22 de setembro de 2015

Capítulo 38

Eles chegaram ao Templo de Poseidon no Cabo Sunião. Netuno tinha razão. Havia mais uma coisa a ser feita. O passado havia sido alterado e os Três Grandes ainda eram jovens.
— Temos que ser a mesma coisa — insistiu Netuno — para evitar que tenhamos que alterar o futuro que você conhece.
— Sua idade não pode fazer tanta diferença — argumentou Emily. — Por favor, deixe-me destruir a arma.
— Não — disse Júpiter. — Temos que ser como você se lembra de nós.
Emily odiava a ideia de expô-lo novamente à arma. Era perigoso, e pura tortura. Mas estavam decididos. Só os Três Grandes precisavam envelhecer, de modo que era hora de os outros olímpicos se despedirem e irem embora.
— Tem certeza que não pode ficar comigo? — perguntou Vulcano para Stella. — Vou ficar perdido sem você.
Stella abraçou o olímpico robusto.
— Quem dera se pudesse. Mas preciso voltar para a minha família e para a minha vida. Prometo que nunca mais vou me esquecer de você e de tudo o que me ensinou! — disse ela em meio a lágrimas.
— Obrigado por tudo, Vulcano. Vou te ver em breve — prometeu Emily.
— Em breve para você, talvez — resmungou Vulcano. — Para mim, será uma eternidade.
— E para mim — acrescentou Chiron. Ele se curvou até a cintura. — Vocês são todos guerreiros fortes e fizeram por merecer o seu lugar entre nós.
A guerra estava longe de terminar e os olímpicos eram necessários em outro local. Agora apenas com Três Grandes, Emily usou seus poderes para abrir o buraco no chão, onde a caixa seria enterrada.
Joel ergueu a caixa de ouro que Maxine carregava e a colocou no chão à sua frente. Ele abriu a tranca e segurou a tampa até tudo estar pronto.
— OK, vou mantê-la aberta até vocês ficarem do jeito como nós nos lembramos, e depois a fecharei novamente.
Júpiter olhou para os irmãos.
— Estamos prontos.
Joel abriu a caixa dourada e os Três Grandes caíram no chão, contorcendo-se em agonia enquanto a arma titã os afetava.
Foi necessária toda a força de vontade de Emily para não fechá-la novamente, enquanto observava os três jovens olímpicos começando a envelhecer. Enquanto cada segundo se passava, seus cabelos foram crescendo e ficando ásperos e grisalhos. Longas barbas apareceram em seus rostos outrora macios. Suas sobrancelhas ficaram longas e espessas e rugas profundas passaram a cortar sua pele. Seus troncos musculosos foram murchando e revelaram os corpos de homens bem mais velhos.
— Agora, Joel! — gritou Emily quando Júpiter passou a ostentar a aparência da qual ela se lembrava.
Joel fechou a caixa.
Os Três Grandes ficaram quase inconscientes. Emily tocou cada um deles, na esperança de que seus poderes pudessem, pelo menos, aliviar o sofrimento. Funcionou. Em pouco tempo, eles se sentaram.
— Você nos conheceu assim? — gritou Plutão, olhando para os irmãos. — Somos velhos!
Emily acenou com tristeza, já sentindo a falta dos jovens que ela conheceu e gostou.
— Mas vocês ainda são muito poderosos.
Júpiter tentou se erguer no ar.
— Não posso mais voar.
Netuno tentou.
— E eu não posso mais me transportar! Somos meras sombras do que éramos. Como podemos continuar?
— Vocês sempre serão os Três Grandes — disse Emily. — Quando combinarem seus poderes, serão imbatíveis. A aparência não importa. Vocês me ensinaram isso.
— Então eu fui um tolo — suspirou Júpiter, mas depois começou a rir. — Bem, há algumas mulheres que acham que homens mais velhos são mais charmosos.
— É verdade, irmão — concordou Netuno.
Precisando voltar para a batalha, Júpiter deu um último e forte abraço em Emily.
— Não tenho como lhe dizer o quanto estou grato por vocês terem vindo até nós. Sentirei a falta de todos vocês, mais do que podem imaginar — de repente, o brilho da juventude voltou para seus olhos. — Talvez até mais do que minha juventude perdida!
— Por favor, tenham cuidado — disse Emily, abraçando cada um deles.
Antes que partissem, Joel os alertou para que não os reconhecessem do passado quando se encontrassem pela primeira vez durante o conflito dos Nirads.
— Entendo — disse Júpiter. — O futuro e as lembranças dele devem ser protegidos. Mas isso não quer dizer que eu não vou ficar contando os dias para vê-los novamente.
Com um aceno final, os Três Grandes usaram a Corrente Solar para retornar à batalha.
— E agora? — disse Stella.
— Agora vamos destruir essa arma! — disse Emily. — Joel, abra a caixa e vou atirar nela com tudo o que tenho.
— Espera! — gritou Stella. Ela colocou a adaga de prata que havia usado nos Titãs e a entregou para Emily. — Meus pais acharam esse punhal ao lado da caixa. Quando a abrirem, quero que encontrem isso em seu interior em vez da rocha. Ela impediu que os Titãs mandassem a arma para o Olimpo. Vulcano me ajudou a fazê-la e quero de volta para lembrar dele.
Emily sorriu.
— Boa ideia.
Ela deu um passo atrás enquanto Mike vinha se sentar no chão ao seu lado.
Joel ajoelhou-se atrás da caixa e estendeu a mão para abrir novamente a tranca.
— Vou contar até três. Um... dois... três!
Emily invocou a Chama assim que Joel abriu a tampa. Ela disparou com tudo o que tinha contra a arma titã. A pedra foi ficando brilhante e vermelha até desaparecer com um estalo.
Mas no instante em que a arma sumiu, Joel e Stella desapareceram.
— Joel? — gritou Emily. — Joel, cadê você?
O pânico tomou conta dela enquanto olhava ao redor para procurar Joel e Stella. Maxine ainda estava lá. No lugar onde Joel estava parado, Emily encontrou suas roupas e o pingente de Pegasus. O de Stella estava em cima do assento de sua cadeira de rodas.
— Joel? — berrou Emily.
— Acalme-se — disse Riza.
— Mas Joel se foi!
 Sim, claro — concordou Riza. — Você não entende? Esse era o botão de reinicialização do Agente B. As coisas voltaram a ser como eram antes de a arma ser encontrada. Muitos milhares de anos depois de agora, os pais de Stella vão abrir a caixa de ouro e encontrarão apenas a adaga que você esta prestes a colocar dentro dela.
“Sem a arma, a vida no Olimpo, em Xanadu e na Terra continuará como se esse incidente nunca tivesse acontecido. E, sem a arma, não havia necessidade para que voltasse ao passado”. 
“Quando retornar a Xanadu, verá que Joel e os outros não se lembrarão de nada. Para eles, não houve viagem ao passado, porque você alterou a linha do tempo. Só você e os olímpicos que permaneceram aqui é que vão se lembrar do que realmente aconteceu”.
Emily se sentia muito confusa para entender o que Riza queria dizer.
— Mas se isso era o botão de reinicialização, por que Mike e eu ainda estamos aqui?
Riza riu suavemente.
— Eu lhe disse, criança, somos Xan. Vivemos fora dos limites de tempo ou espaço. Não somos limitados por suas regras. Mike a tocava quando você destruiu a arma. Você o protegeu. Ele também existe além das fronteiras do tempo. Vamos, Pegasus está esperando. Leve-nos para casa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Os comentários estão demorando alguns dias para serem aprovados... a situação será normalizada assim que possível. Boa leitura!