1 de outubro de 2015

Capítulo 23

— Zoey, querida, você tem que soltá-la.
A voz de Damien não foi realmente registrada na minha mente. Quero dizer, eu podia ouvir as palavras, mas era como se ele estivesse falando uma estranha língua estrangeira. Nada fazia sentido.
— Zoey, porque você não vem com a gente agora?
Essa era Shaunne. Erin não devia ter falado junto? Eu mal formei um pensamento quando eu ouvi, — Yeah, Zoey, você precisa vir com a gente. — Oh, aí está Erin.
— Ela está em choque. Falem com calma para tentar fazer ela soltar o corpo de Stevie Rae — Neferet disse.
O corpo de Stevie Rae. As palavras ecoaram estranhamente na minha mente. Eu estava segurando algo. Eu sabia disso. Mas meus olhos estavam fechados e eu estava com muito, muito frio. Eu não queria abrir eles, e eu nunca mais queria ficar quente.
— Eu tenho uma ideia. — A voz de Damien rolou na minha mente como a bola de uma máquina de pinball. — Não temos velas e nem um círculo sagrado, mas não é como se Nyx não esteja aqui. Vamos juntar nossos elementos para ajudar ela. Eu vou primeiro.
Eu senti uma mão segurar a minha, e então eu ouvi Damien murmurar algo sobre o vento carregar para longe o cheiro de morte e desespero. O vento passou ao meu redor, e eu tremi.
— Eu vou agora. Ela parece estar com frio. — Era Shaunee. Outra coisa tocou meu braço e depois de algumas palavras que eu não entendi, eu me senti cercada de calor, como se estivesse parada muito perto de uma lareira.
— Minha vez — Erin disse. — Eu chamo a água e peço que você lave dos meus amigos e da futura Alta Sacerdotisa a tristeza e a dor que ela está sentindo. Eu sei que nem tudo pode ir embora agora, mas você pode, por favor, levar o bastante para que ela possa suportar e continuar? — As palavras dela se registraram mais claramente na minha mente, mas eu ainda não queria abrir meus olhos.
— Ainda tem mais um elemento no círculo.
Eu fiquei surpresa por ouvir Erik. Parte de mim queria abrir meus olhos para poder olhar para ele, mas o resto de mim, muito de mim, se recusou a se mexer.
— Mas Zoey sempre manifesta o espírito — Damien disse.
— Agora Zoey não pode manifestar nada sozinha. Vamos dar a ela uma ajuda. — Duas mãos fortes tocaram meus ombros, junto com as outras mãos que seguravam meus braços. — Eu não tenho afinidade por essas coisas, mas me importo com o que acontece com Zoey, e ela foi dotada com uma afinidade pelos cinco elementos — Erik disse. — Então eu, junto com todos os seus amigos, pedimos que o elemento do espírito ajude a acordá-la para poder superar a morte da sua melhor amiga.
Como um choque elétrico, meu corpo de repente foi atingido, preenchido com um incrível senso de noção. Contra meus olhos fechados eu vi o rosto sorridente de Stevie Rae. Não estava cheio de sangue e pálido, como estava da última vez que ela sorriu para mim. A imagem que eu vi era da saudável e feliz Stevie Rae, e ela estava andando até a linda mulher familiar enquanto ria de alegria.
Nyx, eu pensei, Stevie Rae está sendo abraçada pela deusa.
E então abri meus olhos.
— Zoey! Você voltou para nós! — Damien chorou.
— Z, você precisa soltar Stevie Rae agora — Erik disse tristemente.
Eu olhei para Damien e para Erik. Então meus olhos foram para Shaunee e Erin. Os meus quatro amigos estavam me tocando, e todos estavam chorando. Então eu percebi no que estava segurando. Devagar, eu olhei para baixo.
Stevie Rae parecia pacífica. Ela estava muito pálida, e seus lábios estavam ficando azuis, mas seus olhos estavam fechados e seu rosto relaxado, embora estivesse coberto de sangue. O sangue não estava mais pingando dos orifícios dela, e parte da minha mente percebeu que ela tinha um cheiro errado – estragado, velho, morto. Quase como mofo.
— Z — Erik disse. — Você tem que soltar ela.
Eu encontrei os olhos dele. — Mas eu disse a ela que ficaria com ela. — Minha voz soava estranha e arranhada.
— Você ficou. Você ficou com ela o tempo todo. Ela se foi agora, não tem mais nada que você possa fazer.
— Por favor, Zoey — Damien disse.
— Neferet precisa limpar ela para que fique bem para a mãe dela a ver — Shaunee disse.
— Você sabe que ela não iria querer que a mãe e o pai a vissem coberta de sangue — Erin disse.
— Ok, mas... mas eu não sei como deixar ela ir. — Minha voz se rachou e eu senti novas lágrimas caírem pelas minhas bochechas.
— Eu vou pegar ela de você, Zoey Passarinha. — Neferet deixou os braços para cima, como se estivesse pronta para receber um bebê que eu estava segurando. Ela parecia tão triste e linda e forte – tão familiar – que eu esqueci todas as perguntas que eu tinha sobre ela e simplesmente acenei e devagar me inclinei para frente. Neferet deslizou seus braços debaixo do corpo de Stevie Rae e o afastou de mim. Ela mudou seu aperto em Stevie Rae, e então virou e colocou ela na cama vazia ao lado da minha.
Eu olhei para mim mesma. Meu vestido preto estava encharcado de sangue que já estava endurecendo e secando. As partículas prateadas tentaram brilhar com a luz da sala, mas ao invés da luz pura que eles davam antes, agora elas brilhavam com um tom de cobre. Eu não podia continuar olhando para eles. Eu tinha que me mexer. Eu tinha que sair dali e tirar esse vestido. Eu pus meus pés do lado da cama e tentei levantar, mas a sala rodou ao meu redor. Então mãos fortes dos meus amigos estavam de volta nos meus braços, e eu me senti ancorada a terra através do calor deles.
— Levem ela de volta para o quarto. Tirem esse vestido dela e a limpem. Então se certifiquem que ela vá para cama e a mantenham quente e quieta. — Neferet estava falando sobre mim como se eu não estivesse ali, mas eu não me importei. Eu não queria estar ali. Eu não queria nada disso. — Deem isso para ela beber antes de ir para cama. Vai ajudar ela dormir sem ter pesadelos. — Eu senti as mãos suaves de Neferet na minha bochecha. O calor que passou do corpo dela para mim foi um choque, e eu instintivamente me afastei. — Fique bem, Zoey Passarinha — Neferet disse gentilmente. — Te dou minha palavra que você irá se recuperar disso. — Eu não olhei para ela, mas eu sabia que ela tinha virado sua atenção de volta para meus amigos. — Levem ela para o dormitório agora.
Eu estava me movendo para frente. Erik estava do meu lado com sua mão segura debaixo do meu cotovelo, Damien estava na minha esquerda, me segurando com força também. As Gêmeas estavam atrás perto de nós. Ninguém falou enquanto eles me levavam para fora da sala. Eu olhei de volta para ver o corpo sem vida de Stevie Rae na cama. Quase parecia que ela estava dormindo, mas eu sabia mais. Eu sabia que ela estava morta.
Nós cinco deixamos a enfermaria e entramos na noite gelada. Eu tremi, e paramos por tempo suficiente para Erik tirar sua jaqueta e colocar envolta dos meus ombros. Eu gostei do cheiro, e tentei pensar nisso e não nos calouros apressados que passavam e como sempre que nos aproximávamos de cada um deles, estivessem em grupos ou sozinhos, eles saiam da calçada, curvavam a cabeça, e silenciosamente colocavam seu punho direito em seus corações.
Chegamos no dormitório no que pareceu ser segundos. Quando entramos na sala principal as garotas que estavam assistindo TV e sentadas em grupos se calaram completamente. Eu não olhei para nenhuma delas. Eu só deixei Erik e Damien me guiarem para as escadas, mas antes de chegarmos lá Aphrodite estava bloqueando o caminho. Eu pisquei com força para focar o rosto dela. Ela parecia cansada.
— Sinto muito pela morte de Stevie Rae. Eu não queria que ela morresse — Aphrodite disse.
— Não diga merda nenhuma para nós, vadia fudida! — Shaunee resmungou. Ela e Erin foram para frente, parecendo querer quebrar a cara de Aphrodite.
— Não, espera — eu me fiz dizer, e elas hesitaram. — Eu preciso falar com Aphrodite.
Meus amigos olharam para mim como se eu tivesse perdido a cabeça, mas eu sai dos braços que estavam me segurando e dei alguns passos trêmulos para longe do meu grupo. Aphrodite hesitou, e então ela me seguiu.
— Você sabia o que ia acontecer com Stevie Rae? — Eu perguntei, mantendo a voz baixa. — Você teve uma visão sobre ela?
Aphrodite balançou a cabeça devagar. — Não. Só tinha um pressentimento. Eu sabia que algo terrível ia acontecer hoje à noite.
— Eu também os tenho — eu disse suavemente.
— Pressentimento sobre coisas ou pessoas?
Eu acenei.
— São mais difíceis que minhas visões – não tão específicos. Você teve um pressentimento sobre Stevie Rae? — Ela perguntou.
— Não. Eu não fazia ideia, embora agora eu possa olhar para trás e ver sinais de que algo estava errado com ela.
Aphrodite encontrou meus olhos. — Você não poderia ter impedido. Você não poderia ter salvado ela. Nyx não queria que você soubesse porque não havia nada que você pudesse fazer.
— Como você sabe? Neferet diz que Nyx abandonou você — eu disse. Eu sabia que estava propositalmente sendo cruel. Eu não me importei. Eu queria que ela sofresse tanto quanto eu.
Ainda me olhando diretamente nos olhos, Aphrodite disse, — Neferet mente. — Ela começou a se afastar, mas mudou de ideia e voltou. — E não beba o que ela te deu — ela disse. Então ela saiu da sala.
Erik, Damien, e as Gêmeas estavam comigo em um segundo. — Não ouça o que aquela bruxa diz a você — Shaunee bufou de raiva. — Se ela disse algo ruim sobre Stevie Rae vamos quebrar a cara dela — Erin disse.
— Não. Não foi nada disso. Ela só disse que sente muito, só isso.
— Porque você queria falar com ela? — Erik perguntou. Ele e Damien estavam me segurando de novo, e agora estavam me levando escada acima.
— Eu queria saber se ela teve uma visão sobre a morte de Stevie Rae — eu disse.
— Mas Neferet deixou claro que Nyx virou as costas para Aphrodite — Damien disse.
— Eu queria perguntar mesmo assim. — Eu ia comentar que Aphrodite estava certa sobre o acidente que quase aconteceu com minha avó, mas eu não podia dizer nada na frente de Erik. Chegamos na porta do meu quarto – nosso quarto – Stevie Rae e meu, e eu parei. Erik abriu a porta para mim entrar.
— Não! — eu arfei. — Eles levaram as coisas dela! Eles não podem fazer isso! — Tudo que era de Stevie Rae tinha sumido – da lâmpada de cowboy até seu pôster de Kenny Chesney, ao relógio de Elvis. As prateleiras por cima da mesa de computador dela estavam vazias. O computador dela sumiu. Eu sabia que se olhasse seu armário, todas as roupas dela também teriam sumido.
Erik pos seus braços ao meu redor. — É o que eles sempre fazem. Não se preocupe, eles não jogaram fora as coisas dela. Só tiraram daqui para não deixar você triste. Se tem algo dela que você queira, e a família dela não se importar, eles vão dar para você.
Eu não sabia o que dizer. Eu não queria as coisas de Stevie Rae. Eu queria Stevie Rae.
— Zoey, você realmente precisa tirar essas roupas e ir tomar um banho quente — Damien disse gentilmente.
— Ok — eu disse.
— Enquanto você está no banho vamos pegar algo para você comer — Shaunee disse.
— Não estou com fome.
— Você precisa comer. Vamos pegar algo simples, como sopa. Ok? — Erin disse.
Ela parecia tão chateada, e estava tão obviamente tentando fazer algo, qualquer coisa, para me fazer sentir melhor que eu acenei. Além do mais, eu estava cansada demais para discutir com alguém. — Ok.
— Eu ficaria, mas já passa do toque de recolher e eu não posso ficar do dormitório das garotas — Erik disse.
— Está tudo bem. Eu entendo.
— Eu queria ficar também, mas bem, não sou uma garota de verdade — Damien disse. Eu sabia que ele estava tentando me fazer sorrir, então fiz meus lábios se mexerem. Eu imaginei que eu parecia um daqueles assustadores e tristes palhaços que tinham um sorriso pintado no rosto junto com uma lágrima.
Erik me abraçou, e Damien também. E então eles saíram.
— Você precisa que alguma de nós fique enquanto você toma banho? — Shaunee perguntou.
— Não, estou bem.
— Ok. Bem... — Shaunee parecia que ia chorar de novo.
— Já voltamos. — Erin pegou a mão de Shaunee e elas saíram do quarto, fechando a porta suavemente, com um click final.
Eu me mexi cuidadosamente, como se alguém tivesse me “ligado,” mas tinha colocado na velocidade baixa. Eu tirei meu vestido, sutiã, e calcinha e a coloquei numa cesta com um plástico que ficava no canto de nosso – eu quero dizer, meu – quarto. Eu fechei o plástico e coloquei perto da porta. Eu sabia que as Gêmeas iam jogar fora para mim. Eu fui para o banheiro e queria ir direto para o chuveiro, mas meu reflexo me pegou e eu parei, me olhando. Eu tinha me transformado numa estranha familiar de novo. Eu parecia horrível. Eu estava pálida, e tinha olheiras. As tatuagens no meu rosto, costas, e ombros sobressaiam, o contraste safira com o branco da minha pele e as manchas de sangue que cobriam meu corpo. Meus olhos pareciam enormes e negros. Eu não tinha tirado o colar das Filhas das Trevas. O prateado da corrente e o cobre da grana transluziu com a luz.
— Por que? — eu sussurrei. — Porque você deixou Stevie Rae morrer?
Eu não esperava uma resposta, e nenhuma veio. Então eu fui para o chuveiro e fiquei parada ali por um longo tempo, deixando minhas lágrimas se misturarem com a água e o sangue ser levado pelo ralo.

5 comentários:

  1. Não precisava nem a Aphrodite falar, tá na cara que aquilo que a Neferet deu pra darem pra Z beber é pra ferrar com ela, NÃO BEBAAA!

    ResponderExcluir
  2. isso me faz pensar será que aquele líquido branco que a Neferet dá para os alunos que os transformam em vampiros de olhos vermelhos?

    ResponderExcluir

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Os comentários estão demorando alguns dias para serem aprovados... a situação será normalizada assim que possível. Boa leitura!