3 de outubro de 2015

Capítulo 10

Ninguém falou pelo que pareceu ser muito tempo, mas provavelmente foram apenas alguns tensos segundos. Ver que Neferet se perdeu foi completamente bizarro, e embora eu soubesse que ela tinha dado as costas para Nyx e estava planejando algo realmente ruim, me chocou ver alguém tão poderoso desmoronar tão completamente.
Ela estava louca? Era isso que estava acontecendo com ela? Poderia ser a “escuridão” que Nyx me avisou sobre a escuridão dentro da mente louca de Neferet?
— Sua Alta Sacerdotisa passou por coisas terríveis nos últimos dias — Shekinah estava dizendo. — Eu não desculpo a falta de julgamento dela, mas eu entendo. O tempo irá curar as feridas dela, assim como as ações da polícia local. — Os olhos dela foram para o enorme guerreiro. — Ate, gostaria que você levasse os detetives pelo local da investigação. Eu entendo o quanto das evidências foi destruído, mas talvez a ciência moderna ainda possa descobrir algo. — Ate acenou solenemente, enquanto ela virava seu olhar para mim. — Zoey, qual é o nome do detetive humano honesto que você conhece?
— Kevin Marx — eu disse.
— Ele será contactado — Ate disse.
Shekinah sorriu em aprovação. Então ela continuou, — Quanto ao resto de nós vai ser... — Ela pausou, e o sorriso angelical dela se alargou. — Sim, eu digo nós porque eu decidi permanecer aqui, pelo menos até Neferet se recompor.”
Eu olhei rapidamente ao redor da mesa, tentando absorver a reação dos professores ao inesperado anúncio de Shekinah. Eu vi expressões que passavam de surpresa a prazer. Eu acredito que meu rosto era um dos que demonstrava prazer. Eu quero dizer, o quão maluca Neferet podia agir com a líder de todas as sacerdotisas aqui?
— Eu acho que é importante, e o Conselho de Nyx concorda comigo, que vamos tentar manter a escola o mais normal possível. O que significa que as aulas voltam amanhã.
Vários professores pareciam desconfortáveis, mas foi Lenobia que falou de novo.
— Sacerdotisa, estamos todos ansiosos que as aulas recomecem, mas estão faltando dois instrutores importantes.
— De fato, e esta é outra razão do porque planejo continuar aqui, pelo menos por um tempo. Eu vou assumir as aulas de poesia de Loren Blake.
Eu não precisei olhar para as Gêmeas que odeiam poesia para saber o quão duro estava o franzido delas. Eu estava na verdade tentando não sorrir quando as próximas palavras de Shekinah me cortaram.
— E eu tive sorte o bastante de pegar Erik Night no aeroporto. Eu sei que não é comum ter uma vampiro recém Mudado dando aulas tão cedo, mas é apenas temporário e estamos trabalhando em circunstâncias extenuantes. Além do mais, os calouros conhecem Erik. Ele será uma boa transição para eles devido a amada professora Nolan.
Ohminhadeusa, Erik vai voltar e eu estou fazendo uma aula que ele vai ensinar. Eu não sabia se queria me alegrar ou vomitar, então me contentei com silêncio e um estômago chateado.
— Quanto ao feitiço de barreira que Neferet lançou ao redor da escola – ele não retornará. Embora eu concorde com a ação imediata dela de o lançar – afinal de contas, havia poucos Filhos de Erebus presentes e um assassinato tinha acabado de ser cometido – essas ações de emergência não são mais apropriadas. Selar a escola seria declarar um estado de sítio, e isso é algo que definitivamente eu desejo evitar. E, é claro, estamos totalmente protegidos pelos Filhos de Erebus. — Ela acenou para Ate, que devolveu o gesto com uma reverência de reconhecimento. — Apesar de tudo, eu gostaria que nossas vidas voltassem ao mais normal possível. Aqueles que tem laços com a comunidade humana, devem exercer essas relações. Lembre-se da lição que nossos ancestrais aprenderam com seu sangue precioso: Medo e inveja criam a isolação e a ignorância.
Ok, eu não sei o que diabos se apoderou de mim, mas de repente eu tive uma ideia, e como se tivesse vida própria, minha mão se ergueu por cima da minha cabeça como se eu achasse que estávamos no meio da sala de aula e nós (minha mão, boca e não o meu cérebro) tivéssemos descoberto uma brilhante resposta.
— Zoey, você tem algo a acrescentar? — Shekinah perguntou.
Oh, diabos não! É o que eu deveria ter dito. Ao invés disso minha boca falou, — Sacerdotisa, eu estava me perguntando se seria uma boa hora para implementar uma ideia que eu tive de ter as Filhas das Trevas envolvidas com a caridade humana local.
— Continue. Estou intrigada, mocinha.
Eu engoli em seco. — Bem, eu pensei que as Filhas das Trevas podiam contactar as pessoas que cuidam dos Gatos de Rua. É, uh, um abrigo de caridade para gatos sem casa. Eu, bem, eu achei que seria bom se misturar com a comunidade humana — eu terminei idiotamente.
O sorriso de Shekinah era luminoso. — Um abrigo de caridade para gatos – que perfeito! Sim, Zoey, eu acho que é uma ideia excelente. Amanhã você será dispensada das suas aulas mais cedo para começar seu contato com as pessoas do Gatos de Rua.
— Sacerdotisa, eu devo insistir que calouros não viagem pela comunidade sozinhos — Ate disse rapidamente. — Não até sabermos exatamente quem é responsável pelos crimes contra a nossa gente.
— Mas os humanos não saberão que somos calouros — Aphrodite disse.
Os olhos de todos foram para ela, e eu vi ela arrumar a coluna e erguer o queixo.
— E você é? — Shekinah perguntou.
— Meu nome é Aphrodite, Sacerdotisa — ela disse.
Eu observei Shekinah de perto, esperando para ver uma reação que dizia que ela sabia sobre os rumores que Neferet tinha espalhado sobre Aphrodite – que Nyx tinha virado suas costas para ela e tirado seus poderes, etc, etc, mas a expressão de curiosidade da sacerdotisa não mudou. Ela simplesmente disse, — Qual é a sua afinidade, Aphrodite?
Eu congelei. Droga! Ela não tinha mais uma afinidade!
— Terra é o elemento que Nyx me deu — Aphrodite disse. — Mas meu maior dom dado pela deusa é minha habilidade para ter visões de futuros perigos.
Shekinah acenou. — Está certo, eu ouvi falar sobre as suas visões, Aphrodite. O que você tem a dizer?
Uma onda de alívio passou por mim. Aphrodite tinha respondido a pergunta sobre afinidade, e graças ao jeito que ela falou, não foi uma mentira exatamente.
— Eu só estava pensando que os humanos não sabem quando saímos da escola de qualquer forma, porque cobrimos nossas Marcas. As únicas pessoas que saberiam que um bando de calouros são voluntários para ajudar os Gatos de Rua seriam as pessoas dos Gatos de Rua, e qual a chance deles estarem envolvidos nos assassinatos? — Ela parou e deu nos ombros. — Então devemos estar seguros.
— Ela tem razão, Ate — Shekinah disse.
— Eu ainda acredito que calouros devem ser protegidos por um guerreiro — Ate disse teimosamente.
— Isso iria chamar atenção para nós — Aphrodite disse.
— Não se o guerreiro também cobrir sua Marca — Darius disse.
Dessa vez todos viraram para olhar para Darius, que ainda estava parado como uma montanha muito muscular e atraente perto da porta.
— E qual seu nome, Guerreiro?
— Darius, Sacerdotisa. — Ele ergueu a mão por cima do coração e fez uma reverência.
— Então, Darius, você está dizendo que estaria disposto a cobrir sua Marca? — Shekinah disse. Eu me senti tão surpresa quanto ela soou. Calouros tem que cobrir suas Marcas para sair da escola – era uma regra da House of Night. E faz sentido. Honestamente, adolescentes podem agir de forma estúpida as vezes (especialmente garotos), e não seria uma boa coisa um bando de calouros (garotos principalmente) serem alvos de garotos humanos (ou é claro – pais super protetores). Mas quando um Calouro passa pela Mudança e sua Marca se preenche e expande, de jeito nenhum ele vai cobrir ela. Era sobre orgulho e solidariedade e ser adulto. Mas aqui estava Darius, claramente jovem e não Marcado há muito tempo, sendo voluntário a fazer algo que a maior parte dos vampiros, especialmente caras vampiros, normalmente diriam não.
Darius fechou o punho por cima do coração de novo e saudou Shekinah. — Sacerdotisa, eu cobriria minha Marca para poder acompanhar os calouros e os manter a salvo. Eu sou um Filho de Erebus, e a proteção do meu povo é mais importante do que um orgulho tolo.
Os lábios de Shekinah se curvaram levemente enquanto ela virava para Ate. — O que você diz ao pedido do seu guerreiro?
A resposta do vampiro veio sem hesitação, — Eu digo que isso é algo que podemos aprender dos jovens.
— Então está certo. Zoey, você irá se apresentar nos Gatos de Rua amanhã, mas quero que escolha um calouro para ir com você. Trabalhar em pares é uma boa ideia agora. Darius, você os acompanha com sua Marca disfarçada.
Todos fizemos pequenas reverências para ela.
— E agora, se não há mais pedidos — ela pausou, e os olhos dela foram de Lenobia para Aphrodite, Darius, e finalmente, eu — ou comentários, eu vou terminar essa Reunião do Conselho. Eu irei fazer um Ritual de Limpeza na escola nos próximos dias. Eu senti pesar e medo quando adentrei nesses muros hoje à noite, e só a benção de Nyx pode erguer tamanho peso. — Vários membros do Conselho acenaram concordando. — Zoey, antes de você sair amanhã, eu gostaria que você fosse até mim e me diga quem vai se juntar a você.
— Eu vou — eu disse.
— Eu desejo a todos que sejam abençoados — ela disse formalmente.
— Abençoados seja — respondemos.
Shekinah sorriu de novo. Com um leve movimento de mão, ela gesticulou para Lenobia e Ate seguirem ela, e os três saíram da sala.
— Wow — Damien disse, parecendo mais do que um pouco sonhador. — Shekinah! Isso foi realmente inesperado, e ela é mais resplendorosa do que eu imaginei. Quero dizer, eu queria dizer algo, mas eu fiquei completamente confuso.
Estávamos no corredor esperando a sala de esvaziar de Membros do Conselho e guerreiros, então Damien mal falou em um sussurro excitado.
— Damien, pela primeira vez não vamos brigar com você sobre o seu chato vocabulário — Shaunee disse.
— Yeah, porque é necessário palavras grandes para descrever Shekinah — Erin disse.
— Mais tarde — Aphrodite disse para mim depois de virar os olhos para as Gêmeas. — Vamos ver se eu posso fazer uma pequena confusão com Darius.
— Huh? — eu disse.
— Esse não é o uso correto da palavra — Damien disse a ela.
— Yeah, mas você estava pensando em outra palavra — Erin disse.
— Mas começa com um T, o que provavelmente te confundiu — Shaunee disse.
— Divisoras de Cérebro e Garoto Vocabulário – eu digo um enorme tanto faz para vocês. — Ela começou a andar pelo corredor na direção que Darius tinha tomado. — Oh, e eu também digo não fiquem com inveja e fulos quando Zoey contar a vocês que sou eu quem ela vai levar amanhã — Aphrodite disse, me dando O Olhar, o que claramente significa que existe uma razão dela ter que ir comigo. Então ela jogou o cabelo para trás e se afastou.
— Odeio ela — Erin disse.
— Idem, Gêmea — Shaunee disse.
Eu suspirei. Minha avó diria que eu estava dando um passo para frente e dois para trás na situação de fazer meus amigos gostarem de Aphrodite. Eu só digo que eles estão me dando dor de cabeça.
— Ela é uma chata, mas eu acho que você devia levar ela com você para os Gatos de Rua amanhã — Damien disse.
— Yeah, você achou certo — eu disse relutantemente. Eu realmente não queria irritar meus amigos de novo, mas mesmo sem saber as razões de Aphrodite querer ir comigo, só fazia sentido. Talvez ela tivesse um plano para se livrar de Darius e encontrar Stevie Rae.
— Você podia nos ter dito antes sobre o negócio psíquico — Damien disse enquanto começamos a sair do prédio principal e ir para o dormitório.
— Yeah, você provavelmente tem razão, mas eu achei que quanto menos falasse sobre isso, menos vocês pensariam nisso e nas razões do porque não estou dizendo nada para vocês — eu disse.
— Faz sentido agora — Shaunee dise.
— Yeah, entendemos agora — Erin disse.
— Estou feliz que você não esteja simplesmente escondendo coisas de nós — Jack disse.
— Mas você ainda deveria ter nos contado sobre Loren — Erin disse.
— Na verdade, quando você terminar de sentir o pesar e tudo mais, ainda queremos saber sobre os detalhes com Loren — Shaunee disse.
Eu ergui minhas sobrancelhas para os olhares de curiosidade delas. — Não contem com isso — eu disse.
Elas franziram.
— Deem para garota um pouco de privacidade — Damien disse. — O negócio com Loren foi muito traumático para ela, com o Imprint e a perda de virgindade e Erik!
A parte “Erik” do mini sermão de Damien saiu muito esganiçado. Eu abri minha boca para perguntar qual o problema com ele quando notei que os olhos dele tinham ficado enormes e redondos e estavam fixados em cima do meu ombro atrás de mim, onde eu ouvi um som distinto de uma porta lateral do prédio principal se fechando. Com um terrível aperto no estômago, eu, junto com as Gêmeas e Jack, viramos para ver Erik emergindo da ala da escola que tínhamos acabado de passar, onde que, é claro, ficava a sala de teatro.
— Olá, Damien, Jack. — Ele deu a Jack, seu ex colega de quarto, um quente sorriso, e eu podia ver o garoto quase pulando de prazer quando ele devolveu um grande olá.
Meu estômago, naturalmente, tentou se revirar quando eu lembrei de uma das muitas razões do porque eu gostava de Erik. Ele era popular e lindo, mas ele também era um cara legal.
— Shaunee, Erin — Erik continuou, acenando para elas. As Gêmeas sorriram, batendo os cílios, e disseram oi juntas. Pelo menos, ele olhou para mim. — Olá, Zoey. — A voz dele mudou do tom fácil e amigável que ele usou com todo mundo. Mas ele não soava com ódio. Ao invés disso ele parecia frio e educado. Eu achei que era uma melhora, mas então lembrei do quão bom ator ele era.
— Oi — eu não consegui dizer mais nada. Eu não sou uma particularmente boa atriz, e fiquei com medo de minha voz soar tão trêmula quanto meu coração sentia.
— Acabamos de saber que você vai ensinar a aula de teatro — Damien disse.
— Yeah, me deixa um pouco desconfortável, mas Shekinah pediu, e não é possível dizer não para ela — ele disse.
— Eu acho que a professora Nolan ficaria feliz por você assumir — eu falei antes de conseguir fazer minha boca ficar quieta.
Erik olhou para mim. Os olhos azuis dele não tinham expressão nenhuma, o que parecia completamente errado. Aqueles mesmo olhos tinham me mostrado felicidade e paixão e calor e até mesmo o começo do amor. Então eles me mostraram mágoa e raiva. E agora eles não me mostravam nada? Como isso podia ser possível?
— Você ganhou uma afinidade nova? — O tom dele não era de ódio, mas as palavras dele definitivamente eram frias, — Você consegue falar com os mortos agora?
Eu senti meu rosto ficar quente. — N-não — eu disse. — Eu apenas... bem, eu achei que a professora Nolan gostaria que você estivesse ali pelos estudantes dela.
Ele abriu a boca, e eu vi algo maldoso brilhar nos olhos dele, mas ao invés de falar ele tirou os olhos de mim e olhou para a escuridão. A mandíbula dele se cerrou e ele passou a mão pelos cabelos em um gesto que eu reconheci que ele fazia sempre que se sentia confuso.
— Eu espero que ela goste que eu esteja aqui. Ela sempre foi minha professora favorita — ele finalmente disse sem me olhar.
— Erik, vamos ser colegas de quarto de novo? — Jack perguntou tentadoramente através do silêncio desconfortável que aumentava.
Erik respirou fundo e deu a Jack um rápido e fácil sorriso. — Não, desculpe. Eles me colocaram no prédio dos professores.
— Oh, é verdade. Eu fico esquecendo que você passou pela Mudança — Jack disse com uma risada nervosa.
— Yeah, às vezes eu mesmo quase esqueço — Erik disse. — Na verdade, é melhor eu ir para meu quarto novo – eu tenho caixas para abrir e planos de aula para fazer. Vejo vocês depois. — Ele pausou, e então os olhos dele grudaram nos meus, — Tchau, Zoey.
Tchau. Meus lábios se moveram, mas nenhum som saiu.
— Tchau, Erik! — Todos falaram quando ele virou e andou rapidamente para longe de nós e voltou para a parte dos professores da escola.

2 comentários:

  1. Legal o Erik ter voltado pra dar um draminha pra história, mas tomara que ele não fique agindo que nem uma vaca odiosa com a Zoey, se não vou matá-lo

    ResponderExcluir
  2. concordo plenamente ja ta na hora de parar de se fazer de malvado e voltar a ser principe da historia de novo


    ass: aninha

    ResponderExcluir

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Os comentários estão demorando alguns dias para serem aprovados... a situação será normalizada assim que possível. Boa leitura!