo. — Você quer dizer que todos os Guerreiros caíram mortos?
— De certa forma — Damien disse.
— Alguns deles se mataram porque eles sabiam que poderiam seguir suas Altas Sacerdotisas para o Outromundo e continuar a protegê-las lá — Thanatos assumiu a explicação.
— Mas não funcionou porque nenhuma das Altas Sacerdotisas retornou, correto? — Disse Stark.
— Correto. O que nós sabemos de Sacerdotisas que, através de sua afinidade espiritual, viajaram para o Outromundo é que as Altas Sacerdotisas perdidas não podiam suportar a morte de seus Guerreiros. Algumas delas foram capazes de curar suas almas no Outromundo, mas preferiram permanecer lá com seus guerreiros.
— Algumas delas se curaram — disse Stark lentamente. — O que aconteceu com as Altas Sacerdotisas que não conseguiram?
Os amigos de Zoey deslocaram-se incômodos, mas a voz de Thanatos permaneceu estável. — Como você aprendeu ontem, se a alma continua despedaçada, a pessoa torna-se um Caoinic Shi, um ser que nunca descansa.
— É como um zumbi, sem a parte de comer pessoas — disse Jack suavemente e depois estremeceu.
— Isso não pode acontecer com Zoey — afirmou Stark. Ele jurou proteger Zoey, e se tivesse que fazer, ele seguiria com o Juramento no Outromundo para se certificar que ela não se tornasse uma espécie horrível de zumbi.
— Mas apesar de que o resultado final era o mesmo, nem todos os Guerreiros mataram-se para seguir suas Altas Sacerdotisas — disse Damien.
— Diga-me sobre os outros — disse Stark. Incapaz de sentar, passeou para cima e para baixo em frente à mesa.
— Bem, era razoavelmente óbvio que nenhum Guerreiro ou Alta Sacerdotisa retornou quando o Guerreiro se matou, então nós encontramos registros de Guerreiros que fizeram um monte de coisas diferentes para tentar chegar ao Outromundo — disse Damien.
— Alguns deles eram loucos – como um que passou fome até que delirou, então ele meio que deixou o seu corpo — disse Jack.
— Ele morreu — disse Shaunee.
— Sim, a história foi brutal. Ele estava gritando muito e estava alucinando e outras coisas mais sobre sua Alta Sacerdotisa e que ela estava partindo, antes que ele realmente batesse as botas — disse Erin.
— Vocês. Não. Estão. Ajudando — Aphrodite disse-lhes.
— Alguns dos Guerreiros se drogaram para entrarem em um estado de transe, e eles realmente conseguiram que seus espíritos deixassem este mundo — continuou Damien, enquanto as Gêmeas reviravam os olhos para Aphrodite. — Mas eles não podiam entrar no Outromundo. Nós sabemos porque eles voltaram ao seu corpo em tempo suficiente para dizer às testemunhas que tinham falhado. — Damien parou ali, olhando Thanatos.
Ela tomou a história. — Então os guerreiros morreram. Cada um deles.
— Falhar em proteger suas Altas Sacerdotisas os matou — disse Stark, com sua voz completamente inexpressiva.
— Não, virar suas costas à vida os matou — Darius corrigiu.
Stark se virou para ele. — Será? Se Aphrodite morresse porque você não pôde protegê-la, você não iria preferir a morte ao invés de viver a vida sem ela?
Aphrodite não deu a Darius uma chance de responder. — Eu estaria super chateada se ele morresse! Isso é o que eu estava tentando dizer-lhe lá em cima. Você não pode ficar olhando para trás – não para Zoey, não para o passado, nem mesmo para voltar ao seu Juramento. Você tem que seguir em frente e encontrar uma nova maneira de viver, uma nova forma de protegê-la.
— Então, me diga uma coisa, qualquer coisa que você encontrou em todos esses malditos livros que podem me ajudar em vez de apenas mostrar-me como outros Guerreiros falharam.
— Eu vou te dizer uma coisa que eu não li em um livro. Stevie Rae acidentalmente invocou o touro branco na noite passada.
— Escuridão! Um calouro chamou a Escuridão a este mundo? — Thanatos olhou como se Aphrodite tivesse acabado de explodir uma bomba no meio da sala.
— Ela não é uma caloura. Ela é como Stark, um vampiro vermelho, mas sim. Ela o fez. Em Tulsa. E foi um acidente. — Ignorando o olhar chocado de Thanatos, Aphrodite puxou um pedaço de papel do bolso e leu: — O touro disse: “O Guerreiro deve olhar para o seu próprio sangue para descobrir a ponte de entrada para a Ilha das Mulheres, então ele precisa vencer a si mesmo para entrar na arena. Somente reconhecendo um antes do outro ele vai se juntar à sua Sacerdotisa. Depois de encontrá-la, é sua escolha e não dele que ela volte.” — Aphrodite olhou para cima. — Alguém tem ideia do que isso pode significar? — Ela balançou o papel nas mãos em círculos, e Damien pegou-o, já relia-o enquanto Jack espreitava por cima do ombro.
— Qual o preço que a Escuridão cobrou para esse conhecimento? — Thanatos perguntou. O rosto dela estava absolutamente branco. — E como ela sobreviverá ao pagamento do mesmo sem perder sua mente ou sua alma?
— Isso é o que eu me perguntava, especialmente depois que Stevie Rae me disse o quão ruim era o touro branco. Ela disse que não achava que alguma coisa pudesse derrotá-lo, exceto o touro negro, que foi como ela conseguiu fugir dele.
— Ela invocou o touro negro também? — Thanatos disse. — Isso é quase inacreditável.
— Stevie Rae tem algumas loucas habilidades da terra — disse Jack.
— Sim, isto é como ela disse que aconteceu com o touro bom em Tulsa. Ela tirou o poder da terra para chamá-lo — disse Aphrodite.
— E você confia nesta vampira Stevie Rae?
Aphrodite hesitou. — Na maioria das vezes.
Stark esperou pelo menos uma das crianças sobressaltar e corrigir Aphrodite, mas todos eles ficaram em silêncio até Damien dizer: — Por que você pergunta sobre confiar em Stevie Rae?
— Por causa das poucas coisas que eu sei sobre as crenças antigas de Luz e Escuridão simbolizadas nos touros, uma delas é que eles sempre cobram um preço para os seus favores. Sempre. Responder a pergunta de Stevie Rae era um favor da Escuridão.
— Mas ela chamou o touro bom e este chutou bunda do touro ruim. Que livrou Stevie Rae de pagar um preço para ele — disse Jack.
— Então ela em seguida deve pagamento ao touro negro — disse Thanatos.
Os olhos de Aphrodite se estreitaram. — Isso é o que ela estava falando, quando ela disse que não iria nunca invocar um dos touros mais uma vez, porque o preço era muito alto.
— Eu acho que você deve observar sua amiga e descobrir que pagamento ela prestou ao touro negro — disse Thanatos.
— E por que ela não me disse sobre isso — adicionou Aphrodite.
Os olhos de Thanatos pareciam velhos e tristes enquanto ela disse, — Apenas lembre-se que há consequências para tudo, seja bom ou ruim.
— Podemos parar de olhar para trás para o que aconteceu com Stevie Rae? — Disse Stark. — Eu preciso seguir em frente. Para Skye e a ponte de sangue. Então vamos começar.
— Ei, garotão — Aphrodite disse a ele. — Acalme-se por um segundo. Você não pode simplesmente aparecer na Ilha das Mulheres e vagar ao redor procurando uma ponte de sangue. O feitiço de proteção de Sgiach vai chutar o seu traseiro – como em matar você morto.
— Eu não acho pretensão de Stark estar à procura de algo literal — disse Damien, estudando a nota de Aphrodite novamente. — Ela diz para olhar para o seu sangue para descobrir a ponte, não olhar para uma ponte de sangue.
— Ugh, metáfora. Apenas mais um motivo para eu seriamente odiar poesia — Aphrodite disse.
— Eu sou bom em metáforas — disse Jack. — Deixe-me ver. — Damien entregou-lhe o papel. Jack mordeu o lábio enquanto lia a linha novamente. — Hum, se você tivesse um Imprint com alguém, eu diria que isso significava que deveríamos falar com esta pessoa, e talvez ela saberia alguma coisa.
— Eu não tenho Imprint com ninguém — disse Stark, começando a andar novamente.
— Então, isso pode significar que é preciso olhar para quem você é – que há algo sobre você que é uma chave para a ficar na ilha de Sgiach — Damien disse.
— Eu não sei nada! Esse é o problema!
— Ok, ok, que tal olharmos para as anotações que fizemos sobre Sgiach para ver se há algo lá que soa como um sino para você — disse Jack, fazendo gestos de consolo em Stark.
— Sim, fique frio — Shaunee disse.
— Sente-se e coma um sanduíche. — Erin fez um gesto para o fim da sua bancada com o sanduíche que ela começou a mastigar.
— Coma — disse Thanatos, levando um sanduíche e sentando ao lado de Jack. —Concentre-se na vida.
Stark reprimiu um grunhido frustrado, pegou um sanduíche, e sentou.
— Oh, puxe esse gráfico que fizemos — disse Jack, espiando por cima do ombro de Damien enquanto ele folheava as notas que tinha feito. — Algumas dessas coisas ficam confusas e apoio visual sempre ajuda.
— Boa ideia – aqui está. — Damien arrancou um pedaço de papel do bloco amarelo que ele tinha quase preenchido com anotações. No topo ele tinha elaborado um grande guarda-chuva aberto. De um lado do guarda-chuva ele tinha escrito LUZ e no lado oposto, ESCURIDÃO.
— O guarda-chuva de Luz e Escuridão é uma boa imagem — disse Thanatos. — Isso mostra que as duas forças são abrangentes.
— Essa foi minha ideia — disse Jack, enrubescendo um pouco.
Damien sorriu para ele. — Muito bem, você. — Então ele apontou para a coluna abaixo da Luz. — Então sob a força da luz eu listei: bom, o touro negro, Nyx, Zoey, e nós. — Fez uma pausa, e todos concordaram. — E na Escuridão eu tenho: mal, o touro branco, Neferet/Tsi Sgili, Kalona, e Corvos Escarnecedores.
— Eu vejo que você tem Sgiach colocada no meio — disse Thanatos.
— Sim, juntamente com rodelas de cebola, Hostess Ding Dongs e meu nome — disse Aphrodite. — O que diabos isso significa?
— Bem, eu não acho que nós determinamos se Sgiach é uma força da Luz ou Escuridão — disse Damien.
— Eu adicionei os anéis de cebola e Ding Dongs — disse Jack. Quando todo mundo só olhava para ele, ele deu de ombros e explicou, — anéis de cebola são fritos e engorda, mas uma cebola é um vegetal. Então, eles não são bons para você? Talvez? E, bem, Ding Dongs são chocolate, mas eles têm creme no meio. Não é que os laticínios são saudáveis?
— Eu acho que você está com danos cerebrais — disse Aphrodite.
— Nós adicionamos seu nome — disse Erin.
— Sim, porque nós pensamos que você é como a Rachel em Glee — Shaunee disse. —Super chata, mas ela tem que estar no show, porque às vezes ela vem com coisas boas e tipassim salva o dia.
— Mas acho que ela ainda é uma bruxa do inferno. Assim como você — Erin terminou, dando um sorriso doce para Aphrodite.
— Em todo caso — Damien rapidamente apagou os anéis de cebola, os Ding Dongs e o nome de Aphrodite, colocou o gráfico no meio da mesa, e depois voltou para o bloco amarelo — aqui vai uma informação que nós encontramos sobre Sgiach — Damien disse procurando através das notas que ele tinha feito. — Ela é considerada uma rainha dos Guerreiros. Muitos dos Guerreiros usaram sua ilha para treinar, assim que um bando de Filhos de Erebus iam e vinham, mas os guerreiros que ficaram com ela, juraram seu serviço.
— Espera, Sgiach teve mais de um Guerreiro Jurado? — Stark interrompeu.
Damien assentiu. — Aparentemente ela tinha um clã inteiro deles. Só que eles não se chamavam Filhos de Erebus. Seu título era... — Damien fez uma pausa, virando as páginas. — Aqui está. Eles eram chamados de Guardiões da Dama.
— Por que Dama? — Stark perguntou.
— É uma metáfora — Aphrodite disse, revirando os olhos. — Mais uma. Isto é como eles chamavam Sgiach. Ela simboliza a rainha do seu Clã.
— Eu acho que este lance de clã Escocês é uma coisa legal — disse Jack.
— Claro que sim — disse Aphrodite. — Os caras de saias são seu sonho de consumo.
— Kilt, não saia — disse Stark. — Ou xadrez. E se você está falando sobre um que é verdadeiramente velho e grande, você deve chamá-lo de philamore.
Aphrodite levantou uma sobrancelha loira para ele. — E você sabe disso porque você gosta de usá-los?
Ele deu de ombros. — Eu não, mas meu avô costumava usar.
— Você é escocês? — A voz de Damien estava incrédulo. — E somente agora você está nos dizendo?
Stark deu de ombros novamente. — O que minha família humana tem a ver com isso? Eu nem sequer falei com eles em quase quatro anos.
— Não é apenas uma família — a voz de Damien levantou-se com tanto entusiasmo que ele dobrou completamente as páginas de suas anotações novamente.
— Oh, pelo amor do saco plástico. Sua família é o seu sangue, imbecil — disse Aphrodite. — Qual era o sobrenome de seu avô?
Stark franziu a testa para Aphrodite.
— MacUallis — disseram Stark e Damien juntos.
— Como você sabia disso? — Stark perguntou.
— O Clã MacUallis que eram os Guardiões da Dama. — Damien sorriu vitorioso, segurando a página de suas anotações que continha as seguintes palavras: CLÃ MACUALLIS = GUARDIÕES DA DAMA para todo mundo ver.
— Parece que encontramos a nossa ponte de sangue — disse Jack, abraçando Damien.

Um comentário:

  1. vai tomar um suco,agora vai entrai hilander...kkkkkk

    ResponderExcluir

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Os comentários estão demorando alguns dias para serem aprovados... a situação será normalizada assim que possível. Boa leitura!