4 de outubro de 2015

Capítulo 10

— Heath! — Eu corri em direção a ele, praticamente gritando meu alívio por ser ele e não um aterrorizante Corvo Escarnecedor ou pior, um antigo imortal com olhos como o céu da noite e uma voz como um segredo proibido.
— Heath? — Erik não soava nem de perto tão feliz. Ele agarrou meu braço para eu poder correr e passar por ele. Ele franziu, ainda conseguindo ficar protetoramente na minha frente. — Você quer dizer o seu namorado humano?
— Ex-namorado — Heath e eu falamos ao mesmo tempo.
— Hey, você não é aquele cara Erik? O calouro ex-namorado de Zo? — Heath disse. Ele ignorou os três degraus que levavam até o porão e os pulou para baixo, parecendo cada centímetro (e eu de fato me refiro ao pelo menos a 1,80 m de altura com um meio encaracolado cabelo loiro-marrom e os olhos mais fofos e covinhas de um cara que eu já vi) do quarterback estrela que ele era. Sim, eu admito livremente, meu namorado do colégio era um clichê, mas pelo menos ele era adorável.
— Namorado. — A voz de Erik era dura. — Não ex. Bem como vampiro, não calouro.
— Oh. Eu diria parabéns sobre fazer as pazes com Zo e não se afogar no próprio sangue, mas isso seria bobagem porque eu não estaria falando sério. Sabe o que isso significa, cara? — Ele falou enquanto andava ao redor de Erik para soltar meu pulso, mas antes dele poder me puxar para um grande abraço ele olhou para baixo e viu minhas novas tatuagens cobrindo minhas palmas. — Whoa! Agora isso é incrivelmente legal! Então, sua deusa ainda está cuidando de você?
— Yeah, ela está — eu disse.
— Fico feliz — ele disse e me puxou para o abraço que eu estava esperando. — Droga,
estava preocupado com você! — Então ele me pôs um pouco para trás e me analisou. — Você está inteira?
— Estou bem — eu disse, um pouco sem fôlego. Eu quero dizer, da última vez que eu vi Heath ele tinha terminado comigo. Além do mais, eu pude sentir o cheiro dele quando ele me abraçou e ele tinha um cheiro horrível. Como uma mistura de lar com minha infância misturado com algo que era delicioso e excitante e estava me chamando em toda parte onde a pele dele tocou a minha. Eu sabia o que estava me chamando - o sangue dele. E isso mexeu com mais do que só a minha cabeça.
— Excelente. — Heath soltou meu pulso e eu dei um rápido meio passo em direção a
Erik. Eu vi um flash de dor nos olhos de Heath, mas esteve ali apenas por um segundo antes dele rir despreocupado e dar nos ombros como se o abraço não tivesse sido nada demais porque eu e ele éramos apenas amigos agora. — Yeah, bem, eu achei que você estava bem. Eu quero dizer, eu pensei que mesmo que aquela coisa com o sangue entre nós tenha se quebrado, eu ainda saberia se algo acontecesse com você. — Ele disse as palavras — coisa com o sangue— com uma ênfase sexy que fez Erik se mexer do meu lado.
— Mas eu precisava ver por mim mesmo. Além do mais, eu queria de perguntar que porra foi aquela estranha ligação ontem à noite?
— Ligação? — Erik disse. Os olhos dele estavam cautelosos quando ele olhou para mim.
— Sim, ligação. — Eu ergui meu queixo. Erik podia ser meu namorado de novo, mas de jeito nenhum eu ia aguentar ele ficar todo possessivo e insanamente ciumento. Uma ideia passou pela minha mente de que talvez Erik não fosse capaz de realmente confiar em mim depois do que tinha acontecido entre nós, e eu teria que aguentar um pouco de ciúmes obsessivo. Eu meio que merecia. Mas eu disse numa voz fria — eu liguei para Heath para avisar ele sobre os Corvos Escarnecedores e dizer a ele levar a família para algum lugar seguro. Ele e eu não estamos mais juntos, mas isso não significa que eu queira que algo ruim aconteça com ele.
— Corvos Escarnecedores? — Heath perguntou.
— O que está acontecendo lá fora? — Erik perguntou, a voz dele toda de negócios.
— Acontecendo? Como assim? Como a incrível tempestade que está acontecendo desde a meia noite, e que se transformou numa confusão de gelo, ou a merda da gangue que aconteceu? E o que são Corvos Escarnecedores?
— Merda de gangue? Como assim? — Erik surtou.
— Não. Não vou dizer merda nenhuma até você responder minha pergunta.
— Corvos Escarnecedores são criaturas parecidas com demônios das lendas Cherokee — eu respondi. — Até a meia noite de ontem, eles eram apenas espíritos, mas tudo mudou quando o papai deles, um imortal chamado Kalona, se libertou de sua prisão na terra, e agora ele está fazendo do seu novo endereço a House of Night de Tulsa.
— Você realmente acha uma boa ideia contar a ele isso? — Erik disse.
— Hey, porque você não deixa Zoey decidir o que ela quer contar para mim e o que ela não quer contar? — Heath disse como se estivesse morrendo de vontade de socar Erik.
Erik o enfrentou. — Você é um humano — ele disse a palavra como se fosse uma DST.
— Você não consegue lidar com as mesmas coisas que nós podemos. Tente lembrar que eu tive que te ajudar a salvar seu estúpido traseiro humano de um bando de vampiros fantasmas só alguns meses atrás.
— Zoey me salvou, não você! E eu tenho lidado com Zoey por cerca de um milhão de anos mais do que você a conhece.
— Yeah? Quantas vezes o seu estúpido traseiro humano a colocou em perigo desde que ela foi Marcada?
Isso fez Heath se calar. — Olha, eu não a estou colocando em perigo vindo aqui. Eu só queria me certificar que ela estava bem. Eu tentei ligar algumas vezes, mas o serviço de celular está horrível.
— Heath, não é eu estar em perigo por você estar aqui que me preocupa. É você estar em perigo — eu disse, dando a um olhar duro de você-deveria-ficar-quieto-agora para Erik.
— Yeah, eu já sei sobre aqueles horríveis calouros que tentaram me comer da última vez que eu estive aqui? Eu não lembro muito bem o que aconteceu, mas eu lembrei o bastante para trazer isso. — Ele pôs a mão no bolso do Carhartt e tirou uma arma preta que parecia perigosa. — É do meu pai — ele disse orgulhosamente. — Eu tenho até um pente extra comigo. Eu achei que se eles tentarem me comer de novo, eu poderia atirar no que quer que você não conseguisse pegar.
— Heath, não me diga que você estava carregando uma arma carregada no bolso — eu disse.
— Zo, o gatilho de segurança estava armado e a primeira bala do cartucho está vazia. Eu não sou um idiota completo.
Erik riu sarcasticamente. Heath estreitou os olhos para ele.
Eu falei rapidamente pelo ar cheio de testosterona antes que eles começassem a brigar. — Os calouros não comem mais pessoas, Heath, então você não vai atirar em ninguém. Quando eu disse que estava preocupada sobre você estar seguro, eu me refiro aos Corvos Escarnecedores.
— E ela respondeu sua pergunta. Agora diga o que é aquilo sobra a gangue?
Heath deu nos ombros. — Está em todos os noticiários. É claro, a eletricidade fica indo e voltando e a estúpida TV a cabo está fora do ar o dia todo, junto com sinal de celular. Mas eles falaram que uma gangue ficou maluca ontem à noite, algum tipo de Iniciação de Ano Novo. Chera Kimino do Fox News chamou de banho de sangue. A polícia respondeu tarde por causa da tempestade. Algumas pessoas foram mortas no centro, o que assustou todo mundo porque o centro não é exatamente uma central de gangues, então um bando de ricos brancos perdeu a cabeça. Da última vez que eu vi o noticiário eles estavam gritando sobre chamar a Guarda Nacional, embora a polícia esteja dizendo que tudo está sob controle. — Ele pausou e eu podia praticamente ver as engrenagens na cabeça dele funcionando. — Hey, centro! É onde a House Of Night é. — Heath olhou de mim para Erik e então voltou para mim. — Então não é uma merda de gangue. São aqueles corvos.
— Brilhante — Erik murmurou.
— Sim, realmente são os Corvos Escarnecedores. Eles começaram a atacar quando
estávamos fugindo da House of Night. — Eu disse antes que ele ou Erik pudessem se
provocar mais. — O noticiário não disse nada sobre estranhas criaturas atacando os
humanos?
— Nope. Eles falaram que uma gangue atacou as pessoas. Matou algumas delas cortando suas gargantas. É isso que os Corvos Escarnecedores fazem?
Eu lembrei de como um tinha me atacado na House of Night, quase fazendo se
realizar uma das duas visões da morte que Aphrodite tinha visto, quando ele tentou me
cortar pela garganta - e isso foi ante deles conseguirem seus corpos físicos de volta. Eu
tremi. — Yeah, isso parece ser o que eles fazem, mas eu realmente não sei muito sobre eles. Vovó sabe mais, mas eles fizeram ela ter um acidente de carro.
— Ah, Zo, Vovó esteve num acidente? Merda! Desculpe. Ela está bem? — Heath estava genuinamente chateado. Ele era um favorito de Vovó e tinha ido para a fazenda de lavanda dela comigo mais vezes do que eu podia contar.
— Ela vai ficar bem. Ela tem que ficar — eu disse firmemente. — As freiras Beneditas estão cuidando dela num porão sobre a abadia delas lá na Lewis com a Vinte-e-um.
— Porão? Freiras? Huh? Ela não deveria estar no hospital?
— Ela estava antes de Kalona reacender e os Corvos Escarnecedores ganharem seus
horríveis parte-humano, parte-corvo corpos de volta.
O rosto dele fez uma careta. — Parte humana, parte pássaro? Isso soa assustador.
— É pior do que você pode imaginar, e eles são grandes também. E maus. Ok, Heath,
você tem que me ouvir. Kalona é imortal, um anjo caído.
— Por — caído— você quer dizer que ele não é mais um cara legal e não flutua por ai
com assas tocando uma harpa?
— Ele tem asas. Grandes e pretas — Erik disse. — Mas ele não é um cara legal, e tudo
que sabemos sobre ele diz que ele sempre foi mau.
— Não, ele não foi. — Ok, minha boca disse isso, mas eu realmente não queria falar.
Os dois olharam para mim. Eu sorri nervosamente.
— Bem, uh, de acordo com minha vó, Kalona costumava ser um anjo, então eu acho que eu apenas imaginei que ele costumava ser um cara bom. Eu quero dizer, há muito tempo atrás.
— Eu acho que nós só deveríamos assumir que ele é mau. Totalmente mal — Erik disse.
— Várias pessoas foram machucadas ontem a noite. Eu não sei quantas foram mortas,
mas foi ruim. Se esse Kalona está por trás disso, eu diria que ele é mau — Heath disse.
— Ok, yeah, bem, vocês provavelmente tem razão — eu disse. Qual diabos era o problema comigo? Eu sabia melhor do que qualquer um o quão mal Kalona era! Eu senti o poder negro dele. Eu sabia que Neferet estava misturada com ele, tão misturada com ele que ela tinha decidido virar as costas a Nyx.
Ok, tudo que definitivamente podia ser soletrado era M-A-U.
— Perai. Eu quase esqueci disso. — Erik correu de volta para sua cadeira e Heath e eu
seguimos ele. Das sombras ao lado, ele tirou um enorme radio-cassete-CD. — Deixe-me ver se eu consigo algo. — Ele mexeu com os enormes botões cinzas, e logo um cheio de estática canal 8 tocava. O narrador estava todo sério e falando rápido.
— Para repetir nosso boletim especial da violência de gangues no centro de Tulsa ontem à noite, a policia de Tulsa reiterou que a cidade está segura e o problema está sob controle. Para citar o chefe de polícia, ‘foi um ritual de iniciação por uma nova gangue que se chama Escarnecedores. Líderes da gangue foram presos e as ruas do centro de Tulsa estão, mas uma vez, seguras para os cidadãos.’— O narrador continuou, — É claro Tulsa, e as áreas ao redor, estão num sério aviso de tempestade até amanhã. Então sugerimos que você não viaje a não ser que seja uma situação de emergência, nós esperamos pelo menos mais meio metro de chuva misturada com gelo o que vai dificultar os esforços para restaurar a energia perdida ontem a noite. Fiquem ligados para mais novidades no noticiário das 5 horas daqui meia hora. Nós temos mais um anúncio: Todos os empregados da House of Night e alunos foram chamados para voltar a escola devido ao péssimo tempo. De novo, todos os empregados e alunos da House of Night foram requeridos a voltar a escola. Fiquem ligados para novidades. Voltamos para nossa programação normal.
— Não havia gangue nenhuma no centro ontem a noite — eu disse. — Essa é a coisa
mais ridícula que eu já ouvi!
— Ela consertou. Ela manipulou a empresa e provavelmente o público também — Erik
disse, parecendo desgostoso.
— Em o ‘ela’ ele se refere aquela Alta Sacerdotisa que mexeu com a minha mente? — Heath me perguntou.
— Não — Erik disse.
— Sim — eu disse ao mesmo tempo. Eu franzi para Erik. — Ele precisa saber a verdade para se proteger.
— Quanto menos ele souber, melhor para ele — Erik insistiu.
— Não, veja, foi isso que eu pensei antes, e foi por isso que todos ficaram tão bravos comigo. É também por isso que eu cometi alguns incríveis erros. — Eu olhei de Erik para Heath. — Se eu não tivesse mantido tantos segredos e tivesse confiado nos meus amigos para se cuidarem, eu poderia ter conversado mais e feito menos besteiras.
Erik suspirou. — Ok, eu vejo seu ponto. — Ele olhou para Heath. — O nome dela é Neferet. Ela é a Alta Sacerdotisa da House of Night. Ela é poderosa. Muito poderosa. E ela é psíquica.
— Yeah, eu já sei que ela pode fazer coisas com a mente. Foi assim que ela mexeu comigo. Ela me fez esquecer as coisas que tinham acontecido. E eu só comecei a lembrar.
— Isso faz sua cabeça doer? — Eu perguntei ele, lembrando da dor que eu tive que lidar quando eu quebrei os bloqueios na memória que Neferet tinha posto na minha mente.
— Yeah. Dói, mas está ficando melhor. — Ele sorriu com seu familiar e complacente sorriso e meu coração se apertou.
— Neferet também é um tipo de rainha para Kalona — Erik continuou.
— Então ela é totalmente má noticia — Heath disse.
— Má notícia e perigosa. Não esqueça disso — eu disse. — E também, Kalona não aguenta ficar no subterrâneo. Ele não conseguia antes de ser aprisionado na terra pela mulher Cherokee, e agora que ele escapou, meu palpite é que ele vai ter ainda mais
cuidado com a terra. Então lembre-se, você está seguro no subsolo.
— E quanto aos Corvos Escarnecedores?
Eu balancei minha cabeça. — Nós não sabemos. Nenhum veio aqui, mas isso não significa muito. — Eu pensei na escuridão dos túneis abaixo e o mau pressentimento que estava me dando, mas eu não sabia o que diabos eu era de verdade. Calouros vermelhos? Corvos Escarnecedores? Algum outro tipo de coisa que Kalona estava mandando contra nós? Ou era simplesmente minha imaginação? A única coisa que eu sabia com certeza era que eu soava como um idiota lobo choroso tagarelando sobre um monte de talvez, o que significa, por enquanto, que eu iria manter a boca fechada.
— Bem, é sábado, e não temos aula porque as férias de inverno são até quarta, e se essa tempestade de gelo for tão forte quanto eles estão dizendo que vai ser, podemos não ter aula a semana toda — Heath estava dizendo. — Deve ser fácil me manter seguro, mesmo que os Corvos Escarnecedores ataquem de novo e os ataques deles passarem do centro da cidade para o Broken Arrow.
Meu estômago parecia vazio. — E eles podem. Neferet sabe que eu sou de Broken
Arrow, e ela sabe que ainda existem pessoas que eu me importo lá.
— Então ela pode mandar Corvos Escarnecedores para Broken Arrow só para mexer com você? — Heath disse.
Eu acenei. — Especialmente quando meu grupo e eu ignorarmos o chamado para voltar para a escola.
— Mas espere, Zo. Você tem que estar no território da escola com um bando de vampiros ou você e todo o resto de calouros vão ficar doentes, certo?
— Estou aqui — Erik disse. — E também outro vampiro adulto. Sem mencionar Stevie Rae.
— Ela não é toda nojenta e morta viva? — Heath disse.
— Não mais — eu disse. — Ela Mudou em um tipo diferente de vampiro, um com tatuagens vermelhas. Assim como todos os nojentos calouros que tentaram comer você - bem, eles são calouros vermelhos agora, e não são mais tão nojentos.
— Huh — Heath disse. — Bem, estou feliz que sua amiga esteja bem.
— Eu também — eu sorri.
— Então três vampiros adultos são o bastante para impedir que vocês fiquem doentes? — Heath perguntou.
— Vão ter que ser. Heath, você precisa ir — Erik disse bruscamente.
Heath e eu olhamos para ele. Eu percebi que eu estava rindo bastante para Heath e realmente gostando por eu e ele conversarmos de novo.
— A tempestade de gelo — Erik continuou. — Não é inteligente da parte dele ficar preso aqui, e é isso que vai acontecer se ele continuar aqui quando o sol se pôr — Erik pausou e então disse, — O que vai acontecer em meia hora. Quanto tempo levou para vir de Broken Arrow até aqui?
Heath franziu. — Quase duas horas. A estrada está ruim.
Só deveria ter levado a ele meia hora para chegar a esse lugar. Erik tinha razão.
Heath tinha que ir pra casa. Não apenas não fazíamos ideia do tamanho do perigo que ele poderia estar devido a Kalona, mas eu não tinha 100% de certeza que Heath poderia ficar seguro em volta dos calouros vermelhos. Além das minhas perguntas sobre eles, a verdade era que não importava o que eles eram agora, Heath era 100% humano, com muito yummy, fresco, quente, sexy, e pulsante sangue (eu ignorei o fato da minha boca estar salivando só de pensar nisso), e eu não tinha ideia de qual era o limite deles.
— Erik tem razão, Heath. Você não pode ficar preso lá fora a noite, especialmente tão perto do cetro. Além do gelo, não sabemos qual é a dos Corvos Escarnecedores.
Heath olhou para mim como se eu e ele estivéssemos completamente sozinhos.
— Você está preocupada comigo.
Minha garganta parecia seca. Essa não era uma conversa que eu queria ter na frente de Erik. — É claro que eu me preocupo com você. Você é meu amigo há muito tempo. — Eu podia sentir os olhos de Erik em mim. Eu me forcei a não parecer culpada e acrescentei — Amigos se preocupam com amigos.
O sorriso de Heath foi devagar e íntimo. — Amigos. Certo.
— Hora de você ir — Erik soava fulo.
Sem olhar para Erik, Heath disse, — Eu vou quando Z me falar para ir.
— É hora de você ir, Heath — eu disse rapidamente.
Os olhos de Heath ficaram trancados nos meus por várias batidas de coração. — Tudo bem. Tanto faz. — Ele disse. Então ele virou para Erik. — Então você é um vampiro de verdade agora, huh?
— Sim.
Heath olhou para ele de cima a baixo. Os dois estavam perto da mesma altura. Erik era mais alto, mas Heath era o mais forte dos dois. Ainda sim, os dois pareciam poder se cuidar em uma luta. Eu me senti ficar tensa. Heath ia socar Erik?
— As pessoas dizem que vampiros machos protegem suas sacerdotisas. Isso está certo?
— Está certo — Erik disse.
— Bom. Então eu espero que você se certifique que Zoey continue segura.
— Nada vai acontecer com ela enquanto eu viver — Erik disse.
— Se certifique que não aconteça. — A voz de Heath tinha perdido todo o encanto, e a tranquilidade com que ele normalmente falava. Tinha ficado dura e perigosa. — Porque se algo acontecer a ela, eu vou encontrar você, e vampiro ou não, eu vou quebrar a sua cara.

11 comentários:

  1. Hoow Heath. Não aguentaria mais um capítulo pra você aparecer

    ResponderExcluir
  2. Neeeeh monah concordo

    ResponderExcluir
  3. Heath seu fofo 😍💓

    ResponderExcluir
  4. Gente eu simplismente amo o heath, eu acho que e pq da historia dele com a da zoey e o quanto ele e protetor, emgraçado... e eu tambem nao gosto muito do Erik eu acho que ele nao e muito verdadeiro e ele e a Zoey nao rem o ´fogo da paixao`
    ass:leticia

    ResponderExcluir
  5. Eu simplesmente amo o Heath <3.<3 Desde o primeiro livro. Prefiro milhares de vezes ele ao Erik. O Erik tem o dom de me irritar mesmo depois de cenas e discursos fofinhos

    ResponderExcluir
  6. gente heath é mto fofo... eles tem que ficar juntos...
    lanny

    ResponderExcluir
  7. EU AMO O HEATH! Já falei isso várias vezes.
    PQ ELE NÃO PODE SER MARCADO? PORR*!

    ResponderExcluir
  8. "Porque se algo acontecer a ela, eu vou encontrar você, e vampiro ou não, eu vou quebrar a sua cara."

    Heath, não espera algo acontecer não... quebra a cara dele agora! Por favor, nunca te pedi nada.

    ResponderExcluir
  9. OMG :O
    Aff odeio o Erik, dsd o início acho q ele ainda vai aprontar alguma coisa

    ResponderExcluir

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Os comentários estão demorando alguns dias para serem aprovados... a situação será normalizada assim que possível. Boa leitura!