11 de outubro de 2015

Capítulo 12 - Zoey

Nós passamos pela Irmã Mary Angela, pela Rabina Bernstein e pela Ministra do Todas as Almas para entrarmos no corredor que levava à Câmara do Conselho.
— Zoey, Aphrodite, Stevie Rae — a freira nos cumprimentou, apontando para as mulheres que estavam ao seu lado. — Deixe-me apresentar vocês três para a Rabina Margaret Bernstein e a Suzanne Grimms.
Merry meet — nós falamos juntas.
As mulheres pareciam cansadas, mas sorriram.
— Estamos felizes em conhecê-las e por sermos bem-vindos aqui — disse a Rabina Bernstein.
— Sim, e obrigada por todo o trabalho duro que devem ter feito ajudando todos a se instalarem — disse Suzanne.
Nós assentimos, dizendo nossos “de nada”, e quando as mulheres se afastaram, a Irmã Mary Angela me chamou a atenção.
— Boa sorte, Zoey.
— Ela sabe algo que não sabemos — Aphrodite sussurrou.
Eu acenei em acordo, e fomos para a porta da Câmara do Conselho, em seguida, quase colidimos com Shaunee, que apareceu na esquina olhando em todos os lugares, exceto para frente.
— Ei, tenha cuidado — falei, agarrando-a de modo que nenhuma de nós caiu.
— O que no inferno você está fazendo correndo desse jeito aqui em cima? — Stevie Rae perguntou. — Minha mãe diria que você está agindo como se seu cabelo estivesse em chamas.
Shaunee levantou uma sobrancelha.
— Eu prefiro ter meu cabelo pegando fogo a ter um gato perdido. Eu não consigo encontrar Belzebu em lugar nenhum.
Eu tinha ficado superfeliz por ter descoberto que enquanto eu estava presa, Shaunee e Kramisha foram para os túneis e trouxeram todos os nossos gatos, e Duquesa, é claro, de volta para a House of Night. Nala tinha se lançado em mim quando fui para o meu quarto no dormitório me trocar, e a eu apertei com tanta força que ela ficou tão descontente que espirrou na minha cara.
— Por que você está estressada? Você sabe como os gatos são; eles vêm quando querem e, em seguida, vão quando querem. Eu não tenho nenhuma ideia de onde Malévola está agora — Aphrodite disse.
— Eu só espero que ela não esteja aqui — Stevie Rae falou sob sua respiração.
Eu fiquei entre elas antes que Aphrodite pudesse começar uma discussão.
— Eu tenho que concordar com Aphrodite. Belzebu provavelmente está apenas feliz por estar fora dos túneis e está esticando as patas.
— Isso é o que eu acho também, mas Belzebu nunca perde a hora do jantar. Nunca. E eu sempre o alimento logo antes do nascer do sol. Eu apertei sua bolsa Whiskas e ele não veio correndo como de costume. Então comecei a verificar as coisas. Vocês já notaram que os gatos estão sendo bastante furtivos?
Pensei sobre isso. Eu tinha visto Nala antes irmos ao Mayo, mas desde que voltamos, ela não tinha feito uma aparição. Na verdade, agora que eu estava pensando sobre isso, não vi nenhum dos gatos recentemente.
— Hã, agora que você mencionou, não. Não vi nenhum dos gatos. Duquesa estava nos estábulos com Damien e Stark, mas Cammy não estava com ele, e nem Nala.
— Com o que se surpreende? Por favor. Não seja paranoica. O estábulo está fervilhando com os humanos. Eu não sou um gato, mas isso me faz querer ser furtiva. Eu não posso culpá-los por desaparecer.
— Faz sentido — disse Stevie Rae. — Os gatos são estranhos assim. Sem ofensa — acrescentou ela, olhando para Aphrodite.
— Eu abraço o estranho. Como já disse antes, o normal é superestimado.
— Ok, bem, eu vou tentar não me preocupar com ele. Desculpe por esbarrar com vocês. Até logo.
— Junte-se a nós na Câmara do Conselho, jovem novata — a voz de Kalona surpreendeu a todas nós.
— Ele vive em um modo supersilencioso — Stevie Rae sussurrou para mim.
— Obrigada por me convidar, Kalona, mas não, obrigada — Shaunee respondeu. — Ninguém nunca deixa uma reunião do Conselho dizendo “Uau! Isso foi divertido! Eu não posso esperar para participar novamente!”.
Comecei a rir e estava prestes a acenas para Shaunee, mas então meu interior me balançou, fazendo minha boca dizer:
— Na verdade, eu apreciaria se você se juntasse a nós.
Shaunee parou, suspirou e encolheu os ombros.
— Tudo certo. Acho que é melhor do que fazer as camas no estábulo.
Sorri em agradecimento para ela e nós cinco entramos na Câmara do Conselho.
Thanatos e Vovó estavam sentadas lado a lado. Lenobia estava lá também. Fiquei surpresa ao ver o detetive Marx em pé, de braços cruzados, atrás de Thanatos. Eu pensei que não havia mais ninguém na sala, mas um movimento na escuridão das portas dos fundos chamou minha atenção, e vi que Aurox estava lá novamente, em modo de guarda. Ele não olhou para mim.
— Zoey, Aphrodite, Stevie Rae, Kalona, por favor, venham e sentem-se — disse Thanatos. — Shaunee, creio que não tenha chamado você.
— Eu pedi a ela para se juntar a nós — falei.
— Então ela é bem-vinda também — Thanatos respondeu, gesticulando para nós tomarmos os nossos lugares.
Não foi até que eu tivesse começado a me aproximar da mesa que vi que a tela grande e plana do computador estava iluminada. Eu pisquei surpresa, depois sorri e corri os últimos metros para a mesa.
— Sgiach! Oi, que legal vê-la! — eu soltei.
A rainha sorriu e respondeu muito mais régia (e apropriadamente).
Merry meet, Zoey. Agrada-me vê-la também.
— Ligamos para a Rainha Sgiach, pensando em falar com um de seus Guerreiros que pudesse lhe transmitir a mensagem que gostaríamos de mandar — explicou Thanatos.
— E então ficamos surpresos e satisfeitos quando a própria rainha respondeu a nossa chamada Vovó acrescentou.
Eu rapidamente contei na minha cabeça, se era quase seis da manhã em Tulsa, deveria ser quase meio-dia na Escócia. O que diabos Sgiach estava fazendo acordada? Dei uma olhada mais de perto para a rainha. Ela estava sentada na enorme mesa de madeira em sua biblioteca particular, e tudo parecia normal. Mas Sgiach não parecia normal. Seu cabelo estava bagunçado e embaraçado. Seu rosto estava manchado com sujeira e, eu me inclinei para mais perto da tela para ver melhor...
— Sangue! Por que há sangue e sujeira em você? Você está bem?
— Estou viva — disse Sgiach, o que acredito que não respondeu realmente à minha pergunta.
— Onde está Shawnus? — perguntou Aphrodite, errando a pronúncia do nome do Guardião de Sgiach de propósito.
— Seoras — a rainha corrigiu, pronunciando corretamente e estreitando os olhos para Aphrodite — está tomando a guarda do dia para proteger a ilha.
— Espere, protegendo durante o dia? — balancei a cabeça em confusão. — Mas a sua própria ilha se protege, especialmente durante o dia.
— Isso era verdade, enquanto Luz e as Trevas estavam em equilíbrio —disse Sgiach.
— Zoey passarinha — Vovó tocou minha mão, como se estivesse me dando força. — Neferet desequilibrou o mundo. As Trevas começaram a extinguir a Luz.
Meus joelhos cederam e eu afundei na cadeira. Stevie Rae sentou-se pesadamente ao meu lado. Aphrodite caminhou para um lado e para outro atrás de nós, quase colidindo com o detetive Marx, e Shaunee se encolheu numa cadeira perto de Lenobia.
— Mas Neferet tem sido uma louca por um longo tempo. Não entendo por que ela de repente bagunçou tudo!
— Oh, criança — Thanatos disse com tristeza. — Isso não é uma coisa repentina. É o culminar de uma maré terrível que tem aumentado desde Neferet liberou Kalona de sua prisão.
Fiz uma careta para o imortal alado que estava parado do outro lado da sala próximo porta principal, de peito nu, rosto endurecido e em silêncio.
— Ele está do nosso lado agora. Isso deve ajudar a não desregular o equilíbrio — falei.
— Isto não é um jogo. Estas forças não podem ser computadas — disse Sgiach. — Foi o ato de liberação que causou a inundação, para começar. Kalona foi simplesmente a primeira fenda em uma represa se partindo.
— Então vamos consertar essa coisa estúpida de volta! — Aphrodite disse.
— De fato — Thanatos concordou. — É por isso que chamamos Sgiach.
— Então, o que vamos fazer? — perguntei.
— Você deve escutar atentamente à sabedoria de um tempo diferente, um mundo diferente. Antigas forças estão trabalhando. É com conhecimento antigo que você deve conter a onda e reparar o equilíbrio.
— Você pode ser menos enigmática do que uma de minhas malditas visões? — Aphrodite disse.
— Absolutamente, jovem Profetisa arrogante — pensei que Sgiach daria em Aphrodite um grande chute na bunda via Skype, mas em vez disso ela voltou seu olhar para mim, e mesmo entre os milhares de quilômetros que nos separava, o que ela disse fez os pelinhos em meus braços ficarem em pé. — Detetive Marx explicou o que aconteceu entre você e os humanos no parque. Thanatos e sua avó me contaram que a sua violência contra eles não foi um incidente isolado, que envolveu sua pedra da vidência.
— Sim, mas eu nem a tenho mais — eu assegurei-lhe rapidamente. — Eu não vou usá-la mais.
— Filha, você nunca a usou. Ela estava usando você.
Engoli uma terrível secura na garganta.
— Eu sei. É por isso que a dei pra Aphrodite quando me entreguei ao detetive Marx.
— Diga-me o que você estava sentindo no dia e nos dias que antecederam o incidente no parque — pediu Sgiach.
Eu hesitei e tentei ordenar meus pensamentos. Finalmente, comecei:
— Eu estava brava. Frustrada. Irritada. Parecia que eu me sentia chateada o tempo todo.
— Isso piorou depois que você usou a pedra para revelar o espelho que refletiu o passado quebrado de Neferet?
Meus olhos se arregalaram.
— Eu não pensei sobre isso, mas sim, piorou depois disso — instintivamente, eu esfregava a cicatriz em minha palma. — Ela ficou quente com muito mais frequência. E eu perdi a noção do tempo.
Soltei esta última parte rapidamente, sem olhar para os meus amigos, a quem eu não tinha contado sobre isso.
— Você viu coisas durante o tempo que perdeu? — perguntou ela.
— Sim — admiti lentamente, não gostando do olhar em seu rosto.
— Coisas como os duendes, os espíritos elementares que viu em Skye quando estava comigo?
— Não — eu estremeci. — Eles poderiam ser duendes, mas não eram como os elementares de Skye. Eles eram horríveis.
— Alguns dos duendes são horríveis. Tal como acontece com o resto de nós, nem todos eles escolhem a Luz. O que você viu quando perdeu o tempo, foi antes ou depois de ter usado a pedra para salvar a sua avó?
— Antes.
— Zoey, aqui está uma verdade que você deve ouvir: Magia Antiga pode definir o equilíbrio entre Luz e Trevas tornando-o nivelado novamente, o que significa que o sua pedra da vidência é a chave para vencer a batalha.
— Então eu preciso dá-la para outra pessoa, porque o que eu estava fazendo com ela não funcionou. Tudo ficou pior, não melhor.
— Eu gostaria que fosse assim tão simples — disse Thanatos. Ela, Vovó e Sgiach trocaram um olhar, e eu sabia que elas haviam falado sobre a pedra e a sobre mim antes de eu ter chegado lá.
Com certeza, Vovó acariciou minha mão e disse:
— Ninguém mais pode usar a pedra da vidência, u-we-tsi-a-ge-ya. A pedra aquece para você. Isso significa que ela a escolheu, e só você pode controlar a Magia Antiga através dela.
— Ok, bem, como posso fazer isso? — perguntei, odiando como meu estômago se apertou apenas com o pensamento de tocar a pedra novamente.
— Estou com Zoey — Aphrodite disse. — Simples ou não, digam o que ela tem que fazer.
— Sim, Z Chutou o traseiro das Trevas e Neferet antes, todos nós sabemos — Stevie Rae concordou.
— Devido à natureza volátil da Magia Antiga, eu só posso dizer o que sei que não se deve fazer — disse Sgiach. — A fim de que seu poder trabalhe para equilibrar e não corromper, ela deve ser comandada por uma Sacerdotisa que não seja nem agressora nem vítima. Sua intenção deve ser pura. Ela não pode ser vingativa ou defensiva.
— Mas Zoey tem que usá-la defensivamente! — gritou Marx. — Neferet é uma assassina sociopata, determinada a escravizar Tulsa, talvez até o mundo.
— Não é um talvez — Kalona apontou. — Neferet quer fazer mais do que forçar alguns humanos infelizes a adorá-la. Ela deseja governar como a primeira e única Deusa neste mundo, e nos tornar todos os seus escravos.
— Então como diabos essa tal pedra deveria ser uma chave para pará-la se Zoey não pode usá-la na defensiva? — perguntou Marx.
— Detetive, Magia Antiga é neutra em termos de poder, ela é poder na sua forma mais crua. E é moldada pela intenção da Sacerdotisa que a utiliza. Se seus motivos não são totalmente altruístas, o caos será o resultado — ela voltou o olhar para mim. — Você provou isso antes. Pelo o que sabemos do passado de Neferet, à luz do que ela tem feito no presente, acredito que há indicações claras de que ela tem usado Magia Antiga por um tempo muito longo, talvez até antes de ter sido Marcada.
— Mas eu nunca a vi usando uma pedra da vidência — falei.
— A pedra da vidência é apenas um condutor para a Magia Antiga. Considere os filamentos das Trevas que a seguem por toda a parte. Eles são muito básicos, muito crus, para ser qualquer coisa, mas ligada aos poderes antigos da Luz e das Trevas. Eu sei. No Outromundo enfrentei as Trevas em diferentes formas e idades. Ela pode ser sedutora e astuciosa. As Trevas usam muitas faces, e alguns desses rostos podem parecer, à primeira vista, como aliados.
— Eu não vejo como essas criaturas serpentes repugnantes poderiam parecer boas — disse Stevie Rae.
— Neferet raramente falava disso, mas ela foi estuprada por seu pai na noite em que ela foi Marcada — disse Lenobia. — Algo a ajudou a passar por essa terrível provação, e não foi um novato ou até mesmo o seu mentor. Os registros na House of Night de Chicago afirmam claramente que ela voltou para a casa da sua família e estrangulou seu pai até a morte antes de ela ter sequer concluído a Transformação. O legista registrou que o assalto foi tão forte que a cabeça de seu pai quase foi separada de seu corpo.
— E ela saiu impune nisso? — perguntou Marx.
— O crime aconteceu no final de 1.800, em um mundo muito maior, detetive. O Conselho da House of Night de Chicago juntamente com aqueles de nós do Conselho Supremo dos Vampiros decidiu que seria melhor escondê-la do estado e permitir que ela começasse de novo em um novo caminho no qual Neferet teria a oportunidade de se curar de sua tragédia — disse Thanatos.
— E lembre-se detetive, este homem estuprou e brutalizou a sua filha de dezesseis anos de idade — Lenobia acrescentou.
— Os registros do Conselho Supremo relatam que haviam inúmeras marcas de mordidas, mordidas humanas, em Neferet, e que ela tinha sido horrivelmente espancada e violentada na noite em que o Rastreador a encontrou — Thanatos adicionou em acordo com Lenobia.
Eu senti um choque com a recordação.
— Logo depois que fui Marcada, Neferet mencionou algo comigo sobre ser ferida por seus pais.
— Sua mãe morreu no parto. Seu pai era um monstro — disse Lenobia. — Todos nós que conhecemos Neferet na sua juventude sabíamos dos rumores sobre o que tinha acontecido com ela na noite em que foi Marcada.
— Sinto muito sobre seu passado, mas isso não muda o fato de que Neferet é uma imortal instável que deve ser detida — Marx apontou.
— Nós não mencionamos o passado de Neferet para desculpar o seu presente — disse Sgiach. — O mencionamos como uma lição para Zoey — o olhar de Sgiach queimou no meu. — Magia Antiga foi atraída para Neferet, e Neferet descobriu que poderia controlá-la. Assim como ela foi atraída para você, e foi controlada por você.
— Ok, sim, mas eu não gosto de ser comparada com Neferet.
— E ainda assim, o que vem acontecendo com você desde que começou a usar a pedra da vidência é muito parecido com o que aconteceu com Neferet. Ela a usou, e quando fez isso, a magia a corrompeu.
Senti como se ela tivesse me dado um soco no estômago.
— Eu nunca seria como Neferet!
— Você já pensou que se pudesse simplesmente controlar todos ao seu redor, então poderia fazer tudo ser melhor para os seus amigos – para você mesma? — Sgiach disparou a pergunta para mim.
— Sim, mas eu não queria que nada de ruim acontecesse! Eu só queria poder fazer com que todos agissem certo de modo que toda essa loucura parasse.
— Agissem certo de acordo com quem? — perguntou Thanatos.
— Bem, eu, acho, desde que eu era a única que estava desejando isso — protestei, sentindo-me presa.
— Intenção! — Sgiach respondeu de volta para mim. — Magia Antiga é neutra – ela é moldada pela intenção da Sacerdotisa que a empunha! E a intenção da Sacerdotisa não pode ser de vingança, frustração ou qualquer coisa a serviço próprio. Sua intenção deve ser pura e inteiramente para o bem maior – isso signifique que você sobreviva sendo o receptáculo que a Magia use ou não.
— Estou com medo — admiti, e Vovó apertou minha mão, me dando força. — E eu não sei como fazer o que vocês estão me pedindo para fazer. Preciso de vocês para me ajudar!
— Só você pode se ajudar. Cresça, jovem Sacerdotisa. Mostre a todos nós porque Nyx escolheu te dar dons tão generosos — disse Sgiach. — Mas faça isso rapidamente. Você precisa controlar a pedra, se quisermos ter uma chance de parar Neferet e definir o equilíbrio entre a Luz e as Trevas para o bem — o olhar agudo da rainha foi para Thanatos. — Grande Sacerdotisa, entenda que Neferet deve ser contida para que o contágio do mal seja atrasado.
— Qual é o seu conselho para contê-la sem usar Magia Antiga? — perguntou Thanatos, fazendo minhas bochechas aquecerem.
Eu sabia que ela não deveria ter tido que pedir esse conselho para Sgiach – eu deveria ter crescido o suficiente para usar a pedra da vidência para ajuda-la.
— Busque os rituais e feitiços mais antigos — falou Sgiach. — Não pense em como derrotar Neferet, não há como ser feito sem Magia Antiga. Pense nisso para isolá-la, distraí-la, irritá-la, qualquer coisa que possa fazer que a obrigue a repensar suas parcelas e planos, tudo o que for um obstáculo e diminua Neferet pode auxiliá-la.
— E dar a Zoey mais tempo para descobrir o caminho para controlar a Magia Antiga — Vovó terminou.
Enviei-lhe um sorriso nervoso, desejando que eu tivesse a mesma confiança que ela tinha em mim.
— Eu vou tentar tão duro quanto puder, eu juro — falei.
— Você não pode tentar Zoey. Tentar é muito perigoso. Você não pode fazer nada até que saiba que baniu de si mesma tudo o que é negativo: medo e raiva, egoísmo, vingança, ódio e até mesmo irritação e frustração. Só então você vai comandar e controlar a Magia Antiga. Até então, Aphrodite terá que manter a pedra da vidência longe de você. Não precisamos ter que lutar com duas imortais que já foram dotadas Sacerdotisas da nossa Deusa.
Eu não podia acreditar no que ela acabara de dizer! Ela estava realmente soando como se acreditasse que eu pudesse revelar-me como Neferet!
— Eu não sou imortal! Sou apenas uma garota que não quer ter nada a ver com a Magia Antiga ou com aquela maldita pedra da vidência!
— Imagino que a jovem Neferet teria dito a mesma coisa, e ela estava longe de ser “apenas uma garota” também — Sgiach apontou.
Antes que eu pudesse começar a me recuperar daquela declaração horrível, Thanatos acrescentou:
— Eu só conheci outra novata que era tão talentosa quanto você, Zoey Redbird. O nome dela era Neferet.
Segurei firme a mão da Vovó, sentindo como se o meu mundo estivesse caindo longe de mim.
— E agora eu tenho que cuidar da minha própria inundação — disse Sgiach. — Confio em você, Zoey. Acredito que você vai encontrar uma maneira de trazer as forças da Magia Antiga em nossa batalha no lado da Luz. Até vê-la de novo, abençoada seja.
Em seguida, a conexão de Skype foi desligada, deixando a sala em absoluto silêncio.


— Obviamente, isso é culpa sua — Aphrodite disse a Kalona antes de se virar para mim e acrescentar: — Se você começar a me chamar de Frodo eu vou ficar puta.
— Não quero ser maldosa nem nada, Aphrodite, mas você está bancando o Frodo para Z — Stevie Rae observou.
— Se isso for verdade, então, isso faz de você um baixo e gordo Samwise Gamgee — Aphrodite disse.
— Uma adolescente? — a voz de Marx resmungou atrás de nós. — Por que o poder de equilibrar o bem e o mal deve ser dado a uma adolescente?
Fiz uma careta para ele.
— Estive pensando nisso por meses — Kalona concordou.
— Devo insistir somente na discussão produtiva — a voz de Thanatos cortou a sala, fazendo até mesmo Marx e Kalona parecerem envergonhados.
— Na verdade — falei, hesitante — o comentário do detetive Marx me fez pensar.
— Eu não quis soar tão rude — insistiu Marx.
— Oh, eu sei. O que você disse não foi rude, foi apenas a verdade. Por que o equilíbrio entre o bem e o mal depende de mim? — eu me apressei e segui adiante, sem querer que meus pensamentos fossem interrompidos. — Talvez não seja eu, ou até mesmo nós, que seja tão importante. Sgiach diz que é a Magia Antiga que importa. Basicamente, eu sou apenas o canal passagem, porque por alguma razão que nenhum de nós entende, ela funciona através de mim. Então, como eu disse, não sou eu quem é importante. É a magia.
— Aonde você quer chegar, Zoey passarinha? — perguntou Vovó.
— Bem, a Magia Antiga responde a Sgiach também. Thanatos, Lenobia, por favor, me corrijam se eu estiver errada, mas Sgiach não é a personificação de sua Ilha?
— Ela é — respondeu Thanatos, e Lenobia assentiu em acordo.
— A Magia Antiga está na terra — Vovó disse, sentando-se ereta em sua cadeira. — Assim como nossos ancestrais Cherokee acreditavam.
— Oklahoma detém o poder no interior de sua antiga terra vermelha — disse Kalona. — Eu sei. Ela me chamou para cá não muito tempo depois que fui criado, e novamente depois que eu caí.
— E foi aprisionado por séculos — disse Thanatos.
A mandíbula de Kalona se apertou, mas ele acenou.
— Sim.
— No dia em que fui Marcada, eu fugi para a sua fazenda, lembra, Vovó? — minha voz ficava menos hesitante enquanto meus pensamentos descobriam um caminho a seguir. — Eu estava tentando encontrar você.
— Eu me lembro — disse Vovó. — Essa foi a primeira vez que Nyx apareceu pra você.
— Sim! Ela me disse que eu supostamente seria os seus olhos e ouvidos em um mundo que lutava para encontrar o equilíbrio entre o bem e o mal.
— Mesmo então a Deusa estava nos alertando através de você — Thanatos comentou.
— Parece que demorou muito tempo para que nós ouvíssemos — disse Stevie Rae.
— Não apenas vocês, mas eu também. Não acho que realmente entendi o que Nyx me alertava até agora. Eu, principalmente, só prestei atenção sobre o que ela me disse quanto a luz nem sempre ser boa, e a escuridão nem sempre equivaler ao mal. Pensei que Nyx estivesse me dizendo para ter cuidado com Neferet, porque ela era tão linda de se olhar, mas totalmente podre por dentro.
— Faz sentido — Aphrodite concordou comigo.
— Totalmente verdade — acenou Stevie Rae.
— Sim, mas veja o que mais Nyx disse. Lembro que ela me falou que eu era especial, sua primeira U-we-tsi-a-ge-ya V-hna-I Sv-no-yi.
— Filha da Noite — Vovó traduziu por mim.
— Isso não foi tudo, no entanto. Nyx disse que eu era especial por causa do meu sangue antigo combinado com o meu entendimento do mundo moderno.
— E o seu sangue tem em si o poder de antigas Mulheres Sábias Cherokee — acrescentou Vovó. — As mulheres que chamavam a força da terra.
Desta terra — disse Thanatos.
— Oklahoma é onde a Trilha de Lágrimas terminava — Vovó lembrou.
— E para onde eu fui atraído, assim como Neferet — adicionou Kalona. — Não nos esqueçamos que Zoey tem dentro dela um pedaço da alma de A-ya, a donzela formada a partir desta terra.
Eu não queria pensar muito nisso, então rapidamente acrescentei:
— É também onde Aurox foi criado pelo sacrifício do sangue da minha mãe com o poder tirado da terra da minha avó.
Marx fez uma careta.
— Aurox?
— Eu sou Aurox — ele falou, avançando para fora das sombras.
— Espere aí — disse Marx. — Você não tem sequer uma lua crescente em sua testa. Pensei que fosse algum consorte da Grande Sacerdotisa.
O pensamento de Aurox sendo consorte de Thanatos me fez sentir quente de vergonha.
Aurox me ignorou e olhou interrogativamente para Thanatos. Ela assentiu ligeiramente com a cabeça. Ele se virou e encontrou o olhar de Marx. Soando forte e seguro, ele disse:
— Eu não sou humano, nem vampiro. Sou um receptáculo criado pela Magia Antiga, cujo propósito era vingança e destruição.
— Mas que também foi criado com uma alma, e recebeu a possibilidade de escolher além da vingança e da destruição, que é o que você fez — Vovó acrescentou.
— Inferno, isso quase soa bem! — Marx falou, estudando Aurox com cuidado. — Se ele tem esses poderes de Magia Antiga, não pode nos ajudar a lutar contra Neferet?
— A parte da luta não é importante — respondi, sem olhar para Aurox. — A parte da criação sim – ele, assim como eu, veio desta terra e do sangue que remonta gerações.
— Precisamos usar o poder da terra contra Neferet, pelo menos até Zoey conseguir controlar a pedra da vidência — Aphrodite disse.
Ohminhadeusa! Eu saquei! — a mão de Shaunee disparou para cima. — Desculpe, desculpe, eu não queria interromper, mas acho que sei o que vocês precisam fazer!
— O que, Shaunee? — Thanatos perguntou.
Ela abaixou sua mão, falando rapidamente.
— Sgiach nos disse para buscar as magias e rituais mais antigos para bagunçar os planos de Neferet. Você disse que nós precisamos impedi-la de se espalhar. Isso estava bem debaixo do nosso nariz! Thanatos, você deu uma lição sobre isso outro dia.
— Shaunee, por favor, seja clara — pediu Thanatos.
— Nós usaremos o Ritual de Proteção de Cleópatra! Podemos fazer Tulsa ser a nossa Alexandria! — Shaunee explicou, emocionada.
— Eu não faço ideia do que ela está falando — Marx disse.
— Eu faço — Lenobia se pronunciou.
— Como todos nós deveríamos — disse Thanatos. — Mas, como todos devemos saber também, o feitiço de Cleópatra exige que a Grande Sacerdotisa que o lança, isole-se, jejuando e orando, durante três dias.
— Ao ritmo dos assassinatos de Neferet, não temos três dias — Marx falou severamente.
— Nós temos o antigo poder na terra, porém — ressaltei. — Não podemos usá-lo para impulsionar o feitiço e ajudar?
— Ideia interessante — disse Thanatos. — O feitiço teria que ser lançado em um local de poder excepcional, o mais perto do Mayo possível. E a Sacerdotisa que lançar o feitiço e erguer o ritual teria que permanecer em reclusão naquele local em meditação e oração, mantendo a intenção definida e verdadeira.
— E esta não serei eu. E não quis dizer isso porque estou reclamando sobre não ser crescida o suficiente ou não ser Grande Sacerdotisa por um longo tempo. Digo porque tenho que descobrir essa coisa da pedra da vidência e estar livre para usá-la contra Neferet assim que eu descobrir como.
— Concordo, Zoey. Eu sou a Grande Sacerdotisa da House of Night de Tulsa. É meu dever lançar o feitiço e mantê-lo durante o tempo que a minha força aguentar — disse Thanatos.
— O fogo é a base do feitiço de Cleópatra. Eu ficarei com você — se ofereceu Shaunee — enquanto for preciso.
Thanatos inclinou a cabeça respeitosamente para Shaunee.
— Eu aprecio a sua companhia e o poder que emprestará para o feitiço, filha.
— Oh, agradeço a grande Mãe Terra! Eu sei o lugar de poder perfeito que você deve usar! — disse Vovó, batendo a mão no topo da mesa para pontuar suas palavras. — A Árvore do Conselho do Grande Carvalho – seu antigo poder tem reinado sobre o Busk Ground durante séculos, e está a uma curta distância à pé do Hotel Mayo.
— Lenobia, Aphrodite, Zoey, Stevie Rae, Shaunee, o que vocês dizem? Concordam com Sylvia Redbird? — perguntou Thanatos.
— Eu concordo — respondeu Lenobia.
— Sim — Shaunee disse.
— Sim — Stevie Rae ecoou.
— Soa como um plano — Aphrodite observou.
Encontrei o olhar da Vovó e vi a sabedoria, o amor e a verdade.
— Absolutamente — respondi.
— Então vamos todos descansar. Ao anoitecer, o círculo de Zoey vai para o lugar de poder, e quando o sol se pôr, eu começarei o ritual de proteção e lançarei o feitiço, e pode ser que Nyx nos empreste força. Assim escolhemos; que assim seja.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Os comentários estão demorando alguns dias para serem aprovados... a situação será normalizada assim que possível. Boa leitura!