30 de setembro de 2015

Capítulo 9

Ok, o refeitório era legal – oops, eu quero dizer “salão de jantar,” como a placa prateada do lado de fora da entrada dizia. Não era nada parecida com o refeitório monstruoso da SIHS, onde a acústica era tão ruim que mesmo eu sentado ao lado de Kayla eu não podia ouvir o que ela estava falando na metade do tempo. Esse salão era quente e amigável. As paredes eram feitas da mesma estranha mistura de tijolos e pedras pretas como o exterior do prédio e o salão estava cheio de enormes mesas de piquenique de madeira que tinham bancos combinando com assentos acolchoados e com encostos. Em cada mesa sentavam seis garotos, e irradiando de uma enorme mesa situada no centro do salão estavam frutas e queijo e carne quase transbordando, e uma taça de cristal que estava cheia do que parecia ser vinho tinto. (huh? Vinho na escola? O que?) O teto era baixo e a parede de trás era composta de janelas com uma porta de vidro no centro. Pesadas cortinas de veludo estavam abertas, para que o lado de fora pudesse ser visto era um lindo jardim com alguns bancos de pedra, alguns caminhos que davam voltas, e arbustos ornamentais e flores. No meio do jardim havia uma fonte de mármore com água saindo do topo de algo que parecia muito com um abacaxi. Era bem bonito, especialmente iluminado pela luz da lua e ocasional luz das lâmpadas.
A maior parte das mesas já estava cheia de adolescentes, que falavam e comiam que olhavam para cima com óbvia curiosidade quando Stevie Rae e eu entramos no salão. Eu respirei fundo e mantive a cabeça erguida. Era melhor dar a eles uma clara visão da Marca que eles pareciam tão obcecados. Stevie Rae me levou para o lado do salão que tinha a típica mesa de Buffet para se servir.
— Pra que é a mesa no meio do salão? — eu perguntei quando andamos.
— É uma oferenda simbólica para a deusa Nyx. Tem sempre um lugar colocado na mesa para ela. Parece meio estranho no começo, mas logo não vai parecer tão estranho e vai parecer certo também.
Na verdade, não parecia estranho para mim. De certa forma, fazia sentido. A deusa estava tão viva aqui. A Marca dela estava em todo lugar. A estátua dela estava orgulhosamente na frente do seu Templo. Eu também estava começando a notar que em toda a escola havia pequenas figuras e figurinos que a representavam. A Alta Sacerdotisa dela era minha mentora, e eu tive que admitir, eu já me sentia conectada a Nyx. Com um esforço, eu me impedi de tocar a Marca na minha testa. Ao invés disso peguei uma bandeja e me movi atrás de Stevie Rae na fila.
— Não se preocupe — ela sussurrou para mim. — A comida é muito boa. Eles não fazem você beber sangue ou comer carne crua ou nada disso.
Aliviada, eu destravei a mandíbula. A maior parte do pessoal já estava comendo, então a fila era curta, e Stevie Rae e eu pegamos a comida senti minha boca se encher de água. Massa! Eu senti o cheiro: com alho!
— A coisa toda de que vampiros não suportam alho é bobagem — Stevie Rae estava dizendo para mim enquanto carregávamos os nossos pratos.
— Ok, e aquela coisa sobre vampiros terem que beber sangue? — eu sussurrei em resposta.
— Não — ela disse suavemente.
— Não?
— Não é bobagem.
Ótimo. Maravilhoso. Fantástico. Exatamente o que eu queria ouvir - não.
Tentando não pensar sobre o sangue e o que mais não eu peguei um copo de chá com Stevie Rae, e então a segui para uma mesa onde dois outros garotos já estavam conversando animadamente enquanto comiam. É claro a conversa parou totalmente quando me juntei a eles, o que não pareceu incomodar Stevie Rae. Enquanto eu deslizava no banco do lado oposto ao dela ela nos apresentou com seu fanhoso sotaque.
— E aí gente. Conheçam minha colega de quarto Zoey Redbird. Zoey, essa é Erin Bates — ela apontou para uma ridiculamente bonita garota loira sentada no meu lado da mesa. (Bem, diabos – quantas loiras podiam ter em uma escola? Não tem algum limite?) Ainda com a sua voz em um tom de “aliás”, ela continuou, fazendo pequenas paradas para dar ênfase. — Erin é a “bonita.” Ela também é divertida e esperta e tem mais sapatos do que qualquer um que eu conheça.
Erin tirou seus olhos azuis para longe da minha Marca por um tempo longo o suficiente para dizer “Oi”.
— E esse é o simbólico garoto do nosso grupo, Damien Maslin. Mas ele é gay então eu não acho que ele realmente conta como um cara.
Ao invés de ficar puto com Stevie Rae, Damian parecia sereno e descolado.
— Na verdade, já que eu sou gay eu acho que deveria contar por dois caras ao invés de um. Eu quero dizer, comigo você tem o ponto de vista masculino e você não tem que se preocupar comigo querendo tocar seus peitos.
Ele tinha um rosto descansado totalmente limpo de espinhas, e um cabelo marrom escuro e olhos que me lembravam um filhote de cervo. Na verdade, ele era fofo. Não de um jeito super feminino que a maioria dos caras é quando decidem sair do armário e contar a todos o que todo mundo já sabia (bem, todos a não serem seus pais tipicamente sem noção). Damien não era um estridente cara-garota, ele era apenas um cara fofo com um belo sorriso. Ele também estava notavelmente tentando não olhar para minha Marca, o que eu apreciei.
— Bem, talvez você esteja certo. Eu não pensei sobre isso dessa forma — Stevie Rae disse depois de uma bela mordida em um pão de alho.
— Apenas ignore ela, Zoey. O resto de nós é quase normal — Damien disse. — E estamos desesperadamente felizes por você finalmente ter chegado aqui. Stevie Rae tem enlouquecido todo mundo se perguntando como você seria, quando você chegaria aqui...
— Se você não seria uma daquelas garotas estranhas que cheiram mal e acham que ser um vampiro significa ver quem pode ser o maior perdedor — Erin interrompeu.
— Ou se perguntando se você seria um deles — Damien disse, passando os olhos pela mesa a nossa esquerda.
Eu segui o olhar dele e senti os nervos quando reconheci a pessoa de quem ele estava falando.
—Você quer dizer Aphrodite?
— Sim — Damien disse. — E seu metido bando de aduladores
— Huh? Eu pisquei para ele.
Stevie Rae suspirou.
— Você vai se acostumar o vocabulário obsessivo de Damien. Graças a Deus esse não é um novo mundo então alguns de nós entendemos o que ele está falando sem precisar de tradução. De novo. Adulador - um servil lisonjeador. — Ela falou orgulhosa como se estivesse dando uma resposta na aula de inglês.
— Tanto faz. Eles me fazem sentir vontade de vomitar — Erin disse sem tirar os olhos da massa.
— Eles? — eu perguntei.
— As Filhas das Trevas — Stevie Rae disse, e eu notei que ela automaticamente baixou a voz.
— Pense neles como uma fraternidade — Damien disse.
— De bruxas do inferno — Erin disse.
— Hey, gente, acho que não deveríamos falar mal deles para Zoey, Ela pode se dar com eles.
— Que se foda isso. Elas são bruxas do inferno — Erin disse.
— Cuidado com a boca, Er Bear. Você tem que comer com ela — Damien disse animado.
Incrivelmente aliviada por nenhum deles gostar de Aphrodite, eu já estava me aprontando para pedir mais explicações quando uma garota chegou, e com uma grande bufada, deslizou a si e a bandeja ao lado de Stevie Rae. Ela era da cor de um cappuccino (o tipo que você consegue de uma verdadeira cafeteria e não a nojeira que você pega na máquina da Quick Trip) e tinha várias curvas com seus lábios cheios e bochechas elevadas que a faziam parecer uma princesa africana. Ela também tinha um ótimo cabelo. Era espesso e caia em escuras e brilhantes ondas nos ombros dela. Os olhos dela eram tão pretos que pareciam não ter pupilas.
— Ok, por favor! Por favor. Alguém — ela apontou para Erin — se incomodou de me acordar e me dizer que iríamos jantar?
— Eu acredito que seja sua colega de quarto, não sua mãe — Erin disse preguiçosamente.
— Não me faça cortar seu cabelo parecido com da Jessica Simpson no meio na noite — a princesa africana disse.
— Na verdade, o jeito certo de frasear isso seria “Não me faça cortar seu cabelo parecido com da Jessica Simpson no meio do dia.” Tecnicamente dia é noite para nós e a noite seria o dia. O tempo é reverso aqui.
A garota negra estreitou os olhos para ele. — Damien, você está me irritando com essa merda de vocabulário.
— Shaunee — Stevie Rae interrompeu brutamente. — Minha colega de quarto finalmente chegou. Essa é Zoey Redbird. Zoey, essa é a colega de Erin, Shaunee Cole.
— Olá — eu disse com a boca cheia de massa quando Shaunee virou seu olhar de Erin para mim.
— Então Zoey, qual é a da tua Marca ser colorida? Você ainda é uma caloura, não é? — Todos na mesa ficaram silenciosamente chocados com a pergunta de Shaunee. Ela olhou ao redor. — O que? Não finjam que vocês também não estão se perguntando a mesma coisa.
— Podemos estar, mas também podemos ser educados o suficiente para não perguntar — Stevie Rae disse firmemente.
— Oh, por favor. Tanto faz. — Ela suspirou com o protesto de Stevie Rae. — Isso é muito importante para isso. Todos querem saber sobre a Marca dela. Não tem tempo para ficar brincado quando fofoca está envolvida. — Shaunee virou para mim. — Então, qual é a da sua estranha Marca?
É melhor encarar isso agora. Eu tomei um rápido gole de chá e limpei a garganta. Os quatro estavam me olhando, esperando impacientemente pela minha resposta.
— Bem, eu sou uma caloura. Eu não acho que sou diferente de vocês. — Então comentei sobre algo que estava considerando enquanto todos estavam falando. Eu quero dizer, eu sabia que teria que responder essa pergunta eventualmente. Eu não sou estúpida - confusa, talvez, mas não estúpida - e algo me disse que eu precisava dizer algo além da minha experiência extracorpórea com Nyx. — Eu não sei com certeza porque a Marca está cheia. Não estava desse jeito quando o Rastreador me Marcou. Mas mais tarde naquele dia eu tive um acidente. Eu caí e bati a cabeça. Quando acordei a Marca estava assim. Eu estive pensando, e tudo que eu consegui pensar é que deve ter sido alguma estranha reação ao acidente. Eu estava inconsciente e perdi muito sangue. Talvez isso tenha feito algo para acelerar o processo que a escurece. Esse é meu palpite, de qualquer forma.
— Huh — Shaunee disse. — Eu estava esperando que fosse algo mais interessante. Algo bom para fofocar.
— Desculpe — eu murmurei.
— Cuidado Gêmea — Erin disse para Shaunee, jogando a cabeça em direção as Filhas das Trevas.
— Você está começando a soar como se devesse se sentar naquela mesa.
O rosto de Shaunee se contorceu. Eu não estaria nem morta com aquelas vacas.
— Vocês estão confundindo Zoey — Stevie Rae disse.
Damien deu um longo suspiro. — Eu vou explicar provando mais uma vez o quão valioso sou para este grupo, com ou sem pênis.
— Eu realmente queria que você não usasse a palavra com P — Stevie Rae disse. — Especialmente quando estou tentando comer.
— Eu gosto — Erin disse. — Se todos chamassem as coisas do que são seria muito menos confuso. Por exemplo, você sabe que quando eu tenho que ir ao banheiro eu digo o óbvio – eu tenho urina que precisa sair da minha uretra. Simples. Fácil. Claro.
— Nojento. Repugnante. Grosso — Stevie Rae disse.
— Estou com você Gêmea. — Shaunee disse. — Eu quero dizer, se falássemos bastante sobre coisas como urinar e menstruar, a vida seria muito mais simples.
— Ok. Chega da conversa sobre menstruação enquanto estou comendo massa. — Damien levantou a mão como se pudesse fisicamente parar a conversa. — Eu posso ser gay, mas tem um número limitado de coisas que eu posso aguentar. — Ele se inclinou na minha direção e começou sua explicação. — Primeiro Shaunee e Erin se chamam uma a outra de Gêmea porque embora elas claramente não sejam parentes - Erin sendo uma extremamente branca garota de Tulsa, e Shaunee sendo descendente de jamaicanos e da cor de chocolate de Connecticut... 
— Obrigado pela apreciação a minha pele escura — Shaunee disse.
— Sem problemas — agradeceu Damien e então continuou com a explicação. — Embora elas não sejam parentas de sangue elas são muito parecidas.
— É como se elas tivessem sido separadas no nascimento ou algo assim — Stevie Rae disse.
Ao mesmo tempo Shaunee e Erin se olharam e começaram a rir. Foi então que eu notei que elas estavam usando a mesma roupa - jaqueta de jeans escura, com lindas asas douras no bolso, camiseta preta, e calças de cintura baixa. Elas até estavam usando o mesmo brinco - enormes argolas de ouro.
— E o que é uma pequena diferença de melanina quando uma verdadeira amante de sapatos está envolvida? — Levantando o pé Shaunee mostrou outro ótimo par de botas - só que essas eram de couro preto com fivelas prateadas no tornozelo.
— Próxima! — Damien interrompeu, virando os olhos. — As Filhas das Trevas. A versão resumida é que elas são um grupo formado pela classe alta que dizem estar responsáveis pelo espírito escolar.
— Não, a versão resumida é que elas são bruxas do inferno — Shaunee disse.
— Foi exatamente o que eu disse, Gêmea — Erin riu.
— Vocês duas não estão ajudando — Damien disse a elas. — Agora, onde eu estava?
— Espírito escolar — eu respondi.
— Isso mesmo. Yeah, elas deveriam ser essa incrível organização pró-escola, pró-vampiros. E também, se assume que o líder delas vai crescer para ser a Alta Sacerdotisa, então ela deve ser o coração, mente, e espírito da escola - assim como a futura líder da sociedade vampiresca, etc, etc, blá, blá. Pense no Mérito Nacional Escolar responsável pela Sociedade de Honra misturada com líderes de torcida e um bando de bichas.
— Hey, isso não é desrespeitoso a sua gayzura os chamar eles de um bando de bichas? — Stevie Rae perguntou.
— Estou usando a palavra como um termo carinhoso — Damien disse. — E jogadores de futebol.
— Não esqueça que eles são Filhos das Trevas também — Erin disse.
— Uh-huh, Gêmea. É realmente um crime e uma pena que caras tão seriamente gostosos fiquem presos nessa...
— E ela está falando isso literalmente — disse Erin com um sorriso travesso.
— As bruxas do inferno — concluiu Shaunee.
— Alô! Como se eu fosse esquecer os caras? Vocês ficam me interrompendo. — As três garotas deram a ele um sorriso de desculpa. Stevie Rae fingiu fechar a boca e jogar fora a chave. Erin e Shaunee murmuraram “palerma” para ela, mas elas ficaram quietas para Damien poder terminar.
Eu notei que elas brincavam com a palavra “chupar,” me fazendo pensar que a pequena cena que eu tinha visto não era rara.
— Mas o que as Filhas das Trevas realmente são é um grupo de vadias metidas que andam mandando em todo mundo. Elas querem que todos as sigam, que se conforme com a ideia bizarra delas do que significa se tornar uma vampira. E o mais importante de tudo, elas odeiam humanos, e se você não se sente da mesma forma elas não querem nada a ver com você.
— A não ser para te zoar — Stevie Rae acrescentou.
Eu percebi pela expressão dela que ela deveria ter uma experiência própria com a parte do “zoar,” e lembrei o quão pálida e assustada ela parecia quando Aphrodite tinha me mostrado nosso quarto. Eu fiz uma nota mental para lembrar de perguntar a ela mais tarde sobre o que aconteceu.
— Mas não deixe elas te assustarem — Damien disse. — Só cuide das suas costas e...
— Olá, Zoey. Bom ver você tão cedo.
Eu não tive problemas em reconhecer a voz dessa vez. Eu decidi que era como mel - pegajosa e doce demais. Todos na mesa pularam, incluindo eu. Ela estava usando um suéter como o meu, com exceção que por cima do coração dela estava à silhueta prateada de três deusas iguais, uma delas segundo o que parecia um par de tesouras. Ela estava usando uma saia muito curta, uma meia calça que tinha brilhos prateados, e botas que iam até os joelhos. Duas garotas estavam atrás dela, vestidas de forma parecida. Uma era negra, com um cabelo impossivelmente longo (deve ser um bom aplique), e a outra era outra loira (que, com uma inspeção mais de perto das sobrancelhas dela, era provavelmente, eu decidi, tão loira natural quanto eu).
— Olá, Aphrodite — eu disse quando todos pareciam chocados demais para falar.
— Espero não estar interrompendo nada — ela disse nada sincera.
— Você não está. Só estávamos discutindo o lixo que precisa ser retirado hoje à noite — Erin disse com um enorme sorriso falso.
— Bem, você certamente deve saber tudo sobre isso — ela disse com um olhar de desprezo, e então virando as costas para Erin propositalmente, que estava apertando os punhos e parecendo que estava prestes a pular em cima de Aphrodite. — Zoey, eu deveria ter dito algo para você mais cedo, mas eu acho que eu esqueci. Eu queria te dar um convite para você se juntar as Filhas das Trevas no nosso privado Ritual de Lua cheia amanhã a noite. Eu sei que é raro para alguém que não está aqui a tempo o bastante participar do ritual tão rapidamente, mas sua Marca mostra claramente que você é, bem diferente da maioria dos calouros. — Ela olhou para baixo o nariz perfeito dela em Stevie Rae. — Eu já falei com Neferet, e ela concorda que seria bom para você se juntar a nós. Eu te dou os detalhes mais tarde, quando você não estiver tão ocupada com... Uh... Lixo. — Ela deu ao resto da mesa seu apertado sorriso sarcástico, virando seu longo cabelo enquanto saía.
— Bruxas do inferno — Shaunee e Erin falaram juntas.

10 comentários:

  1. vacas essas gurias não!!!???????

    ResponderExcluir
  2. Mano, esse seria o momento na qual eu me viraria e diria para elas:
    "Oh, não se preocupe. Eu tenho tempo suficiente para cuidar de lixo mais tarde também!" E daria um sorrisinho cínico.
    Mas, claro, tudo em pensamento, porque eu sou muito anjinha pra isso XD kkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kkkkkk eh nois, o ruim eh nn podermos nos defender dessas piranhas .-. Pq somos educadas demais pra isso hausuahua :v

      Excluir
  3. Isso está parecendo o filme garotas malvada

    ResponderExcluir
  4. Isso está parecendo garotas malvadas o filme

    ResponderExcluir
  5. Mds q vacas essas "filhas das trevas" e q nome lixo q elas se deram!! Espero q essa aphrodite va tomar no ** aquela ... Ta ai um xingamento q fica por conta da imaginação

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. n vo nem falar o q pensei pra elas kkkkk

      Excluir
  6. Prevejo brigas borrada e bomba kkkkkkk tá parei. Mais sério que várias da vontade de fazer uma fogueira e queimar elas. #Intendedores-Intenderao

    ResponderExcluir

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Os comentários estão demorando alguns dias para serem aprovados... a situação será normalizada assim que possível. Boa leitura!