5 de outubro de 2015

Capítulo 14 - Zoey

— Zoey! Você está ai? Me deixe entrar! — Em menos de um segundo eu estava fora da cama e na porta. Eu a abri para encontrar Stark inclinado contra o batente da porta.
— Stark? O que você está fazendo fora da cama? — Ele estava usando calças hospitalares e nenhuma camisa. O peito dele estava coberto por uma enorme atadura branca que se envolvia ao redor do seu dorso. O rosto dele era da cor de um osso, e um caminho de suor estava sobre sua testa. Ele estava respirando curta e irregularmente e parecia que ia cair a qualquer segundo. Mas na sua mão direita ele segurava seu arco, e ele tinha uma flecha.
— Merda! Traga ele para cá antes dele desmaiar. Se ele cair, nunca vamos erguer ele de novo, e ele é grande demais pra arrastar. — Eu tentei agarrar Stark, mas me surpreendendo com sua força, ele me afastou.
— Não, estou bem — ele disse, olhando para o quarto e ao redor de nós como se esperasse que alguém pulasse para fora do armário. — Não vou desmaiar — ele disse enquanto controlava sua respiração. Eu dei um passo na frente dele, chamando sua atenção de volta para mim.
— Stark, não tem ninguém aqui. O que você está fazendo aqui? Você não deveria nem estar fora da cama, muito menos subindo escadas.
— Eu te senti. Você estava apavorada. Então vim até você.
— Eu tive um pesadelo, só isso. Eu não estava em perigo.
— Kalona? Ele estava no seu sonho de novo?
— De novo? Há quanto tempo você tem sonhado com ele? — Aphrodite perguntou.
— A não ser que você esteja dormindo com alguém, e eu não me refiro a apenas um colega de quarto, Kalona pode entrar nos seus sonhos sempre que quiser — Stark disse.
— Isso não soa bom.
— São só sonhos — eu disse.
— Sabemos disso com certeza? — Aphrodite perguntou. Ela dirigiu a pergunta a Stark, mas eu respondi ela.
— Bem, não estou morta. Então são apenas sonhos.
— Não está morta? Você precisa explicar isso — Stark disse. A respiração dele tinha se nivelado, e embora ele ainda parecesse pálido, ele soava como um perigoso Guerreiro que estava pronto para cumprir seu juramento e proteger sua Alta Sacerdotisa.
— No sonho dela, Zoey se atirou de um penhasco para fugir de Kalona — Aphrodite disse.
— O que ele fez com você? — A voz de Stark era baixa e cheia de raiva.
— Nada! — eu disse rápido demais.
— Isso porque você pulou de um penhasco antes dele poder fazer alguma coisa — Aphrodite disse.
— O que ele estava tentando fazer? — Stark me perguntou. Eu suspirei.
— O mesmo de sempre. Ele quer me controlar. Não é assim que ele coloca, mas é o que ele quer, e eu não vou ceder ao que ele quer. — A mandíbula de Stark se fechou com mais força.
— Eu deveria saber que ele ia tentar te pegar através dos seus sonhos. Eu conheço os truques dele! Eu deveria ter me certificado que você dormisse com Heath ou Erik.
Aphrodite bufou. — Essa é novidade. Namorado número 3 quer que você durma com o namorado 1 ou 2.
— Eu não sou o namorado dela! — Stark praticamente rosnou. — Eu sou o Guerreiro dela. Eu dei meu juramento para proteger ela. Isso significa mais do que uma idiota paixão ou um ciúme ridículo.
Aphrodite o encarou; pela primeira vez ela não parecia saber o que dizer.
— Stark, foi apenas um sonho — eu disse muito mais convencida do que eu me sentia. — Não importa quantas vezes Kalona me incomode em meus sonhos, o resultado vai ser o mesmo. Eu não vou ceder a ele.
— É melhor você se certificar disso porque se você ceder, o resto de nós vai estar numa merda séria — Aphrodite disse.
— O que ela quer dizer?
— Ela teve outra visão, só isso.
— Só isso? Em falar em ser depreciativa. — Ela deu a Stark um longo olhar. — Então, Garoto Flecha, se você dormir com Zoey, isso irá impedir Kalona de entrar nos sonhos dela?
— Deverá — Stark disse.
— Então eu acho que você deveria dormir com Zoey, e já que três definitivamente é muito cheio numa situação dessas, estou saindo fora.
— Onde você vai? — eu perguntei.
— Onde Darius estiver, e, não, eu não dou a mínima se irritar os pinguins. Sério, eu tenho uma enorme dor de cabeça. Então eu vou apenas dormir, mas vou dormir com meu vampiro. E é só isso.
Ela pegou suas roupas e bolsa. Eu achei que ela ia para o banheiro e se trocar antes de encontrar Darius, o que me fez lembrar que eu estava parada ali com minha própria camisola de avó. Eu sentei na cama e suspirei. Oh, yeah, ele já tinha me visto nua, o que era mais embaraçoso do que camisola de vovó. Meus ombros caíram. Deusa, para uma garota com vários namorados, eu estava seriamente danificada no departamento de olhe-o-quão-legal-eu-sou. Antes de Aphrodite sair pela porta, eu chamei, — Não diga nada sobre sua visão até eu ter a chance de pensar mais. Eu quero dizer — eu continuei com pressa, — você pode contar a Darius, mas só isso, ok?
— Eu entendi. Você quer evitar histeria. Tanto faz. Eu não sou muito a fim de ouvir a horda de nerd e o resto dos guinchos em massa. Durma um pouco, Z. Te vejo no por do sol.
Ela deu a Stark um pequeno aceno e então fechou a porta atrás dela. Stark veio até minha cama, sentando pesadamente ao meu lado. Ele fez uma careta quando a dor no seu peito deve ter sido finalmente registrada. Ele colocou seu arco e flecha ao lado da mesa e me deu um sorriso.
— Então, não vou precisar deles?
— Você acha?
— O que significa que minhas mãos agora estão convenientemente livres. — Ele abriu seus braços para mim e me deu um olhar convencido. — Porque você não vem aqui, Z?
— Espere. — Eu corri até a janela, comprando tempo enquanto me perguntava como podia ir dos braços de um homem para o outro. — Eu definitivamente não posso descansar até me certificar que você não vai incinerar — eu tagarelei. Enquanto eu estava fechando as cortinas eu não consegui resistir em espiar, e fui recompensada com a vista de um dia que incluía pouquíssima luz. Era um mundo cinza silencioso com gelo e desânimo. Nada estava se movendo. Era como se a vida do lado de fora da abadia, junto com as árvores e grama e a falta de energia, tivesse congelado. — Bem, eu acho que isso explica como você chegou até aqui sem fritar. Não tem sol lá fora. — Eu continuei olhando para a janela, hipnotizada pelo mundo transformado em gelo.
— Eu sabia que não corria perigo — Stark disse da cama. — Eu podia sentir que o sol nasceu, mas não brilhava por causa de todo o gelo e nuvens. Era seguro para eu vir até você. — Então ele acrescentou, — Z, dá pra vir aqui! Minha mente está me dizendo que você está bem, mas meu instinto diz que você ainda está um pouco abatida.
Eu virei, surpresa pelo tom convencido da voz dele ter sumido. Eu saí da janela e pus a mão na dele, sentando na beira da cama. — Eu estou bem – muito melhor do que você, no momento, para você vir correndo para cá no meio da manhã ensolarada.
— Quando senti seu medo, eu tive que vir. Mesmo arriscando minha própria vida. Isso é parte do juramento que fiz a você.
— Mesmo? — Ele acenou, sorriu, e levantou minha mão para seus lábios. — Verdade. Você é minha senhora e minha Alta Sacerdotisa. Eu sempre vou te proteger.
Eu segurei o rosto dele com minha mão e não consegui para de olhar para ele, por algum motivo isso de repente me fez chorar.
— Hey, não faça isso – não chore. — Ele tirou as lágrimas da minha bochecha. — Venha aqui até mim.
Sem falar nada, eu deslizei para o lado dele, tendo cuidado para não bater no seu peito. Ele colocou os braços ao meu redor e eu me inclinei contra ele, esperando que o calor do seu toque pudesse limpar a memória da paixão fria de Kalona. — Ele faz de propósito, sabe? — Eu não tinha que perguntar. Eu sabia que ele estava falando de Kalona. Stark continuou falando. — Não é real – as coisas que ele te faz sentir. É isso que ele faz. Ele encontra a fraqueza das pessoas e a usa. — Stark pausou, e eu percebi que ele queria dizer mais. Eu não queria ouvir. Eu só queria me enrolar, e na segurança dos braços do meu guerreiro, eu queria dormir e esquecer.
Mas eu não podia. Não depois da memória de A-ya. Não depois da visão de Aphrodite.
— Vá em frente — eu disse. — O que mais?
Os braços dele se apertaram ao meu redor. — Kalona sabe que sua fraqueza é a conexão que você tem com a garota Cherokee que prendeu ele.
— A-ya — eu disse.
— Yeah, A-ya. Ele vai usar ela contra você.
— Eu sei.
Eu podia sentir a hesitação dele, mas finalmente Stark disse, — Você quer ele – Kalona, quero dizer. Ele te faz querer ele. Você luta contra, mas ele te atinge.
Meu estômago se apertou e eu queria vomitar, mas eu respondi Stark honestamente. — Eu sei e isso me assusta.
— Zoey, eu acredito que você vai continuar a dizer não para ele, mas se você algum dia ceder, você pode contar comigo para estar lá. Eu vou ficar entre você e Kalona, mesmo que seja a última coisa que eu faça. — Eu deitei minha cabeça no ombro dele, lembrando bem demais que Aphrodite não tinha dito nada sobre Stark estar em qualquer uma de suas visões. Ele virou sua cabeça e me beijou suavemente na testa.
— Oh, e por sinal, bonita camisola.
Uma risada inesperada escapou de mim. — Se você não estivesse machucado eu bateria em você.
Ele me deu seu sorriso arrogante. — Hey, eu gosto. Me faz pensar que estou na cama com uma menina católica mal comportada daquelas escolas preparatórias só para garotas. Quer me contar sobre as brigas de travesseiro nuas que você e suas colegas de quarto costumavam fazer?
Eu virei os olhos para ele. — Uh, talvez mais tarde quando você não tiver quase morrido.
— Ok, legal. Estou cansado demais para ver uma imitação mesmo.
— Stark, porque você não bebe de mim? Só um pouco — eu continuei com pressa quando ele começou a protestar. — Olha, Kalona não está aqui. Na verdade, pelo meu sonho está bem claro que ele está bem longe, já que não existem ilhas perto de Oklahoma.
— Você não sabe onde ele está. Ele podia estar te fazendo ver ele em outro lugar no seu sonho.
— Não, ele está em uma ilha. — Enquanto eu falava eu senti a verdade de minhas palavras. — Ele precisou ir para a ilha recarregar. Você faz ideia de onde pode ser? Você ouviu ele falar sobre uma ilha com Neferet?
Stark balançou a cabeça. — Não. Ele nunca disse nada sobre isso perto de mim, mas o fato de que é uma ilha me diz que você o feriu. Muito.
— O que significa que estou segura agora, o que também significa que não tem problema você beber de mim.
— Não — ele disse firmemente.
— Você não quer?
— Não seja insana! Eu quero, mas não posso. Não podemos. Agora não.
— Olha, você precisa do meu sangue e minha energia, ou espírito, ou tanto faz, para melhorar. — Eu ergui meu queixo para ele ter uma visão clara da minha jugular. — Então, vá em frente. Me morda.
Eu fechei meus olhos e segurei o fôlego. Stark riu, o que fez meus olhos se abrirem para ver ele se afogando enquanto se curvava dolorosamente sobre seu peito, ofegando, e então riu mais.
Eu franzi para ele. — O que é tão engraçado?
Stark conseguiu se controlar o bastante para dizer, — É só que parece com algo saído do filme Drácula. Você deveria estar perguntando se eu sou relevante para sugar seu sangue.
Ele fez uma cara bizarra e mostrou os dentes. Eu senti meu rosto corando e me afastei dele. — Esquece. Esqueça que eu mencionei alguma coisa. Vamos só dormir, ok? — Eu comecei a rolar, mas ele me pegou pelo ombro e me virou de volta para ele.
— Espera aí, espera aí – estou estragando as coisas. — Ele de repente estava sério. — Zoey. — Stark tocou minha bochecha. — Não vou beber de você, porque não posso. Não porque eu não quero.
— Yeah, eu te ouvi antes. — Eu ainda estava constrangida e tentei virar a cabeça, mas ele me forçou a olhar pra ele.
— Hey, sinto muito. — A voz dele tinha ficado profunda e sexy. — Eu não deveria ter rido de você. Eu só deveria ter te dito a verdade, mas sou novo como guerreiro. Vai levar um tempo para eu acertar. — O polegar dele acariciou meu rosto, seguindo a linha das minhas tatuagens. — Eu deveria ter te dito que a única coisa que eu quero mais do que provar seu sangue é saber que você está segura e forte. — Ele me beijou. — Além do mais, eu não preciso beber de você, porque eu já sei que vou ficar bem. — Ele tocou seus lábios contra os meus. — Quer saber como sei isso?
— Uh-uhu — eu murmurei.
— Eu sei porque sua segurança é minha força, Zoey. Vá dormir agora. Estou aqui. — Ele deitou, se colocando do meu lado. Logo antes dos meus olhos se fecharem, eu sussurrei, — se alguém tentar me acordar, por favor você poder matar ele?
Stark riu. — Qualquer coisa por você, minha senhora.
— Bom. — Eu fechei meus olhos e cai no sono com meu guerreiro me segurando firmemente e me mantendo segura de sonhos e fantasmas do passado.

2 comentários:

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Os comentários estão demorando alguns dias para serem aprovados... a situação será normalizada assim que possível. Boa leitura!