3 de outubro de 2015

Capítulo 11

Meus amigos tagarelavam sobre nada em particular enquanto andamos o resto do caminho até o dormitório. Todos ignoraram propositalmente o fato de termos acabado de nos encontrar com meu ex-namorado e que foi realmente constrangedor, e uma cena horrível. Ou pelo menos foi para mim.
Eu odeio me sentir assim. Fui eu que fiz Erik terminar comigo, mas eu sinto falta dele. Muito. E eu ainda gosto dele. Muito. Claro, ele estava agindo como um chato agora, mas ele me pegou fazendo sexo com outro homem – bom, outro vampiro, na verdade. Como se isso importasse. De qualquer forma, fui eu que fiz essa confusão e foi incrivelmente frustrante não poder consertar isso, porque eu ainda me importo com Erik.
— O que você acha dele, Z?
— Dele? — Erik? Diabos, eu acho que ele é incrível e frustrante e... e eu percebi que Damien não estava me perguntando sobre Erik quando ele franziu e me deu um olhar de se liga. — Huh? — Eu disse brilhantemente.
Damien suspirou. — O novo garoto. Stark. O que você acha dele?
Eu dei nos ombros. — Ele parece legal.
— Legal e gostoso — Shaunee disse.
— Bem do jeito que a gente gosta — Erin terminou.
— Você passou mais tempo com ele do que nós. O que você acha dele? — Eu perguntei a Damien, ignorando as Gêmeas.
— Ele é legal. Mas parece distante. Eu suponho que não ajuda ele não poder ter um colega de quarto por causa da Duquesa. Você sabe, aquele cachorro é realmente grande — Damien disse.
— Ele é novo, gente. Todos sabemos como isso é. Talvez ele lide com isso agindo distante — eu disse.
— É estranho um garoto com tamanho talento não estar disposto a usar ele — Damien disse.
— Pode ser mais do que isso — eu disse, pensando sobre o quão legal e confiante Stark agiu quando estava enfrentando os vampiros por causa do cachorro, mas então aquela indiferença mudou quando Neferet fez ele pensar que ela queria usar o talento dele para competir. Ele ficou estranho, talvez assustado. — Às vezes ter poderes incomuns pode ser assustador. — Eu falei mais para mim mesma do que para Damien, mas ele sorriu para mim e bateu seu ombro no meu.
— Acho que você sabe como é ser diferente — ele disse.
— Acho que eu sei. — Eu sorri para ele, tentando melhorar o humor péssimo que eu fiquei depois de encontrar com Erik.
O celular de Shaunee tocou, e ela recebeu uma mensagem de texto, e ela tirou seu Iphone.
— Oooh, Gêmea! É o Sr. Tão boooomm, Cole Clifton. Ele e T.J querem saber se estamos a fim de uma maratona dos filmes de Bourne no dormitório dos garotos — Shaunee disse.
— Gêmea, eu nasci pronta para uma maratona de Bourne — Erin disse. Então as Gêmeas riram e fizeram uma batida de mãos que fez todos nós virar os olhos.
— Oh, e vocês também estão convidados — Shaunee disse para Damien, Jack, e eu.
— Legal — Jack disse. — Eu nunca vi o último. Como é o nome?
— O ultimato Bourne — Damien disse imediatamente.
— Isso. — Jack pegou a mão dele. — Você é inteligente sobre filmes! Você conhece todos.
Damien corou. — Bem não todos. Eu gosto mais dos antigos clássicos. Quando havia verdadeiras estrelas de cinema neles, como Gary Cooper e Jimmy Stewart e James Dean. Hoje tem tantos atores que são — Então as palavras dele pararam abruptamente.
— O que é? — Jack disse.
— James Stark — ele disse.
— O que tem ele? — Eu perguntei.
— James Stark é o nome do personagem de James Dean no velho filme, Rebelde sem Causa. Eu sabia que o nome dele era familiar, mas eu achei que era só porque ele era famoso.
— Gêmea, você viu esse filme? — Erin perguntou a Shaunee.
— Não, Gêmea. Não posso dizer que vi.
— Huh — eu disse. Eu vi esse filme – com Damien, é claro – e me perguntei se o nome era dele antes de ser Marcado. Ou ele tinha, como muitos garotos, decidido um novo nome quando a vida de calouro dele começou. Se foi, isso diz algo bem interessante sobre a personalidade dele.
— Então, você vem, Z? — A voz de Damien penetrou minha tagarelice interna.
Eu olhei para ver quatro pares de olhares me encararem de forma questionadora. — Vem?
— Jeesh, terra para Zoey! Você vem com a gente ao dormitório dos garotos assistir os filmes de Bourne? — Erin disse.
Eu respondi automaticamente. — Oh, isso. Não. — Eu estava feliz por meus amigos não estarem mais fulos comigo, mas eu não estava com vontade de sair. Na verdade, eu me sentia meio machucada e diferente de mim mesma por dentro. Em alguns dias, eu tive um Imprint e perdi minha virgindade com um homem/vampiro que não me amava, e então ele foi horrivelmente morto. Eu quebrei o coração do meu namorado. Dos dois. Uma guerra quase começou e então terminou. Mais ou menos. Minha melhor amiga não era mais uma morta viva, mas ela não era uma caloura “normal” e nem uma vampira, e nem os garotos que viviam com ela. Mas eu não podia contar isso a meus amigos, e a ninguém que não fosse Aphrodite, sobre os estranhos calouros vermelhos, porque é melhor Neferet não saber o que eu sei. E agora Erik, um dos meus dois namorados de coração partido, ia ser meu professor de Teatro – como se ele voltar a House of Night não ser drama o bastante. — Não — eu repeti mais firmemente. — Eu acho que vou checar Persephone. — Ok, eu percebei que eu estive no estábulo não há muito tempo atrás, mas eu definitivamente podia usar a presença quieta e quente dela.
— Tem certeza? — Damien perguntou. — Nós realmente queríamos que você viesse com a gente.
O resto dos meus amigos acenaram e sorriram, acabando com a última onda de medo que tinha se congelado no meu estômago desde que eles tinham ficado irritados comigo.
— Obrigado, gente. Mas não estou no humor para sair hoje à noite — eu disse.
— Ok — disse Erin.
— Ok — disse Shaunee.
— Te vejo mais tarde — Jack disse.
Eu achei que Damien ia me dar o seu típico abraço de tchau, mas ao invés disso ele disse a Jack, — vão indo na frente, e eu alcanço vocês. Eu vou levar Z até os estábulos.
— Boa ideia — Jack disse. — Eu vou preparar uma pipoca para você.
Damien sorriu. — Me guarda um lugar, também?
Jack também sorriu e deu a ele um rápido e doce beijo. — Sempre.
Então as Gêmeas e Jack saíram numa direção, e Damien e eu fomos para a posição contrária. Espero que esse não fosse o presságio de para onde nossas vidas estavam indo.
— Você realmente não precisa me levar até o estábulo — eu disse. — Não é tão longe.
— Você não disse mais cedo que algo te atacou e machucou sua mão quando estava saindo dos estábulos e indo para o refeitório?
Eu ergui uma sobrancelha.
— Eu achei que você não tinha acreditado em mim.
— Bem, vamos dizer que a visão de Aphrodite me converteu. Então quando você acabar de se comunicar com seu cavalo, me ligue. Jack e eu vamos fingir que somos muito mais másculos do que somos e viremos escoltar você de volta.
— Oh, por favor. Você não é o que eu chamo de estridente e feliz de mais.
— Bem, eu não sou, mas Jack é.
Nós rimos. Eu estava considerando discutir com ele sobre todo o Zoey-precisa-de-escolta quando um abutre começou a grasnar. Na verdade, agora que eu estava acordada e ouvindo, o grasnado parecia muito mais com um estranho grasnado, mas não era menos irritante.
Não, talvez irritante não seja a palavra certa. Assustador. Assustador é a palavra exata.
— Você ouviu isso, não foi? — eu disse.
— O corvo? Yeah.
— Corvo? Eu achei que era um abutre.
— Não, eu acho que não. Se eu lembro correto um abutre grasna, mas o choro de um corvo é mais como um coaxo. — Damien pausou, e o estranho coaxou mais algumas vezes. Parecia perto, e a horrível voz fez eu me arrepiar. — Yep, definitivamente um corvo.
— Eu não gosto. E porque ele está fazendo tanto barulho? É inverno – não pode estar acasalando, pode? Além do mais, é noite. Ele não deveria estar dormindo? — Eu olhei para a escuridão enquanto eu falava, mas não vi nenhum pássaro idiota, o que não era tão estranho. Eu quero dizer, eles são pretos como a noite. Mas esse corvo pareceu encher o ar ao meu redor, e algo sobre o chamado dele fez minha pele tremer.
— Eu realmente não sei muito sobre os hábitos deles. — Damien pausou, e olhou cuidadosamente para mim. — Porque isso está te incomodando tanto?
— Eu ouvi bater de asas antes, quando o que quer que fosse me atacou. E parece tão assustador. Você não consegue sentir?
— Não.
Eu suspirei e pensei que ele fosse me dizer que talvez eu precisasse lidar com o estresse e minha imaginação, mas ele me surpreendeu dizendo, — Mas você é mais intuitiva do que eu. Então se você diz que o pássaro parece errado, eu acredito em você.
— Você acredita? — Estávamos perto dos estábulos, e eu parei e virei para ele.
O sorriso dele era cheio de calor e familiar. — É claro que sim. Eu acredito em você, Zoey.
— Ainda? — eu perguntei.
— Ainda — ele disse firmemente. — E eu vou proteger sua retaguarda.
E bem assim o corvo parou de fazer barulho e o assustador sentimento parou.
Eu tive que limpar a garganta e piscar com força antes de conseguir dizer, — Obrigado, Damien.
Então a voz mau humorada de senhora de Nala “mee-uf-owed” para mim enquanto minha gatinha laranja gorda saia da escuridão para se esfregar nas pernas de Damien.
— E ai, garotinha — ele disse, dando uma coçada no queixo dela. — Parece que ela está aqui para assumir o dever de cuidar da Zoey.
— Yep, eu acho que você definitivamente foi substituído — eu disse.
— Se você precisar de mim quando quiser voltar, só me ligue. Eu realmente não me importo — ele disse enquanto me abraçava com força.
— Obrigada — eu disse de novo.
— Sem problemas, Z. — Ele sorriu mais uma vez e então cantarolando “Seasons of Love” do Rent, ele desapareceu pela calçada.
Eu ainda estava sorrindo quando abri a porta que levava até os estábulos. Misturado com o cheiro de feno e cavalo que já estava vindo dos estábulos na minha direita, e aliviada por saber que meus amigos não estavam mais com raiva de mim, eu já podia me sentir relaxar. Estresse – jeesh! Eu realmente preciso fazer um ioga ou algo assim (provavelmente mais algo assim do que ioga). Se eu continuar com essa tensão, é provável que eu desenvolva uma ulcera. Ou pior, rugas.
Eu estava virando para a direita e tinha a mão na porta do estábulo quando eu ouvi um estranho thwap! Seguindo por uma abafada pancada. O barulho estava vindo da minha esquerda. Eu olhei para o lado e vi a porta para o campo aberta. Outro thwap! E uma batida e eu fiquei curiosa, e tipicamente, ao invés de mostrar algum senso e ir para o estábulo como eu pretendia, eu fui até o campo.
Ok, o campo é basicamente um campo de futebol que não é um campo de futebol a não ser pelo campo e pela pista ao redor dele. Dentro o pessoal joga futebol e faz corridas. (Eu não participo disso, mas eu sei como o lugar funciona, em teoria.) Ele é coberto para que os calouros não tenham que lidar com o sol, e luzes o ilumina para não incomodar nossos olhos. Hoje a noite a maior parte das luzes não estava acessa, então foi o próximo som de thwap! que chamou minha atenção do outro lado do campo.
Stark estava parado virado de costas para mim, arco na mão, encarando um dos alvos que tinham cores diferentes para cada área de alvo. O centro vermelho desse alvo em particular foi atingido por uma estranha flecha grossa. Eu dei uma olhada, mas não pude ver através da fraca luz, e o alvo estava muito longe de onde Stark estava parado, o que significa que estava muito, muito longe de onde eu estava parada.
Nala deu um pequeno ronronado, e eu notei que uma pilha loira de coisas ao lado de Stark era Duquesa toda espalhada, aparentemente dormido aos pés dele.
— E ela é um cão de guarda — eu sussurrei para Nala.
Stark passou a mão na testa, como se estivesse limpando o suor do rosto e remexeu os ombros, os relaxando. Mesmo a distância, ele parecia confiante e forte. Ele parecia muito mais intenso que os outros caras da House of Night. Diabos, ele era mais intenso do que adolescentes humanos em geral, e eu não podia deixar de achar isso intrigante. Eu estava parada ali, tentando descobrir uma escala de beleza para comparar ele, quando ele pegou outra flecha do coldre aos pés dele, virou de lado, ergueu o arco, e num rápido movimento, soltou a flecha e o thwap! e lançou outra flecha, que saiu como uma bala diretamente no centro do alvo. Bam!
Com uma arfada de surpresa, eu percebi porque a flecha no centro do alvo parecia tão estranha. Não era apenas uma flecha. Eram várias flechas que tinham sido atingidas uma em cima da outra. Toda flecha que ele lançou atingiu o centro da flecha que ele já tinha acertado. Chocada, meus olhos voltaram a Stark, que ainda estava parado em sua forma de arqueiro. E eu percebi qual era a escala de beleza para ele: A escala do Gostoso Bad Boy.
Ah, oh. Como se eu precisasse achar que um bad boy era intrigante? Diabos, eu não precisava achar que nenhum garoto era intrigante no momento. Eu deveria afastar os caras. Totalmente. Eu estava começando a virar para poder sair de fininho quando a voz dele me impediu.
— Eu sei que você está aí — Stark disse sem nem olhar para mim.
Como se fosse a deixa dela, Duquesa levantou, bocejou, e andou feliz até mim, rabo balançando enquanto me dava um latido de “oi.” Nala arcou as costas, mas não assoviou, e ela permitiu que o labrador cheirasse ela um pouco antes de espirrar no rosto dela.
— Oi — eu disse para os dois enquanto acariciava a orelha de Duquesa.
Stark virou em minha direção. Ele estava usando o seu quase sorriso convencido. Eu estava começando a entender que essa expressão provavelmente era a normal dele. Eu notei que ele parecia mais pálido do que estava no jantar. Ser o garoto novo é difícil, e tende a te cansar – mesmo que você seja um gostoso bad boy.
— Eu estava indo para o estábulo e ouvi algo aqui. Eu não queria te interromper.
Ele deu de ombros e começou a dizer algo, e então ele parou e limpou a garganta, como se não falasse há muito tempo. Ele deu uma seca meia tosse e finalmente disse: — Sem problemas. Na verdade estou feliz que esteja aqui. Me poupa de ter que te procurar.
— Oh, você precisa de algo para Duquesa?
— Nah, ela está bem. Eu trouxe várias coisas dela comigo. Na verdade eu queria falar com você.
Não. Eu absolutamente não estava insanamente curiosa ou lisonjeada por ele dizer que queria falar comigo. Muito calmamente e despreocupada, eu disse, — Então, o que você quer?
Ao invés de responder, ele me fez uma pergunta. — Essas suas Marcas especiais significam que você realmente tem uma afinidade com os cinco elementos?
— Yeah — eu disse, tentando não cerrar os dentes. Eu realmente odeio ser interrogada sobre meus dons por garotos novos. Eles tendem ou a me adorar feito uma heroína ou me tratar como se eu fosse uma bomba que pode explodir neles a qualquer segundo. De qualquer forma eu fico super desconfortável e isso definitivamente não é lisonjeiro ou intrigante.
— Havia uma sacerdotisa na minha antiga House of Night em Chicago que tinha uma afinidade pelo fogo. Ela podia fazer as coisas queimarem. Você pode usar os cinco elementos assim?
— Eu não posso fazer a água queimar nem nada bizarro assim. — Eu evitei responder a pergunta dele diretamente.
Ele franziu e balançou a cabeça, passando a mão na testa de novo. Eu tentei não notar que era meio que um suor sexy. — Eu não estou perguntando se você pode virar os elementos. Só preciso saber se você é poderosa o bastante para controlar eles.
Isso tirou minha atenção da fofura dele. — Ok, olha. Eu sei que você é novo, mas isso não é da sua conta.
— O que significa que você deve ser bem poderosa.
Eu estreitei meus olhos para ele. — De novo, não é da sua conta. Se você precisar de algo que é da sua conta, como pedir algo para o cachorro, venha me procurar. Fora isso, estou indo.
— Espera. — Ele deu um passo na minha direção. — Parece que estou sendo um espertinho, mas eu tenho uma boa razão para perguntar sobre isso.
Ele perdeu o semi-sorriso sarcástico, e ele parecia estar me dando uma obsessiva expressão de vamos-ver-o-quão-estranha-Zoey-realmente-é. Ele parecia como um fofo e pálido garoto novo que precisava saber de algo seriamente.
— Ótimo. Sim. Sou bem poderosa.
— E você pode controlar elementos. Tipo, se algo ruim acontecer, você pode proteger as pessoas que você gosta?
— Ok, chega — eu disse. — Você está ameaçando meus amigos e eu?
— Oh, merda não! — Ele disse rapidamente, erguendo a mão, palmas abertas, como se estivesse se rendendo. É claro, era difícil não notar que na outra mão ele estava segurando um arco com o que ele estava atirando flechas uma em cima da outra e acertando bem no alvo. — Não estou ameaçando ninguém. Eu não expliquei direito. O negócio é o seguinte – eu quero que você saiba sobre meu dom.
Ele disse a palavra dom tão desconfortavelmente que eu ergui uma sobrancelha e repeti. — Dom?
— É assim que é chamado, ou pelo menos é assim que as pessoas chamam. É porque eu sou tão bom com isso. — Ele lançou o queixo em direção ao arco nos pés dele.
Eu não disse nada, mas ergui as sobrancelhas para ele e esperei (impacientemente) ele continuar.
— Meu dom é que eu não posso errar — ele finalmente disse.
— Não pode errar? E daí? Porque isso tem a ver com minha afinidade com os elementos?
Ele balançou a cabeça de novo. — Você não entende. Eu sempre atinjo meu alvo, mas isso não significa que meu alvo é sempre aquilo que estou mirando.
— Você não está fazendo sentido, Stark.
— Eu sei, eu sei. Eu disse não sou bom nisso. — Ele passou a mão pelo cabelo, o que fez ele levantar como o rabo de Duquesa. — O melhor jeito de explicar é dar um exemplo. Você já ouviu falar de um vampiro chamado William Chidsey?
Eu balancei a cabeça. — Não, mas isso não deve te chocar. Eu só fui Marcada há alguns meses. Eu não sou exatamente atualizada na política vampira.
— Will não era um político. Ele era um arqueiro. Por quase duzentos anos, ele foi o melhor arqueiro do campeonato dos vampiros.
— O que significa o mundo todo, porque os vampiros são os melhores arqueiros que existem — eu disse.
— Yeah. — Ele acenou. — De qualquer forma, Will venceu todo mundo por quase duzentos anos. Pelo menos até seis meses atrás foi isso que ele fez.
Eu pensei por um segundo. — Seis meses atrás era verão. Foi quando tivemos a versão vampira das olimpíadas, certo?
— Yeah, eles chamam de Jogos de Verão.
— Ok, então esse Will é muito bom no arco e flecha. Parece que você também é. Você o conhece bem?
— Conhecia. Ele está morto. Mas sim. Eu o conhecia muito bem. — Stark pausou e então acrescentou. — Ele era meu mentor e melhor amigo.
— Oh, sinto muito — eu disse constrangida.
— Eu também. Fui eu que o matei.

2 comentários:

  1. Realmente estou gostando desse Stark ( <3 )

    ResponderExcluir
  2. uhsaushauh Tô rindo muito, não sei pq, estou gostando desse boy

    ResponderExcluir

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Os comentários estão demorando alguns dias para serem aprovados... a situação será normalizada assim que possível. Boa leitura!