5 de outubro de 2015

Capítulo 15 - Aphrodite

— Sério, garotos gays. Só voltem para cama – juntos – eesh. Eu preciso do meu vampiro pelo resto da noite.
Aphrodite estava parada, com os braços cruzados, dentro do quarto que Darius, Damien, Jack, e Duquesa estavam dividindo. Ela notou, com uma vaga irritação, que Jack, Damien e Duquesa estavam em uma cama juntos. Claro, eles a faziam lembrar-se de filhotinhos, mas não era exatamente justo que os pinguins não tivessem problemas com eles dormindo juntos e ao mesmo tempo banissem ela para um quarto com Zoey. Ou pelo menos, elas tentaram.
— O que foi, Aphrodite? Qual o problema? — Darius correu até ela, colocando a cabeça por cima de seu peito totalmente lindo com uma mão e colocando seu sapato com a outra. Como sempre, Darius tinha entendido antes de todo mundo estar completamente funcional – outra razão por ela ter se apaixonado por ele.
— Tudo está bem. É só que Zoey está dormindo com Stark. Em nosso quarto. E não acho bom ficar lá desse jeito. Então vamos fazer uma pequena troca de quarto própria.
— Tudo está bem com Zoey? — Damien perguntou.
— Meu palpite é que agora tudo está mais do que bem com ela — Aphrodite disse.
— Eu não achei que Stark estava afim de, bem, coisas — Jack disse delicadamente. Ele parecia adormecido, com seu cabelo amassado e olhos inchados. Aphrodite pensou que ele parecia ainda mais com um filhote do que o normal, e realmente fofo. É claro ela desviou o olhar antes de admitir isso em voz alta.
— Ele conseguiu subir no último andar, então acho que ele está curado.
— Ooooh, Erik não vai gostar disso — Jack disse feliz. — Vai haver muito drama de namorado amanhã.
— O drama acabou nesse departamento. Z chutou Erik hoje mais cedo.
— Ela chutou! — Damien disse.
— Yeah, e já era hora, também. A merda possessiva dele tinha que ir — Aphrodite disse.
— E ela está realmente bem? — Damien perguntou. Aphrodite não gostava do olhar tipicamente afiado de Damien. Ela absolutamente não ia entrar no fato que Kalona tinha entrado no sonho de Zoey, e que era por isso que Stark estava dormindo com ela. Ela não ia falar sobre sua visão – algo que ela estava feliz por culpar Zoey, e definitivamente ela iria quando no futuro, Damien ficasse irritado por ela ter mantido a boca fechada. Então, ela deu uma de Miss Metida, erguendo uma sobrancelha perfeita e dando a ele a sua típica careta de continue-a-fazer-eles-adivinharem.
— Quem é você, a mãe gay dela? — Como Aphrodite sabia que ele faria, a fúria de Damien cresceu.
— Não, eu sou amigo dela!
— Por favor. Bocejo. Como se todos não soubéssemos disso. Zoey. Está. Bem. Deusa, tente dar a ela um espaço para respirar.
Damien franziu. — Eu deixo ela respirar. Só estou preocupado com ela, só isso.
— Onde está Heath? Ele sabe sobre a separação com Erik e que ela, bem, está dormindo com Stark? — Jack terminou sua frase em um sussurro.
Aphrodite virou os olhos. — Eu não podia me importar menos com onde Heath está, e a não ser que Zoey precise de um lanchinho eu acho que ela provavelmente também não está muito interessada onde ele está. Ela está ocupada — ela anunciou claramente. Aphrodite não gostava de ferir os sentimentos de Damien e do seu namorado Jack, mas cortar eles era o único jeito de manter Damien longe dos assuntos dela, e isso de vez em quando nem funcionava 100%. Ela virou para Darius, que estava parado perto dela observando-a de perto com uma expressão que era uma mistura de diversão e preocupação.
— Pronto para ir, bonitão?
— É claro. — Ele olhou para Damien e Jack antes de fechar a porta. — Vejo vocês dois no por do sol.
— Ok! — Jack respondeu enquanto Damien só olhava duramente para ela.
No corredor Aphrodite só deu alguns passos quando Darius pegou o pulso dela e a fez parar. Antes dela poder dizer alguma coisa, ele pôs a mão em seus ombros e a olhou nos olhos. — Você teve uma visão — ele disse simplesmente. Aphrodite sentiu seus olhos se encherem de lágrimas. Ela era totalmente e absolutamente louca por esse cara enorme que a conhecia tão bem, e que parecia se importar tanto com ela.
— Yeah.
— Você está bem? Você está pálida e seus olhos ainda estão injetados de sangue.
— Estou bem — ela disse, embora mesmo para seus ouvidos não tenha soado convincente. Ele a colocou em seus braços e ela deixou ele segurar ela, confortável além de qualquer palavras pela força dele.
— Foi tão ruim quanto da última vez? — ele perguntou.
— Foi pior. — O rosto afundando contra seu peito, ela falou em uma voz tão suave e doce que teria chocado quase todo mundo que ela conhecia.
— Outra visão da morte de Zoey?
— Não. Dessa vez foi o fim do mundo, mas Zoey também estava lá.
— Vamos voltar até ela?
— Não, ela realmente está dormindo com Stark. Parece que Kalona anda entrando em seus sonhos e dormir com um cara ajuda a afastar ele.
— Bom — Darius disse. Houve um som no fim do corredor, e Darius puxou ela em um canto numa sombra enquanto uma freira passava, inconsciente à presença deles.
— Hey, falando em dormir – eu sei que Z é a grande Alta Sacerdotisa, mas ela não é a única que precisa do seu sono de beleza — Aphrodite sussurrou quando eles estavam sozinhos no corredor de novo. Darius deu a ela um olhar considerando.
— Você tem razão. Você deve estar exausta, especialmente depois de ter uma visão.
— Eu não estava falando sobre mim, Sr. Macho. Eu estava pensando sobre onde podemos ir no caminho para cá e bolei uma ideia – uma ideia brilhante, se posso dizer. Darius sorriu. — E eu tenho certeza que você pode.
— É claro. De qualquer forma, eu lembro de você ter dito as enfermeiras pinguins que Stark não deveria ser interrompido por pelo menos umas sólidas 8 horas. Então, ele não está em seu quarto muito privado, escuro, e aconchegante. Ao invés disso ele está tragicamente vazio. —Aphrodite passou o nariz pela lateral do pescoço dele, se ergueu na ponta dos pés e mordeu a orelha dele. Ele riu e colocou o braço ao redor dela.
— Você é brilhante. — No caminho até o quarto vago de Stark, Aphrodite contou a ele sobre sua visão, e sobre o sonho de Zoey. Ele ouviu ela com a quieta atenção que tinha sido a segunda coisa em relação a ele que tinha a atraído. A primeira sendo a gostosura dele, é claro.
O quarto de Stark era aconchegante e escuro, iluminado por uma única vela. Darius colocou uma cadeira na porta, contra a maçaneta, efetivamente impedindo qualquer um de pegar eles de surpresa. Então ele passou para uma cômoda no canto do quarto e tirou lençóis e cobertores novos, que ele pôs na cama, dizendo algo sobre não querer que ela fosse dormir nos lençóis de um vampiro ferido. Aphrodite observou ele enquanto tirava suas botas e jeans, e então tirou seu sutiã debaixo de sua camiseta. Ela pensou sobre o quão estranho era ter alguém cuidando dela – alguém que parecia gostar dela por ela mesma, o que era uma surpresa total. Caras gostam dela porque ela é quente, ou porque ela era rica, popular, e um desafio, ou, mais geralmente, simplesmente porque ela era uma vadia. Sempre surpreendeu ela quantos caras gostam de vadias. Caras não gostavam dela porque ela era Aphrodite. Na verdade, os caras normalmente não tiravam o tempo para descobrir quem ela era debaixo daquele bom cabelo, pernas longas, e atitude. Mas o maior choque de todos sobre a relação dela com Darius, e estava definitivamente se tornando um relacionamento, era o fato de que eles não tinham transado. Ainda. Claro, todo mundo acreditava que eles estavam fazendo como coelhos, e ela deixava eles acreditarem que eles estavam – ela até encorajava eles a acreditarem. Mas eles não estavam. E de alguma forma, isso não parecia estranho. Eles dormiram juntos, e até ficaram muito, mas eles só tinham ido até aí. Com uma realização chocante, Aphrodite entendeu o que estava acontecendo entre ela e Darius – eles estavam indo devagar e conhecendo um ao outro. Realmente, verdadeiramente conhecendo um ao outro, e ela descobriu que gostava de ir devagar quase tanto quanto ela gostava de conhecer Darius. Eles estavam se apaixonando!
Esse terrível pensamento fez os joelhos de Aphrodite ficarem fracos tão repentinamente que ela se afastou até a cadeira que estava no canto do quarto e, se sentindo tonta, sentou. Darius terminou de fazer a cama e olhou confuso do outro lado do quarto, para ela.
— O que você está fazendo aí?
— Só sentando — ela disse quieta.
Ele virou sua cabeça para o lado. — Você está mesmo bem? Você disse que queimou junto com os vampiros em sua visão. Você ainda está sentindo os efeitos disso? Você parece pálida.
— Estou com um pouco de sede, e meus olhos ainda doem, mas estou bem.
Quando ela continuou sentada sem se mexer para ir até a cama, ele deu um confuso sorriso e disse, — Você não está cansada?
— Yeah, yeah, estou.
— Devo pegar água para você?
— Oh, não! Eu mesma pego. Sem problemas. — Aphrodite levantou como aqueles fantoches com barbantes e andou até a pia do lado oposto do quarto. Ela estava enchendo um cone de papel com água quando Darius de repente estava atrás dela. As mãos fortes dele estavam em seus ombros de novo. Dessa vez seus polegares gentilmente começaram a massagear os músculos super tensos do seu pescoço.
— Você carrega toda sua tensão aqui — ele disse, trabalhando do seu pescoço para seus ombros. Aphrodite bebeu a água e então não conseguiu se fazer mexer. Darius massageou seus ombros silenciosamente, deixando seu toque dizer a ela o quanto ele se importava com ela. Finalmente, ela permitiu o copo deslizar dos seus dedos. Sua cabeça foi para frente e Aphrodite deu um profundo e contente suspiro.
— Suas mãos são totalmente mágicas.
— Qualquer coisa por você, minha senhora.
Aphrodite sorriu e se inclinou nas mãos dele, se permitindo relaxar mais e mais. Ela amava que Darius tratasse ela como se ela fosse sua Alta Sacerdotisa, embora ela não tivesse Marca e nunca seria uma vampira. Ela amava que ele não tivesse dúvidas que ela era especial para Nyx – que ela era Escolhida pela deusa. Ele tão obviamente não se importava se uma Marca vinha junto com isso ou não. Ela amava que ele – Ohminhadeusa! Ela amava ele! Puta merda!
A cabeça de Aphrodite se ergueu e ela virou tão rápido que Darius deu um curto e surpreso passo para trás, automaticamente dando espaço para ela.
— O que foi? — ele perguntou.
— Eu te amo! — ela falou, e então pressionou sua mão contra sua boca, como se estivesse tentando, tarde demais, impedir as palavras de saírem. O sorriso do guerreiro foi longo e devagar.
— Estou feliz por ouvir você dizer isso. Estou apaixonado por você também. — Os olhos de Aphrodite começaram a se encher de lágrimas e ela piscou muito para impedir elas enquanto ela passava por ele.
— Deusa! Isso é uma droga! — Ao invés de responder a explosão dela, Darius simplesmente observou ela andar até a cama. Aphrodite podia sentir o olhar dele nela, enquanto ela considerava se deveria sentar na cama, ou entrar nela. Finalmente, ela não fez nenhum dos dois, decidindo que ela não gostava da ideia que ela criaria na cama. Ela já se sentia vulnerável e exposta o bastante parada ali com sua camiseta, calcinha e mais nada. Ela virou para encarar Darius.
— O que? — ela surtou. Ele virou sua cabeça. Um sorriso triste se ergueu no canto de seus lábios. Ela achou que os olhos dela pareciam décadas mais velhos do que o resto do rosto dele.
— Seus pais não estão apaixonados, Aphrodite. Pelo que você dividiu comigo sobre eles, eles podem não serem capazes de sentir essa emoção por ninguém, e isso inclui você.
Ela ergueu seu queixo e encontrou seu olhar. — Então me diga algo que eu não sei.
— Você não é sua mãe. — Ele disse as palavras gentilmente, mas ela as sentiu como se ele tivesse arremessado facas que tinham se encravado dentro do coração dela.
— Eu sei disso! — Ela falou através de lábios que de repente estavam gelados.
Darius se moveu devagar em direção a ela. Aphrodite pensou o quão gracioso ele era – o quão poderoso ele sempre parecia. Ele amava ela? Como? Por quê? Ele não percebia que vadia horrível ela era?
— Você sabe mesmo disso? Você é capaz de amar, mesmo que sua mãe não seja — ele disse a ela. Mas eu sou capaz de estar apaixonada? Ela queria gritar a pergunta, mas ela não podia. Orgulho, que falou mais alto para ela do que a compreensão nos olhos de Darius, impediu as palavras. Ao invés disso ela fez o que a fazia se sentir segura – ela foi para ofensiva.
— É claro que sei disso. Mas toda essa coisa entre nós ainda é uma droga. A verdade é que você é um vampiro. Eu sou humana. O máximo que posso ser para você seria sua consorte, e eu nem posso ser isso porque eu já tenho um Imprint fodido com a idiota Stevie Felizinha Rae – um Imprint que eu não pareço ser capaz de me livrar mesmo que você me morda também. — Aphrodite pausou, tentando não lembrar da ternura que Darius mostrou a ela quando ele bebeu dela, embora para ele, o sangue com Imprint dela fosse manchado. Ela tentou, sem sucesso, não pensar no prazer e paz que ela encontrou nos braços dele, tudo sem fazer sexo com ele.
— Não acho que você esteja certa sobre isso. Você não é apenas humana, e seu Imprint com Stevie Rae não nos afeta. Eu vejo como mais evidências da sua importância para Nyx. Ela sabe que Stevie Rae precisa de você.
— Mas você não precisa de mim — Aphrodite disse amargamente.
— Eu preciso de você — ele corrigiu ela firmemente.
— Para que? Não estamos nem fudendo!
— Aphrodite, porque você está fazendo isso? Você sabe que eu te desejo, mas você e eu somos mais do que corpos e luxuria. Estamos conectados além de você.
— Eu não vejo como! — Aphrodite estava perigosamente perto de chorar de novo, o que fez ela ficar ainda mais irritada.
— Eu vejo. — Ele fechou o resto do espaço entre eles e, colocando uma das suas mãos na dela, Darius caiu de joelhos diante dela.
— Eu preciso lhe pedir algo.
— Oh, deusa! O que? — Ele ia fazer algo ridículo como pedir a ela para se casar com ele? Ele colocou sua mão em punho sobre seu coração e olhou nos olhos.
— Aphrodite, Amada Profetisa de Nyx, eu peço que você aceite meu Juramento de Guerreiro. Juro a você esse dia que eu prometo proteger você com meu coração, minha mente, meu corpo, e minha alma. Eu prometo pertencer a você antes de a todos os outros, e ser seu guerreiro até que eu dê meu último suspiro nesse mundo, e além, se nossa deusa assim desejar. Você aceita meu juramento?
Aphrodite estava cheia de uma incrível alegria. Darius queria ser Guerreiro dela! Mas essa alegria teve vida curta quando ela pensou nas repercussões de seu juramento.
— Você não pode ser meu Guerreiro. Zoey é sua Alta Sacerdotisa. Se você vai se jurar a alguém, tem que ser ela. — Aphrodite odiou dizer as palavras – e odiou ainda mais pensar em Darius de joelhos diante de Zoey.
— Zoey é minha Alta Sacerdotisa, assim como ela é sua, mas ela já tem um Guerreiro. Eu testemunhei o entusiasmo do jovem Stark por sua posição de juramento. Ela não precisará de outro guerreiro protegendo ela. E também, Zoey já me deu sua benção para me jurar a você.
— Ela fez isso? — O guerreiro acenou solenemente.
— Era apenas o certo eu explicar a Zoey o que eu pretendia.
— Então isso não é apenas um impulso? Você pensou mesmo nisso?
— É claro. — Ele sorriu para ela. — Eu quero te proteger para sempre.
Aphrodite balançava a cabeça de lado a lado. — Você não pode. — O sorriso de Darius desapareceu.
— Meu juramento é meu para dar, então isso não é impedimento. Eu sou jovem, mas minhas habilidades são vastas. Eu tenho certeza que posso proteger você.
—Eu não quis dizer isso! Eu sei que você é bom – você é muito bom! Esse é o problema.
Silenciosamente Aphrodite começou a chorar.
— Aphrodite, eu não entendo.
— Porque você iria querer ser jurado a mim? Eu sou uma vaca total! — O sorriso dele retornou.
— Você é única.
Aphrodite balançou a cabeça.
— Eu vou machucar você. Eu sempre magoo todo mundo que se aproxima de mim.
— Então é uma coisa boa eu ser um guerreiro forte. Nyx foi sábia em me dar para você, e estou mais que contente com a escolha da nossa deusa para mim.
— Por quê? — Lágrimas estavam escorrendo pelas bochechas de Aphrodite agora, pingando de seu queixo e encharcando sua camiseta.
— Porque você merece alguém que te valorize além da saúde e beleza e status. Você merece alguém que te valorize pelo que você é. Agora, eu pergunto de novo, você aceita meu juramento?
Aphrodite olhou para seu rosto lindo e forte, e algo dentro dela se libertou, e ela viu seu futuro no olhar honesto e intrépido dele.
— Sim, eu aceito seu juramento — ela disse.
Com um grito de alegria, Darius levantou e colocou sua profetisa nos braços. Então ele a segurou gentilmente até o por do sol enquanto ela chorava para fora a triste e solidão e raiva que esteve por tempo demais ligado a seu coração.

7 comentários:

  1. Ele disse as palavras gentilmente, mas ela as sentiu como se ele tivesse arremessado facas que tinham se encravado dentro do coração dela.
    Essa parte é muito linda!!!!!!

    ResponderExcluir
  2. OH MY GOD!!!!!
    MORRENDO AQUI!!!
    VOMITANDO MINHAS TRIPAS EM FORMA DE ARCO-ÍRIS!!!
    ♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥

    ResponderExcluir
  3. Como eu fiquei emocionada com esses dois!! Um dos meu casal favorito desse livro 💗💗💗💗💗💗💗💗💗

    ResponderExcluir
  4. Esse casal ❤❤❤❤❤ um dos melhores

    ResponderExcluir
  5. gente, que lindooooo!!!! eu ate chorei,um dos meus casais favritos
    ASS:Leticia

    ResponderExcluir
  6. Estou aqui chorando que nem uma baitola. QUE LINDOS <3 SÃO DEFINITIVAMENTE MEU CASAL FAVORITO. Shippo muito

    ResponderExcluir

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Os comentários estão demorando alguns dias para serem aprovados... a situação será normalizada assim que possível. Boa leitura!