30 de setembro de 2015

Capítulo 11

Eu não achei que fosse dormir. Achei que apenas ia ficar deitada ali sentindo saudades de casa e pensando sobre a virada bizarra que a minha vida tinha tomado. Flashes perturbadores dos olhos do cara no corredor passaram pela minha mente, mas eu estava tão cansada que eu não conseguia me focar. Até a personalidade odiosa de Aphrodite era outra coisa que parecia estar me mantendo acordada. Na verdade, minhas últimas preocupações, antes de não conseguir lembrar mais nada, tinha sido minha testa. Estava dolorida de novo por causa da Marca e do corte na minha têmpora - ou era porque eu estava ficando com uma enorme espinha? E meu cabelo iria estar bom para o meu primeiro dia na escola de vampiros amanhã? Mas quando me enrolei confortavelmente e inalei o cheiro familiar do cobertor e de casa, eu me senti inesperadamente calma e segura... E eu apaguei.
Eu também não tive um pesadelo. Ao invés disso eu sonhei sobre gatos. Vai entender. Caras gostosos? Não. Novos poderes legais de vampiros? É claro que não. Apenas gatos. Tinha um em particular - um pequeno e laranja que tinha pequenas patas e uma barriga gorda com um olhar que parecia meio marsupial. Ela ficava gritando para mim com a voz de uma moça e me perguntando por que eu tinha levado tanto tempo para chegar ali. Então a voz de gato dela mudou para um irritante zunido e eu...
— Zoey, anda! Desliga essa porcaria de alarme!
 O que? Huh?  Oh, diabos. Eu odeio manhãs. Minha mão falhou em tentar encontrar o botão para desligar meu irritante despertador.
Eu mencionei que eu sou totalmente, e completamente cega sem minhas lentes? Eu peguei meus olhos nerds e olhei para o relógio. 18h30min. E eu recém estava acordando. Em falar em bizarro.
— Você quer tomar banho primeiro, ou você quer que eu tome? — Stevie Rae perguntou sonolenta.
— Eu vou, se você não se importa.
— Eu não... — ela bocejou.
— Ok.
— Mas devemos nos atrasar, porque eu não sei sobre você, mas tenho que comer café da manhã ou vou sentir que vou morrer de fome antes do almoço.
— Cereal? — eu de repente me animei. Eu seriamente amo cereal, e eu tenho uma camiseta Eu ♥ CEREAL, para provar. Eu especialmente amo Count Chocula - outra ironia vampiresca.
— Sim, tem várias daquelas pequenas caixas de cereal e bagels e frutas e ovos cozidos e tudo mais.
— Vou me apressar. — De repente eu estava faminta. — Hey, Stevie Rae, importa o que eu usar?
— Não — ela bocejou de novo. — Só pegue um dos suéteres ou jaquetas que mostre seu símbolo de terceiranista e você ficará bem.
Eu não me apressei, embora eu estivesse realmente nervosa sobre parecer descente e desejei ter horas para fazer e refazer meu cabelo e maquiagem. Eu usei o espelho de maquiagem de Stevie Rae enquanto ela estava no banho, e decidi que de menos era melhor que demais. Era estranho como a minha Marca parecia mudar toda atenção do meu rosto. Eu sempre tive olhos bonitos - grandes e redondos e escuros, com muitos cílios. Tanto que Kayla costumava reclamar sobre o quão injusto era eu ter cílios o suficiente para três garotas e ela tinha apenas alguns. (Em falar nisso... eu não senti falta de Kayla, especialmente essa manhã quando estava me arrumando para ir a uma nova escola sem ela. Talvez eu ligue para ela mais tarde. Ou mande um e-mail. Ou... Eu lembrei o comentário que Heath tinha feito sobre a festa, e decidi que talvez não ligasse.) De qualquer forma, a Marca de algum jeito fazia meus olhos parecerem ainda maiores e escuros. Eu os alinhei com uma sombra suavemente preta que tinha pequenos brilhos prateados. Não muito como aquelas garotas que acham que emplastar de delineador preto as faz parecer legal. É certo. Elas parecem guaxinins assustadores. Eu acrescentei base, um pouco de pó no rosto, e coloquei um gloss (para esconder o fato que eu estava nervosamente mordendo os lábios).
Então eu me olhei.
Graças a Deus meu cabelo estava bom, e até mesmo o pico de viúva (aquela ponta do cabelo que fica na testa) não estava toda bagunçada como fica às vezes. Eu ainda parecia... Humm... Diferente, mas a mesma.
O efeito que a minha Marca tinha no meu rosto diminuiu. Fez tudo que era étnico sobre as minhas feições se destacar: a escuridão dos meus olhos, as bochechas altas dos Cherokke, meu orgulhoso nariz reto, e até mesmo a cor oliva da minha pele que era como a da minha avó. A Marca safira da deusa pareceu ter ligado um holofote nessas feições; tinha exposto a garota Cherokee dentro de mim e permitido que ela brilhasse. 
— Seu cabelo está ótimo — Stevie Rae disse quando entrava no quarto secando o cabelo curto com a toalha. — Eu queria que o meu ficasse direito quando está tão comprido. Mas não fica. Ele fica todo frizzado e parece um rabo de cavalo.
— Eu gosto do seu cabelo curto — eu disse, saindo do caminho dela pegando meus sapatos de rasteirinha estilo sapatilha de balé.
— Yeah, bem, me faz ser uma aberração aqui. Todos têm cabelo comprido.
— Eu notei, mas não entendi.
— É uma das coisas que acontece enquanto você está Mudando. O cabelo dos vampiros cresce muito rapidamente, assim com as unhas.
Eu tentei não suspirar e lembrar das unhas de Aphrodite passando cortando jeans e pele. Graças a Deus, Stevie Rae estava inconsciente ao meu pensamento, e continuou falando.
— Você vai ver. Depois de um tempo você não vai precisar olhar para o símbolo deles para saber de que ano são. De qualquer forma, você vai aprender tudo sobre isso na aula de Sociologia Vampira. Oh! Isso me lembrou. — Ela catou em alguns papéis na mesa dela até que encontrou o que estava procurando e me entregou. — Aqui está seu horário. Temos a terceira e a quinta aula juntas. E cheque a lista de matérias eletivas que você tem para a segunda aula. Você pode escolher qualquer um deles.
Meu nome estava no topo do horário, impresso com letras grandes, Zoey Redbird, entrando como terceiranista, assim como a data, que era de cinco (?!) dias antes de o Rastreador me Marcar.
1º período – Sociologia Vampira 101. Sala. 215. Prof. Neferet.
2º período – Drama 101. No centro de artes. Prof. Nolan; ou Desenho 101. Sala. 312. Prof. Doner; ou Introdução a música. Sala 314. Prof Vento.
3º período – Literatura 101. Sala. 214. Prof. Penthesilea
4º período – Esgrima. Ginásio. Prof. D. Lankford
Pausa para o almoço.
5º período – Espanhol 101. Sala. 216. Prof. Germy
6º período – Introdução ao estudo de Equitação Casa de Campo. 215. Prof. Lenobia
— Nada de geometria? — eu percebi, totalmente pasma pelo horário, tentando manter uma atitude positiva.
— Não, graças a Deus. No próximo semestre vamos ter economia. Mas isso não pode ser tão ruim.
— Esgrima? Introdução ao estudo de equitação?
— Eu te disse que eles gostam de nos manter em forma. Esgrima ok, mesmo que seja difícil. Eu não sou muito boa, mas você faz par com o pessoal mais velho - como se eles fosse instrutores, e eu só estou dizendo, alguns daqueles garotos são simplesmente lindos! Eu não estou tendo a aula de equitação esse semestre - eles me colocaram em Tae Kwan Do. E eu tenho que te dizer, eu adoro!
— Verdade? — eu disse duvidosamente. Pergunto-me como será a aula de equitação?
— Sim. Que eletiva você vai escolher?
Eu olhei para a lista. — Qual você está tomando?
— Introdução a Música. O professor Vento é bem legal, e eu, uh... — Stevie Rae suspirou e corou. — Eu quero ser uma estrela da música country. Eu quero dizer, Kenny Chesney, Faith Hill e Shania Twain são vampiras – e isso é apenas três delas. Diabos, Grth Brooks cresceu aqui em Oklahoma e você sabe que ele é o maior vampiro de todos eles. Então eu não vejo porque eu também não posso ser.
— Faz perfeito sentido para mim — eu disse. Porque não?
— Você quer ter musica comigo?
— Isso seria divertido se eu pudesse cantar ou tocar qualquer coisa parecido com um instrumento. Eu não posso.
— Oh, talvez não então.
— Na verdade, eu estava pensando em ter a aula de teatro. Eu tinha teatro em SIHS, e era legal. Você sabe alguma coisa sobre a Prof. Nolan?
— Sim, ela é do Texas e tem um enorme sotaque, mas ela estudou drama em Nova Iorque e todo mundo gosta dela.
Eu quase ri alto quando Stevie Rae mencionou o sotaque da Prof. Nolan. A garota era tão fanhosa que parecia um parque de trailers, mas de jeito nenhum eu ia ferir os sentimentos dela falando isso.
— Bem, então vai ser teatro.
— Ok, pegue seu horário e vamos. Hey — ela disse enquanto nos apressávamos para sair do quarto e descíamos as escadas — Talvez você seja a próxima Nicole Kidman!
Bem, eu acho que ser a próxima Nicole Kidman não seria ruim (não que eu esteja planejando me casar e então me divorciar de um cara maníaco e baixinho). Agora que Stevie Rae mencionou, eu dificilmente pensava sobre o meu futuro desde que o Rastreador tinha jogado a minha vida no caos completo, mas agora que eu estava pensando eu realmente queria ser uma veterinária.
Um gato obeso preto e branco passou pelas escadas na nossa frente perseguindo o que parecia o clone dele. Com todos esses gatos você ia pensar que haveria a necessidade de vampiros veterinários. (hee hee... vampiros veterinários... eu poderia chamar minha clínica de Vamp Vet, e os anúncios estariam escritos: “Tiramos seu sangue de graça!”)
A cozinha e a sala estavam cheia de garotas comendo e falando e correndo. Eu tentei responder alguns dos olás que eu estava recebendo quando Stevie Rae me apresentava para o que parecia uma impossível confusão de garotas e manter minha concentração que eu mantive para procurar uma caixa de Count Chocula. Quando eu estava começando a me preocupar, eu encontrei escondida atrás de várias caixas de Frosted Flakes (que não seria uma escolha ruim, mas, bem, eles não são de chocolate e eles não tem nenhum marshmallow gostoso). Stevie Rae serviu uma tigela de Lucky Charms, e nos sentamos à mesa da cozinha, comendo rápido.
— E aí, Zoey!
Aquela voz. Eu sabia quem era antes de ver Stevie Rae baixar a cabeça e encarar a tigela de cereal.
— Olá, Aphrodite — eu disse, tentando soar neutra.
— Caso eu não te veja mais tarde eu queria me certificar que você saiba aonde ir hoje à noite. O Ritual da Lua Cheia das Filhas das Trevas vai começar as quatro da manhã, logo depois do ritual da escola. Você vai perder o jantar, mas não se preocupe com isso. Vamos alimentar você. Oh, é na sala perto do corredor leste. Eu te encontro perto do Templo de Nyx antes do ritual da escola para que a gente possa entrar lá dentro, e então posso te mostrar o caminho para a sala depois.
— Na verdade, eu já prometi a Stevie Rae que eu vou encontrar ela e nós vamos para o ritual da escola juntas. — Eu realmente odeio pessoas insistentes. — Yeah, desculpe por isso. — Eu fiquei feliz por ver que Stevie Rae levantou a cabeça e disse isso.
— Hey, você sabe onde é essa sala, não sabe? — eu perguntei a Stevie Rae na minha voz mais alegre e sem noção.
— Sim, eu sei.
— Então você pode me mostrar como chegar lá, certo? E isso significa que Aphrodite não tem que se preocupar comigo me perdendo.
— Qualquer coisa que eu puder fazer para ajudar — Stevie Rae disse, soando como sempre.
— Problema resolvido — eu disse com um grande sorriso para Aphrodite.
— Ok. Ótimo. Vejo-te às quatro da manhã. Não se atrase. — Ela se virou.
— Se ela balançar mais a bunda do que já está balançando ela vai quebrar alguma coisa — eu disse.
Stevie Rae roncou e quase derramou leite pelo nariz. Tossindo, ela disse. — Não faça isso enquanto estou comendo! — Então ela engoliu e sorriu para mim. — Você não a deixou mandar em você.
— Nem você. — Eu disse dando a última colherada do cereal. — Pronta?
— Pronta. Ok, isso vai ser fácil. Seu primeiro período é do lado do meu primeiro período. Todas as aulas dos terceiranistas são no mesmo corredor. Anda – eu te mostro a direção certa e você ficará colocada.
Nós pegamos nossos pratos e os colocamos numa das cinco lava louças, então nos apressamos para sair na linda escuridão da noite. Droga. Era estranho ir para a aula à noite, mesmo que meu corpo estivesse me dizendo que tudo estava normal. Nós seguimos a onda de estudantes passando por uma das grandes portas de madeira.
— O corredor dos terceiranistas é por aqui — Stevie Rae disse, me guiando para um canto e por uma escada.
— Isso é um banheiro? — eu perguntei quando passamos por uma fonte de água situada entre duas portas.
— Sim — ela disse. — Aqui é a minha aula, e a sua é ao lado. Vejo você depois da aula!
— Ok, obrigado — eu respondi.
Pelo menos o banheiro era perto. Se eu tivesse um serio caso de diarreia eu não precisava ir longe.

5 comentários:

  1. Uhuu primeira a comentar!!! Amando esse livro e partiu próximo capitulo pq to mto curiosa!!! Obrigada karina pelo blog

    ResponderExcluir
  2. Serio caso de diarreia kkkk

    ResponderExcluir
  3. Eu adoro a emoção da vida dela de adolescente com problemas

    ResponderExcluir

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Os comentários estão demorando alguns dias para serem aprovados... a situação será normalizada assim que possível. Boa leitura!