28 de setembro de 2015

Prólogo

Eu já tivera mais do que uma quota justa de experiências de quase morte; isso não é algo com que você se acostume. Mas parecia estranhamente inevitável enfrentar a morte outra vez.
Como se eu estivesse mesmo marcada para o desastre.
Eu havia escapado repetidas vezes, mas ela continuava me rondando. Ainda assim, dessa vez foi diferente. Pode-se correr de alguém de quem se tenha medo; pode-se tentar lutar com alguém que se odeie. Todas as minhas reações eram preparadas para aqueles tipos de assassinos — os monstros, os inimigos. Mas quando se ama aquele que vai matá-la, não restam alternativas. Como se pode correr, como se pode lutar, quando essa atitude magoaria o amado? Se sua vida é tudo o que você tem para dar ao amado, como não dá-la? Quando ele é alguém que você ama de verdade.

2 comentários:

  1. Ei acabei vindo parar nesse prólogo sem querer, alguém pode me dizer qual livro é esse? Kkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kkkkkk
      Este é o prólogo de Amanhecer, o último livro de Crepúsculo

      Excluir

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Os comentários estão demorando alguns dias para serem aprovados... a situação será normalizada assim que possível. Boa leitura!