30 de setembro de 2015

Capítulo 23

— Eu espero que o resto do pessoal possa encontrar — eu falei, olhando ao meu redor enquanto Stevie Rae e eu esperávamos no enorme carvalho. — Não parecia tão escuro ontem à noite.
— Não estava. Tem muitas nuvens hoje, então a lua está tendo problemas em nos iluminar. Mas não se preocupe, a Mudança está fazendo coisas muito boas com a nossa visão noturna. Droga, eu acho que posso ver tão bem quanto Nala. — Stevie Rae acariciou a gata afeiçoadamente na cabeça e Nala fechou os olhos e ronronou. — Eles vão nos encontrar.
Eu me inclinei contra a árvore e me preocupei. O jantar estava bom - galinha fervida, arroz temperado, e ervilhas (uma coisa que eu posso dizer desse lugar, eles podem realmente cozinhar) - yeah, tudo estava ótimo. Até Erik passou na nossa mesa e disse oi. Ok, não foi realmente um “oi, Z, eu ainda gosto de você”. Fui um “oi Zoey.” Ponto. Sim. Foi isso. Ele pegou a comida dele e estava andando com alguns outros caras que as Gêmeas chamavam de gostosos. Eu admito que eu nem notei eles. Eu estava ocupada demais notando Erik. Eles vieram para nossa mesa. Eu olhei para cima e sorri. Ele encontrou meus olhos por um segundo, e disse, “Oi Zoey,” e continuou passando. E de repente a galinha não estava tão gostosa.
— Você feriu o ego dele. Seja gentil com ele e ele vai te pedir para sair de novo — Stevie Rae falou, trazendo eu e meus pensamentos de volta para o presente de baixo da árvore.
— Como você sabia que eu estava pensando em Erik? — Eu perguntei.
Stevie Rae acariciou Nala silenciosamente, então eu me abaixei para acariciar a gata no topo da cabeça antes dela começar a reclamar de novo.
— Porque era isso que eu estava pensando.
— Bem, eu deveria estar pensando sobre o círculo que tenho que lançar, mas nunca lancei antes na vida, e no ritual de purificação que eu tenho que fazer, e não em um cara.
— Ele não é um cara. Ele é um ótimooo cara — Stevie Rae babou, me fazendo rir.
— Você deve estar pensando em Erik — Damien aconselhou, saindo das sombras do muro. — Não se preocupe. Eu vi o jeito que ele estava te olhando no almoço. Ele vai te pedir para sair de novo.
— Sim, vai por ele — concordou Shaunee.
— Ele é o nosso expert em Todas As Coisas de Homem — completou Erin enquanto eles se juntaram embaixo da árvore.
— Verdade — Damien disse.
Antes de eles fazerem minha cabeça doer mudei de assunto. — Pegaram as coisas que precisávamos?
— Eu tive que misturar a sálvia seca com a lavanda. Eu espero que esteja tudo bem por ter amarrado elas assim. — Damien tirou o galho de ervas secas da manga da jaqueta e me entregou. Era grosso e tinha quase trinta centímetros, e imediatamente eu senti o cheiro da doce lavanda. Ele prendeu o maço com força junto numa ponta que parecia mais grossa.
— Está perfeito. — Eu sorri para ele.
Ele pareceu aliviado, e então disse um pouco tímido — eu usei meu ponto cruz para prender.
— Hey, eu já te disse antes que você não deve se sentir envergonhado que você goste de costurar. Eu acho que é um hobby legal. Além do mais, você é muito bom nisso — repreendeu Stevie Rae.
— Eu queria que meu pai achasse isso também — Damien disse.
Eu odiei ouvir a tristeza na voz dele. — Eu queria que você me ensinasse algo. Eu sempre quis saber como fazer ponto cruz — eu menti, e fiquei feliz de ver o rosto de Damien se iluminar.
— A qualquer hora, Z — ele disse.
— E quanto as velas? — eu perguntei as Gêmeas.
— Hey, falamos pra você. Fácil... — Shaunee abriu a sua bolsa e pegou uma vela verde, amarela e azul com seus copos de cor correspondente.
— Fácil. — Da bolsa dela Erin tirou a vela vermelha envolvida no mesmo recipiente.
—Ótimo. Ok, vamos ver. Vamos para cá, um pouco longe do tronco, mas perto o bastante para ficarmos de baixo dos galhos. — Eles me seguiram enquanto dei alguns passos para longe de árvore. Eu olhei para as velas. O que eu deveria fazer? Talvez eu devesse... E enquanto eu pensava sobre isso, eu soube. Sem parar para me perguntar por que ou como ou questionar o intuitivo conhecimento que tinham de repente vindo para mim, eu simplesmente agi. — Vou dar a cada um vocês uma vela. Então, como aconteceu com os vampiros no Ritual da Lua Cheia de Neferet, vocês vão representar um elemento. Eu serei o espírito. — Erin me deu a vela púrpura.
— Eu sou o centro do círculo. O resto de vocês tomem seus lugares ao meu redor. — Sem hesitar eu peguei a vela vermelha de Erin e entreguei para Shaunee. — Você será o fogo.
— Parece bom para mim. Quero dizer, todos sabem o quanto sou quente.
Ela riu e foi para a parte sul do círculo. A vela verde foi a próxima. Eu me virei para Stevie Rae.
— Você será a terra.
— E verde é minha cor favorita! — ela exclamou se movendo feliz do outro lado de Shaunee.
— Erin, você será água.
— Ótimo. Eu costumava gostar de relaxar, o que envolvia nadar quando eu precisava me acalmar. — Erin se moveu para a posição oeste.
— Então eu devo ser o ar — Damien disse, pegando a vela amarela.
— Você é. Seu elemento abre o círculo.
— Como eu queria poder abrir a mente das pessoas — ele disse, se movendo para a posição leste.
Eu dei um quente sorriso para ele. — Sim. Como isso.
— Ok. E agora? — Stevie Rae perguntou.
— Bem, vamos usar a fumaça do galho para nos purificar. — Eu coloquei a vela púrpura nos meus pés para poder me concentrar no galho de reza. Então virei os olhos. — Bem, diabos. Alguém se lembrou de trazer fósforo ou um isqueiro ou algo assim?
— Naturalmente — Damien falou, tirando um isqueiro do bolso.
— Obrigada, ar — eu agradeci.
— Nem esquenta Alta Sacerdotisa — ele brincou.
Eu não disse nada, mas quando ele me chamou assim um calafrio de excitação passou pelo meu corpo.
— É assim que usamos um galho de reza — eu disse feliz por minha voz soar mais calma do que eu me sentia. Eu fiquei na frente de Damien, decidido começar por onde o círculo começava.
Percebendo que eu estava seguindo as lições da minha avó dadas a mim na infância, eu comecei a explicar o processo para os meus amigos.
— Esse ritual serve para limpar uma pessoa, lugar, ou um objeto de energia negativa, espírito, ou influência. A cerimônia envolve queimar plantas sagradas e especiais, então, passar o objeto pela fumaça, ou passar a fumaça ao redor da pessoa ou lugar. O espírito da planta purifica o que estiver sendo esfumaçado. — Eu sorri para Damien. — Pronto?
— Afirmativo — respondeu ele do seu jeito tipicamente Damien.
Eu acendi o galho e deixei o fogo queimar as ervas secas por um tempo, então eu a assoprei para que tudo que sobrasse fosse uma agradável brasa de fumaça. Então, começando pelos pés de Damien, eu passei a fumaça pelo corpo dele enquanto continuava minha explicação sobre a antiga cerimônia.
— É realmente importante lembrar que estamos pedindo para o espírito das plantas sagradas que estamos usando para nos ajudar, e deveríamos mostrar a elas o devido respeito reconhecendo o poder delas.
— O que lavanda e sálvia fazem? — Stevie Rae perguntou do outro lado do círculo.
Enquanto eu esfumaçava o corpo de Damien eu respondi a pergunta de Stevie Rae.
— Sálvia é usada em muitas das cerimônias tradicionais. Ela retira energias negativas, espíritos, e influências. Na verdade, a sálvia do deserto faz a mesma coisa, mas eu prefiro a sálvia branca porque tem um cheiro melhor. — Eu cheguei à cabeça de Damien e ri para ele. — Boa escolha, Damien.
— Às vezes eu acho que sou um pouco intuitivo — Damien disse. Erin e Shaunee bufaram, mas nós ignoramos elas.
— Ok, vire no sentido do relógio e vou terminar com as suas costas — eu disse a ele. Ele virou e eu continuei. — Minha avó sempre usa lavanda em todos os seus galhos de reza. Eu tenho certeza que é parte dos motivos dela ser dona de uma fazenda de lavanda.
— Legal! — Comentou Stevie Rae.
— Sim, é um lugar incrível. — Eu sorri por cima do meu ombro para ela, mas eu continuei fumegando Damien. — A outra parte do porque ela usa lavanda é porque é capaz de restaurar o balanço e criar uma atmosfera pacífica. Também atrai energia amorosa e espíritos positivos.
Eu dei uma batidinha no ombro de Damien então ele se virou. — Você está pronto. — Então me movi até Shaunee, que estava representado o elemento de fogo, e comecei a fumegar ela.
— Espíritos positivos? — Stevie Rae disse, parecendo jovem e assustada. — Eu não sabia que iríamos chamar mais do que os elementos no círculo.
— Por favor. Apenas por favor, Stevie Rae. — Pediu Shaunee, franzindo através da fumaça para Stevie Rae. — Você não pode ser uma vampira e ter medo de fantasmas.
— Espera Zoey não está falando sobre os espíritos Cherokee? Eles provavelmente não vão prestar muita atenção para uma cerimônia feita por um bando de vampiros calouros que não são descendentes de índios que supera a nossa Alta Sacerdotisa Cherokee em quatro a um — Damien comentou.
Eu terminei com Shaunee e me movi para Erin. — Eu não acho que importa tanto o que somos por fora — eu disse, instantaneamente sentindo a certeza do que eu estava dizendo. — Eu acho que o que importa é nossa intenção. E meio assim: Aphrodite e seu grupo são umas das mais bonitas, e mais talentosas garotas nessa escola, e as Filhas das Trevas deveria ser um clube incrível. Mas ao invés disso nós a chamamos de bruxas e elas são basicamente um bando de valentonas e mimadas pirralhas. — Me pergunto como Erik se encaixa nisso? Ele realmente era “tanto faz” em relação ao grupo, como ele me disse, ou era algo mais profundo que isso, como Aphrodite implicou?
— Ou garotos que foram obrigados a participar e estão juntos pacote — Erin disse.
— Exato. — Eu mentalmente me repreendi. Agora não era a hora para sonhar acordada com Erik.
Eu terminei de esfumaçar Erin e fui até Stevie Rae. — O que eu quero dizer é que acho que o espírito dos meus ancestrais podem nos ouvir, como eu acho que o espírito da sálvia e da lavanda funcionam em nós. Mas não acho que temos nada para ter medo, Stevie Rae. A nossa intenção não é chamar eles aqui para chutarmos a bunda de Aphrodite. — Eu parei rindo e acrescentei — embora a garota definitivamente precise de um bom chute na bunda. E eu não acho que vá haver fantasmas assustadores andando por aqui hoje à noite — eu disse firmemente, então entreguei o galho para Stevie Rae e disse, — Ok, agora você faz em mim. — Ela começou a imitar minhas ações e eu relaxei com a doce fumaça familiar enquanto ela era passada ao meu redor.
— Não vamos pedir a ajuda deles para chutar a bunda dela? — Shaunee definitivamente parecia desapontada.
— Não. Estamos nos purificando para pedir que Nyx nos guie. Eu não quero bater em Aphrodite.
Eu me lembrei do quão bem me senti ao jogar ela pra longe de mim e dizer para ela pastar.
— Bem, ok, eu posso gostar da ideia, mas a verdade é que isso não resolve o problema das Filhas das Trevas.
Stevie Rae terminou de me esfumaçar e eu peguei o galho dela e cuidadosamente o esfreguei no chão. Então voltei para o centro do círculo onde Nala estava enrolada contente em uma pequena bola de pelos laranja ao lado da vela de espírito. Eu olhei ao redor para os meus amigos.
— É verdade que não gostamos de Aphrodite, mas acho importante não se concentrar em coisas negativas como chutar a bunda dela ou a expulsar das Filhas das Trevas. Isso é o que ela faria em nosso lugar. O que queremos é o que é certo. Mais justiça do que vingança. Somos diferentes dela, e se de alguma forma formos capazes de tomar o lugar dela nas Filhas das Trevas, esse grupo será diferente também.
— Vê, é por isso que você será a Alta Sacerdotisa e Erin e eu seremos suas atraentes ajudantes. Porque somos superficiais e só queremos arrancar a cabeça de vento dela — Shaunee falou, enquanto Erin acenava.
— Apenas pensamentos positivos, por favor — Damien disse afiadamente. — Estamos no meio de um ritual de purificação!
Antes de Shaunee poder fazer algo além de olhar para Damien, Stevie Rae disse: — Okay! Estou pensando apenas em coisas positivas, como o quão incrível seria se Zoey fosse a líder das Filhas das Trevas!
— Boa ideia, Stevie Rae — admitiu Damien. — Estou pensando o mesmo.
— Hey! Esse é meu pensamento feliz também — Erin disse. — Peter Pan comigo, Gêmea (pra quem não lembra, para voar no mundo de Peter Pan pensamentos felizes eram necessários).
Ela chamou Shaunee, que parou de olhar com raiva para Damien e disse: — Você sabe que sempre estou afim de pensamentos felizes. E seria ótimo se Zoey estivesse no comando das Filhas das Trevas e no caminho para se transformar numa Alta Sacerdotisa de verdade.
Alta Sacerdotisa de verdade... Eu imaginei brevemente se era uma coisa boa ou ruim que essas palavras me faziam sentir que eu estava prestes a vomitar. De novo. Respirando, eu acendi a vela roxa. — Prontos? — eu perguntei para os quatro.
— Prontos! — Eles falaram juntos.
— Ok, peguem suas velas.
Sem hesitar (o que significa que eu também não estava me dando tempo para amarelar), eu carreguei a vela até Damien. Eu não era experiente e brilhante como Neferet era, ou sedutora e confiante como Aphrodite. Eu era apenas eu. Apenas Zoey - a estranha familiar que passou de ser uma quase normal estudante do colegial para uma estranha vampira caloura. Eu respirei fundo. Como vovó diria tudo o que eu podia fazer era o meu melhor.
— Ar está em toda parte, então apenas faz sentido que você seja o primeiro elemento a ser chamado no círculo. Eu peço que você me ouça, ar, e eu o convoco para esse círculo. — Eu acendi a vela amarela de Damien com a minha púrpura e instantaneamente a chama começou a queimar como louca. Eu observei os olhos de Damien ficarem grandes e redondos encarando quando o vento de repente apareceu eu um mini redemoinho ao redor de nossos corpos, levantando nosso cabelos e passando suavemente contra a nossa pele.
— É verdade — ele sussurrou, me encarando. — Você pode realmente manifestar os elementos.
— Bem — eu sussurrei de volta, me sentindo mais leve — um deles pelo menos. Vamos tentar dois.
Eu fui até Shaunee. Ela ergueu a vela dela para mim e me fez sorrir quando ela disse: — estou pronta para o fogo - pode mandar ver!
— Fogo me lembra das noites frias de inverno e o calor e a segurança da lareira que esquentava o chalé da minha avó. Eu peço que você me ouça, fogo, e eu te convoco para este círculo. — Eu acendi a vela vermelha e a chama queimou muito mais brilhante do que deveria ser possível para uma vela comum. O ar ao redor de Shaunee e eu de repente foi preenchido com um rico, cheiro de madeira e o calor de uma lareira acesa.
— Wow! — Shaunee exclamou os olhos escuros dela dançando com o reflexo da brilhosa chama da vela. — Agora, isso é legal!
— São dois — eu ouvi Damien dizer.
Erin estava rindo quando tomei meu lugar na frente dela. — Estou pronta para água — ela falou rapidamente.
— Água é o alívio do quente verão de Oklahoma. É o incrível oceano que eu realmente gostaria de ver algum dia, e é a chuva que faz a lavanda crescer. Eu peço que você me ouça, água, e eu te convoco para este círculo.
Eu acendi a vela azul e senti frio instantaneamente contra a minha pele, assim como cheiro limpo, e salgado do que só poderia ser o oceano que eu nunca vi.
— Incrível, muito, muito incrível — Erin declarou, respirando fundo o ar do oceano.
— São três — Damien disse.
— Eu não estou mais assustada — Stevie Rae admitiu quando parei na frente dela.
— Ótimo — eu disse. Então foquei minha mente no quarto elemento, terra. — A terra nos suporta e nos rodeia. Não seriamos nada sem ela. Eu peço que você me ouça, terra, e eu te convoco para ele círculo. — Então acendi a vela verde com facilidade, e de repente Stevie Rae e eu estamos sobrepujadas pelo doce aroma da grama recém-cortada. Eu ouvi o ruído das folhas do carvalho e olhamos para cima para ver o grande carvalho literalmente baixando seus galhos até nós como se pudesse nos proteger do perigo.
— Totalmente incrível — Stevie Rae falou.
— Quatro — Damien disse sua voz cheia de excitação.
Eu andei rapidamente para o centro do círculo e levantei minha vela púrpura.
O último elemento é o que preenche tudo e todos. Nos faz únicos e respira vida em tudo. Eu peço que você me ouça, espírito, e eu te convoco para este círculo.
Inacreditavelmente, parecia que de repente eu estava cercada pelos quatro elementos, que eu estava no meio de um redemoinho feito de ar e fogo, água e terra. Mas não foi assustador, nenhum pouco. Me encheu de paz, e ao mesmo tempo eu senti a tempestade de um poder quente e branco e tive que pressionar os lábios com força para não rir de pura alegria.
— Olhem! Olhem para o círculo! — Damien gritou.
Eu pisquei minha visão clara e instantaneamente senti os quatro elementos se assentarem, como se fossem gatinhos que brincavam ao meu redor, esperando felizes que eu os chamasse para bater no barbante e fazer algo. Eu estava sorrindo para eles com a comparação quando eu vi a luz brilhante que apareceu ao redor da circunferência do círculo, iluminando Damien, Shaunee, Erin e Stevie Rae. Era brilhante e clara, e a luminosidade prateada da lua cheia.
— E são cinco — Damien disse.
— Puta merda! — eu exclamei, muito como uma - uma Alta Sacerdotisa, e os quatro riram, enchendo a noite com o som da felicidade. E eu entendi, pela primeira vez, porque Neferet e Aphrodite tinham dançado durante seus rituais. Eu queria dançar e rir e gritar de felicidade. Outra hora, eu disse a mim mesma. Hoje à noite havia um trabalho mais sério a ser feito.
— Ok, eu vou fazer a reza da purificação — eu disse a meus amigos. — E enquanto eu digo a reza eu vou olhar para cada um dois elementos, um por vez.
— O que você quer que a gente faça? — Stevie Rae perguntou.
— Se concentrem na reza. Concentração. Acredite que o elemento será carregado para Nyx, e que a deusa irá responder me ajudando, a saber, o que fazer — eu disse com muito mais certeza do que eu sentia.
De novo eu olhei para o leste. Damien deu um sorriso de encorajamento para mim. E eu comecei a recitar a antiga reza de purificação que eu disse tantas vezes com vovó – com algumas mudanças que decidi mais cedo.
— Grande deusa da Noite, cuja voz eu ouço no vento, que respira o ar da vida para seus filhos. Ouça-me, eu preciso da sua força e sabedoria. — Eu parei brevemente e me virei para o sul.
— Me deixe andar na beleza, e faça meus olhos contemplarem o vermelho e púrpura pôr do sol que vem antes da beleza da nossa noite. Faça minhas mãos tocarem as coisas que você fez e meus ouvidos afiados para ouvirem sua voz. Faça-me sábia para que eu possa entender as coisas que você ensinou para as pessoas.
Eu me virei de novo para a direita, e minha voz ficou mais forte enquanto eu entrava no ritmo da oração.
— Me ajude a permanecer calma e forte e a encarar tudo que vier em minha direção. Me permita aprender a lição que você tem escondido em cada folha e pedra. Me ajude a procurar pensamentos puros e agir com a intenção de ajudar outros. Me ajude a encontrar a compaixão sem que a simpatia me sobrepuje.
Eu virei para Stevie Rae, cujos olhos estavam fechados enquanto ela continuava a se concentrar na mente dela.
— Eu procuro força, não para ser mais que os outros, mas para lutar contra meu grande inimigo, as dúvidas dentro de mim.
Eu voltei para o centro do círculo e terminei a reza, e pela primeira vez na vida, eu senti uma onda de sensação enquanto o poder das antigas palavras passavam por mim pelo que eu esperava que fosse meu coração e alma que estivesse ouvindo a deusa.
— Me faça estar sempre pronta para vir até você com mãos limpas e olhos fortes. Para que quando a vida desaparecer, assim como o pôr-do-sol que desaparece, meu espírito possa ir até você sem vergonha.
Tecnicamente, essa era a conclusão da reza Cherokee que vovó me ensinou, mas senti a necessidade de acrescentar: — E Nyx, eu não entendo porque você me Marcou e porque você me deu o dom e afinidade com os elementos. Eu nem preciso saber. O que eu quero pedir é que você me ajude, a saber, a coisa certa a fazer, e então me dê à coragem para fazê-la.
E eu terminei a oração do jeito que eu lembrei que Neferet completou o ritual dela: — Abençoada seja!

4 comentários:

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Os comentários estão demorando alguns dias para serem aprovados... a situação será normalizada assim que possível. Boa leitura!