30 de setembro de 2015

Capítulo 25

O outro dia começou com o que olhando para trás uma suspeita normalidade. Stevie Rae e eu tomamos café da manhã, ainda sussurrando uma boa fofoca sobre o quão gostoso Erik era e tentando descobrir o que eu iria usar no encontro no sábado. Nem vimos Aphrodite ou as três bruxas, Terrível, Pronta para guerra e Arfar. A aula de sociologia era tão interessante - saímos das Amazonas para aprender sobre um antigo festival dos vampiros gregos chamados Correia - que eu parei de pensar sobre ao ritual das Filhas das Trevas planejado para mais tarde, e por um tempo eu realmente parei de me preocupar sobre o que eu iria fazer com Aphrodite. A aula de teatro também foi boa. Eu decidi fazer um dos solilóquios de Kate de O amansar da Víbora (amo essa peça desde que vi o antigo filme estrelado por Elizabeth Taylor e Richard Burton).
Então quando estava saindo da aula, Neferet esbarrou em mim no corredor e perguntou até onde eu tinha ido com o livro de sociologia avançado. Eu tive que dizer a ela que não tinha lido muito (Tradução: não li nada) ainda, e eu estava totalmente distraída pelo desapontamento óbvio dela em relação a mim quando corri para a aula de inglês. Eu tinha acabado de sentar entre Damien e Stevie Rae quando começou a confusão, e tudo parecendo vagamente a algo normal sobre aquele dia terminou.
Penthesilea estava lendo “Você vai e eu fico um pouco, Capitulo Quatro” de Uma noite para lembrar. É um livro muito bom, e estávamos todo escutando como sempre, e então aquele estúpido garoto Elliott começou a tossir. Droga, o garoto era totalmente e completamente irritante.
Em alguma parte no meio do capítulo e óbvia tosse eu comecei a sentir o cheiro de algo. Era rico e doce, delicioso e sedutor. Automaticamente, eu inalei profundamente, ainda tentando me concentrar no livro.
A tosse de Elliott ficou pior, e com o resto da turma eu me virei para dar a ele um olhar seco.
Eu quero dizer, por favor. Ele não podia tomar um remédio para tosse ou beber água ou algo assim? E então eu vi sangue.
Elliott não estava na sua preguiçosa posição para dormir. Ele estava sentado direito, olhando para a mão, que estava coberta com sangue fresco. Enquanto eu o observava, ele tossiu de novo, fazendo um horrível, som molhado que me lembrou do dia em que eu fui Marcada. Só que quando Elliott tossiu, sangue brilhante e vermelho saiu da boca dele.
— O que? — ele gargarejou.
— Chame Neferet! — Penthesilea surtou a ordem enquanto ela abria uma das gavetas da sua mesa, pegava uma toalha muito bem dobrada, e se movia rapidamente para o lado de Elliott.
O garoto que estava sentado perto da porta saiu correndo.
Em absoluto silêncio vimos Penthesilea chegar em Elliott logo a tempo da próxima tosse de sangue, que ela pegou com a toalha. Ele agarrou com força a toalha no rosto, se agarrando e cuspindo e vomitando. Quando ele finalmente olhou para cima, lágrimas de sangue estavam correndo por seu rosto pálido e redondo, e sangue estava escorrendo do nariz dele como se fosse uma torneira que alguém deixou aberta. Quando ele virou sua cabeça para olhar para Penthesilea, eu pude ver que tinha uma corrente vermelha saindo da orelha dele também.
— Não! — Elliott disse com mais emoção do que eu já o vi demonstrar. — Não! Eu não quero morrer!
— Sssh — Penthesilea gritou, tirando o cabelo laranja dele do rosto suado. — Sua dor vai acabar em breve.
— Mas... Mas, eu não. Eu... – Ele começou a protestar de novo, com uma voz irritante que parecia mais com a dele, e então ele foi interrompido por outra rodada de tosse. Ele vomitou de novo, dessa vez sangue na já encharcada toalha.
Neferet entrou na sala com dois altos e parecendo muito poderosos homens atrás dela. Eles carregavam uma maca e um cobertor; Neferet só carregava um vidro cheio de um líquido cor de leite. Não dois suspiros atrás deles, Dragon Lankford entrou na sala.
— Esse é o mentor dele — Stevie Rae sussurrou baixinho. Eu acenei, lembrando quando Penthesilea tinha brigado com Elliott por desapontar Dragon.
Neferet deu o frasco que estava segurado para Dragon. Então ela parou atrás de Elliott. Ela colocou as mãos nos ombros dele. Instantaneamente, o vômito e a tosse diminuíram.
— Beba isso rapidamente Elliott — Dragon ordenou a ele. Quando ele começou a fracamente balançar a cabeça dizendo não, ele acrescentou gentilmente — vai fazer sua dor terminar.
— Você - você vai ficar comigo? — Elliott perguntou.
— É claro — Dragon respondeu. — Não vou deixar você ficar sozinho nem por um segundo.
— Você vai ligar para minha mãe? — Elliott sussurrou.
— Eu vou.
Elliott fechou os olhos por um segundo, e então, com as mãos trêmulas colocou o frasco nos lábios e bebeu. Neferet acenou para os dois homens, e eles o pegaram e o deitaram na maca como se ele fosse uma boneca e não um garoto morrendo. Com Dragon ao lado, eles se apressam para fora da sala. Antes de Neferet os seguir ela virou para olhar para a chocada turma de terceiranistas.
— Eu poderia dizer que Elliott vai ficar bem - que ele vai se recuperar, mas isso seria uma mentira. — A voz dela era serena, mas cheia de uma controlada força. — A verdade é que o corpo dele rejeitou a Mudança. Em minutos ele vai morrer a permanente morte e não irá se transformar em um vampiro maduro. Eu poderia dizer a vocês não se preocuparem, que não irá acontecer com vocês. Mas isso também seria uma mentira. Em média, um a cada dez de vocês não vai fazer a Mudança. Alguns calouros morrem cedo quando são terceiranistas, como Elliott. Alguns de vocês serão mais fortes e durar até o serem sextanistas, e então vão adoecer e morrer de repente. Eu digo isso a vocês não para que vivam com medo. Eu digo por duas razões. A primeira, eu quero que saibam que como sua Alta Sacerdotisa não vou mentir para vocês, mas vou ajudar a facilitar a ida para o próximo mundo se hora chegar. E segundo, eu quero que vocês vivam como se lembrassem que podem morrer amanhã, porque vocês podem. Então se vocês realmente morrem seu espírito poderá descansar pacificamente sabendo que deixaram para trás uma memória honrável. Se você não morrer, então terá feito a fundação para uma longa e rica vida com integridade. — Ela olhou diretamente para os meus olhos e então terminou dizendo: — eu peço que a benção de Nyx os confortem hoje, e que vocês lembrem que a morte é uma parte natural da vida, mesmo para a vida de um vampiro. Pois algum dia todos voltamos para o seio da deusa. — Ela fechou a porta atrás dela com um som que pareceu ecoar infinitamente.
Penthesilea trabalhou rápida e eficientemente. Na verdade ela limpou as manchas de sangue que mancharam a mesa de Elliott. Quando todas as evidências do garoto moribundo desapareceram, ela voltou para frente da sala e fez um momento de silêncio por Elliott.
Então ela pegou o livro e voltou a ler de onde ela parou. Eu tentei prestar atenção. Eu tentei bloquear a visão de Elliott sangrando pelos olhos e ouvidos e nariz e boca. E eu também tentei não pensar sobre o fato de que o cheiro delicioso que eu tinha sentido tinha sido, sem dúvidas, o sangue de Elliott saindo do corpo moribundo dele.
Eu sei que as coisas deveriam continuar normalmente depois que calouros morrem, mas aparentemente era raro para dois garotos morrerem em um período de tempo tão curto, e todos ficaram nada naturalmente silenciosos pelo resto do dia. O almoço foi silencioso e deprimente, e eu notei que a maior parte da comida foi mais remexida do que comida. As Gêmeas nem incomodaram Damien, o que teria sido uma boa mudança se eu não soubesse a horrível razão por trás disso. Quando Stevie Rae inventou alguma desculpa esfarrapada para sair do almoço mais cedo e voltar para o quarto antes do quinto período começar, eu estava mais que feliz de dizer que iria com ela. 
Andamos na calçada na grossa escuridão de outra noite com nuvens. Hoje as luzes não pareciam alegres e quentes. Ao invés disso elas pareciam frias e não claras o bastante.
— Ninguém gostava de Elliott, o que de algum jeito eu acho que piora as coisas — Stevie Rae disse. — Foi mais fácil com Elizabeth. Pelo menos podíamos honestamente nos sentir triste por ela ter morrido.
— Eu sei o que você quer dizer. Eu me sinto chateada, mas sei que estou realmente chateada por ter visto o que pode acontecer conosco e agora não consigo tirar isso da cabeça, e não chateada porque o garoto morreu.
— Pelo menos foi rápido — ela disse suavemente.
Eu tremi. — Me pergunto se dói.
— Eles te dão algo - aquela coisa branca que Elliott bebeu. Faz parar de doer, mas deixa você ficar consciente até o final. E Neferet sempre ajuda com a parte de estar morrendo.
— É assustador não é? — eu disse.
— Sim.
Não falamos nada por um tempo. Então a lua apareceu através das nuvens, pintando as folhas das árvores com um tom levemente prateado, e me lembrou de repente de Aphrodite e do ritual dela.
— Alguma chance de Aphrodite cancelar o ritual de Samhain hoje à noite?
— De jeito nenhum. Os rituais das Filhas das Trevas nunca são cancelados.
— Bem, diabos — eu resmunguei. Então olhei para Stevie Rae. — Ele foi o refrigerador deles.
Ela me deu um olhar assustado. — Elliott?
— Sim, foi muito nojento, e ele agiu como se estivesse drogado e estranho. Ele deve ter começado a rejeitar a Mudança mesmo naquela época. — Houve um silencio desconfortável, e então acrescentei — eu não quis dizer nada antes para você, especialmente depois que você me contou sobre... Bem... Você sabe. Tem certeza que Aphrodite não vai cancelar hoje à noite? Eu quero dizer, com Elizabeth e agora Elliott.
— Não importa. E as Filhas das Trevas não se importam com os garotos que usam para ser um refrigerador. Eles apenas vão conseguir outra pessoa.
Ela hesitou. — Zoey, eu estive pensando. Talvez você não devesse ir hoje à noite. Eu ouvi o que Aphrodite disse para você ontem. Ela vai se certificar que ninguém aceite você. Ela vai ser muito, muito maldosa.
— Eu ficarei bem, Stevie Rae.
— Não, eu tenho um mau pressentimento. Você ainda não tem um plano, tem?
— Bem, não. Eu ainda estou no estágio de reconhecimento — eu respondi, tentando tornar a conversa mais leve.
— Faça o reconhecimento depois. Hoje foi horrível. Todos estão chateados. Eu acho que você deveria esperar.
— Eu não posso não aparecer, especialmente depois do que Aphrodite disse para mim ontem. Ela vai achar que pode me intimidar.
Stevie Rae respirou fundo. — Bem, então acho que você deveria me levar com você. — Eu comecei a balançar a cabeça mas ela continuou falando. — Você é uma Filha da Treva agora. Tecnicamente, você pode convidar as pessoas para o ritual. Então me convide. Eu vou te dar auxílio.
Eu pensei sobre o negócio de beber sangue e gostar tanto que foi óbvio até para Pronta pra Guerra e Terrível. E eu tentei, e falhei não pensar sobre o cheiro de sangue - o de Heath e Erik e Elliott. Stevie Rae iria descobrir algum dia o quanto o sangue me afetava, mas não seria hoje à noite. Na verdade, se eu pudesse impedir, não seria tão cedo. Eu não queria me arriscar em perder ela ou as Gêmeas ou Damien - e eu estava com medo que eu fosse. Sim, eles sabiam que eu era “especial”, e eles me aceitaram essa raridade significa Alta Sacerdotisa para eles, e é algo bom. Minha ânsia por sangue não era tão boa. Eles aceitariam tão fácil?
— De jeito nenhum, Stevie Rae.
— Mas Zoey, você não deveria entrar naquele bando de bruxas sozinha.
— Não estarei sozinha. Erik estará lá.
— Sim, mas ele costumava ser o namorado de Aphrodite. Quem sabe o quão bom ele será para te defender se ela agir de forma horrível com você.
— Querida, eu posso cuidar de mim mesma.
— Eu sei, mas... — Ela parou e então me deu um olhar engraçado. — Z, você está vibrando?
— Huh? Estou o que? — E então eu ouvi também, e comecei a rir. — É meu celular. Eu coloquei na minha bolsa depois de carregar ontem à noite. — Eu o tirei da bolsa, olhando para a hora no display. — Já passa da meia-noite, quem diabos... — Abrindo o telefone fiquei chocada por ver que tinha quinze novas mensagens e cinco ligações perdidas. — Droga, alguém esteve me ligando e ligando, e eu nem notei. — Eu cheguei às mensagens de texto antes, e então meu estomago começou a se apertar enquanto eu as lia.
Zo me liga eu ainda amo vc.
Zo me liga p. favor.
Tenho q ver vc
Vc e eu
Vc vai ligar?
Eu quero fala com vc Zo!
Me ligue de volta
Eu não precisei ler mais nenhuma delas. Elas eram basicamente a mesma coisa. — Ah, merda. São todas do Heaht.
— Seu ex?
Eu suspirei. — Sim.
— O que ele quer?
— Aparentemente eu. — Relutantemente, eu coloquei o código para acessar minha caixa de mensagens, e a voz boba e fofa de Heath me chocou por estar tão alta e animada.
— Zo! Me ligue. Tipo, eu sei que é tarde, mas... Espera. Não é tarde para você, mas é tarde para mim. Mas está tudo bem porque eu não me importo. Eu só quero que você me ligue. Ok. Então. Tchau. Me liga.
Eu gemi e a deletei. A outra parecia ainda mais maníaca.
— Zoey! Ok. Você precisa me ligar. Verdade. E não fique brava. Hey, eu nem gosto de Kayla. Ela é chata. Eu ainda amo você, Zo, só você. Então me liga. Não me importa quando. Eu vou apenas acordar.
— Cara, oh cara — Stevie Rae disse, facilmente ouvindo a falação de Heath. — O cara está obcecado. Não é de se admirar que você chutou ele.
— Sim — eu murmurei, rapidamente deletando a segunda mensagem. A terceira era muito parecida com as outras duas só que mais desesperada. Eu baixei o volume e bati o pé impacientemente enquanto passava pelas cinco mensagens, sem ouvir a não ser para ver quando eu podia a deletar e ir para a próxima. — Eu preciso ir ver Neferet — eu disse mais para mim mesma do que Stevie Rae.
— Por quê? Você precisa impedir ele de te ligar ou algo assim?
— Não. Sim. Algo assim. Eu só preciso falar com ela sobre, bem, sobre o que eu deveria fazer.
Eu evitei o olhar curioso de Stevie Rae.
— Eu quero dizer, ele já apareceu aqui uma vez. Eu não quero que ele passe aqui de novo e cause algum problema.
— Oh, sim, é verdade. Será ruim se ele se encontrar com Erik.
— Será horrível. Ok é melhor eu me apressar e tentar pegar ela antes do quinto período. Te vejo depois da aula.
Eu não esperei pelo tchau de Stevie Rae, mas sai correndo na direção da sala de Neferet. Esse dia poderia ficar pior? Elliot morre e eu me sinto atraída pelo sangue dele. Eu tenho que ir para o ritual de Samhain hoje à noite com um bando de garotas que me odeiam e querem se certificar de que eu saiba disso, e eu provavelmente tive um Imprint com meu quase ex-namorado.
Sim. Hoje realmente, realmente está sendo uma merda.

2 comentários:

  1. Então o Heath tá imprintado, que surpresa, todos já sabíamos pra onde aquela chupação de pulso estava levando.

    ResponderExcluir

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Os comentários estão demorando alguns dias para serem aprovados... a situação será normalizada assim que possível. Boa leitura!